13/07/19 - Jeff Scott Soto (São Paulo - SP)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Batalha, Fonte: ASE Music, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

Após se apresentar no Brasil com a banda S.O.T.O, fazendo o pré-lançamento do álbum "Origami", o vocalista americano Jeff Scott Soto retornará para um show especial, prestando tributo ao Queen. O evento, "Jeff Scott Soto - Queen Concert", será realizado no Dia Mundial do Rock, a 13 de julho, a partir das 22h, no Manifesto Bar (SP), que completa 25 anos de atividades. "Minha paixão pela música do Queen está além das palavras e estar no Brasil, para mim, é como voltar para casa", declarou Soto, que, na ocasião, estará acompanhado pelos brasileiros BJ (guitarra, teclado e vocal), Leo Mancini (guitarra e vocal), Henrique Canale (baixo e vocal) e Edu Cominato (bateria e vocal).

Metallica: músicos regravam o St. Anger "da forma correta" - ouçaPattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"No começo, eu não acreditava que tinha fãs no Brasil ou na América do Sul. Nunca tinham entrado em contato comigo antes para fazer uma turnê com as bandas que havia integrado", recordou Soto sobre a sua primeira passagem pelo país, em abril de 2002. "Não acreditei na paixão, na energia e no ânimo dos fãs brasileiros! Foi verdadeiramente uma experiência nova para mim, que me encorajou e me fez ter certeza de que estava pronto para iniciar uma carreira solo. Fiz amigos para a vida toda naquela viagem e dois deles estão na minha banda", acrescentou.

Tal qual a lendária banda inglesa, que nunca impôs limites em sua esfera musical, o trabalho versátil de Soto o fez ficar mundialmente conhecido no meio do hard rock. Porém, para um campeão de créditos em gravações dos mais variados estilos, não seria exagero afirmar que defini-lo apenas como um "vocalista de hard rock" pode ser depreciativo. Tendo o saudoso Freddie Mercury, que recentemente teve seu nome comentado em todos os cantos do mundo pelo filme "Bohemian Rhapsody" (2018), como um de seus ídolos, Soto lançou o DVD "The JSS Queen Concert - Live at the Queen Convention" em 2003 e, anos depois, fez parte da turnê "Queen Extravaganza". "A 'Queen Extravaganza' foi muito divertida. Passei grandes momentos cantando aquelas músicas durante a tour", disse.

Filho de descendentes porto-riquenhos, Soto nasceu em 4 de novembro de 1965, no Brooklyn/NY (EUA). Tendo o rádio como "professor", sequer precisou ter aulas de canto. Fã de R&B, black music, disco e funk, inicialmente achava o rock muito barulhento. Porém, logo entrou de cabeça no estilo. "Quando descobri o rock, ouvia Iron Maiden, Styx, Rush, Judas Priest e Mötley Crüe. Até mesmo o Journey era uma grande mudança para quem vinha da disco music", contou o vocalista, que tem Queen, Journey, Styx e Van Halen entre as suas preferidas.

Até conseguir a vaga na banda do sueco Yngwie Malmsteen, passou pelo Kanan e Seducer. Com Malmsteen, começava efetivamente a carreira de Soto, que cantou em duas faixas do álbum "Rising Force" (1984), um divisor de águas no segmento de guitarra. Na sequência, veio "Marching Out" (1985) e o vídeo "Yngwie J. Malmsteen's Rising Force - Live in '85". Sem espaço para criar ao lado do guitarrista, resolveu sair, mas retornou na turnê de "Trilogy" (1986, registrado por Mark Boals). Nesse período, passou a gravar com outros grupos. Assim, afora participações especiais, gravações de backing vocals como músico contratado, encontrou no também sueco Talisman a oportunidade que desejava: implementar seu estilo e mesclar o groove da black music com hard rock, AOR e pop. "Todos me viam como um vocalista de heavy metal que gritava. Quase ninguém sabia que minhas raízes vinham da Motown e do pop", explicou Soto, que também conseguiu unir rock à black music com o Slam e com o bem-humorado projeto The Boogie Knights.

O vocalista, que segue em carreira solo e com o S.O.T.O e o W.E.T., também gravou com Axel Rudi Pell, Human Clay, Humanimal, Soul Sirkus e Redlist, entre outros, além de parte da trilha do filme "Rockstar" (2001). Ainda participou do Trans-Siberian Orchestra e passou pelo Journey. Sempre de bom astral, o fã da caipirinha brasileira - ele até fez curso para aprender a fazer bem a sua bebida preferida - se mostra disposto e animado para apresentar, em estúdio ou ao vivo, o melhor do hard rock, AOR, metal, disco, soul, funk, R&B e black music. Nos palcos, sua missão sempre foi a de entreter a plateia. Basta lhe dar o microfone ou um baixo, uma guitarra, um violão, um teclado, um trompete...

Os ingressos estão disponíveis através da Ticket Brasil em
https://is.gd/Ozw4Rx

Serviço Dia Mundial do Rock - Jeff Scott Soto - Queen Concert:
Data: 13 de julho
Abertura da casa: 22h
Local: Manifesto Bar
Endereço: Rua Iguatemi, 36, Itaim Bibi, São Paulo/SP
Fone: (11) 2574-5256 | WhatsApp (11) 94747-5883
Censura: 16 anos
Acesso a deficientes / ar condicionado
Wi-fi: a casa possui acesso a internet sem fio
Serviço de Vallet: R$20,00
E-mail: info@manifestobar.com.br
Site: www.manifestobar.com.br




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção AgendaTodas as matérias sobre "Jeff Scott Soto"Todas as matérias sobre "Queen"


Queen: os dez melhores shows ao vivo da bandaQueen
Os dez melhores shows ao vivo da banda

Golpe Baixo: Queen + Adam Lambert ao som de Robocop GayGolpe Baixo
Queen + Adam Lambert ao som de "Robocop Gay"


Metallica: músicos regravam o St. Anger da forma correta - ouçaMetallica
Músicos regravam o St. Anger "da forma correta" - ouça

Pattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric ClaptonPattie Boyd
O infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton


Sobre Ricardo Batalha

Ricardo Batalha, formado em Direito pela FMU, é um dos diretores da empresa ASE Press, integra o conselho editorial do Jornal Momento Notícias e vem trabalhando de forma fixa na Revista Roadie Crew desde 1996. Começou editando os fanzines Deathcore e Silent Rage e se tornou uma biblioteca do Metal brasileiro, colaborando para diversos veículos de mídia ligados ao Heavy/Rock desde os anos 1980. Suas bandas preferidas são Black Sabbath, Judas Priest e Accept, mas nunca escondeu a predileção pelo Hard Rock dos anos 80, especialmente o Ratt.

Mais matérias de Ricardo Batalha no Whiplash.Net.

adGoo336