Tradução - Dead Heart In a Dead World - Nevermore

WHIPLASH.NET - Rock e Heavy Metal!

Tradução - Dead Heart In a Dead World - Nevermore

Traduzido por Fernando P. Silva

  | Comentários:
Imagem

NARCOSYNTHESIS

Hypnotize me, mesmerize me
Drain the color from my eyes
Patronize me, energize me
Change the world, internalize

How did it come to this
Narcosynthesis

Alienate me, learn to hate me
Crucify your ideals the flesh is the swine
We are the last ones and we’re bleeding
For an unseen god

How did it come to this
Narcosynthesis

Turn my blood to sand
Lives fall through the hourglass
And grow cold
What are you searching for?
Turn my dirt to gold
Time the healer, the great concealer
Please salvage my soul

Victimize me, vilify me
Vilipend and amend the sins you condign
You are nothing and you speak for
All that never was

NARCOSSÍNTESE *

Me hipnotize, me mesmerize
Drene a cor dos meus olhos
Me proteja, me energize
Mude o mundo, interiorize

Como isto foi acontecer?
Narcossíntese

Me aliene, aprenda a me odiar
Crucifique seus ideais, a carne é o suíno
Nós somos os últimos e estamos sangrando
Por um deus invisível

Como isto foi acontecer?
Narcossíntese

Transforme meu sangue em areia
Vidas se esgotam através da ampulheta
E tornam-se frias
O que você está procurando?
Transforme minha sujeira em ouro
Tempo o curador, o grande guardião
Por favor salve minha alma

Me hostilize, me maltrate
Despreze e repare os pecados que você merece
Você não é nada e você fala por
Tudo aquilo que nunca foi

* Narcossíntese = Técnica de tratamento de neuroses graves através do uso de narcóticos.

WE DISINTEGRATE

Within the dark communion of self awareness
There lies a void called ego
An endless fusion of stillness and chaos
To bring its death can bring rebirth
I want to freeze the time
(dissolve into gray)
As we disintegrate the light
Let the rain come down
Let the solitude surround
I want to change the lines
And purify the divide
Are we ever free or slaves to technology
Outside the fallen walls
Of pride and prejudice
There is a voice that speaks in circles
Empty illusions still fall before us
There is no future so profess your pain

DESINTEGRAMOS

Dentro da comunhão sombria da autoconsciência
Lá se encontra um vazio chamado ego
Uma fusão infinita de quietude e caos
Trazer sua morte pode trazer renascimento
Eu quero congelar o tempo
(dissolver-se em cinza)
Enquanto desintegramos a luz
Deixe a chuva cair
Deixe a solidão cercar
Eu quero mudar as linhas
E purificar a divisa
Estamos livres ou escravos da tecnologia?
Do lado externo das paredes caídas
Do orgulho e preconceito
Há uma voz que fala em círculos
Ilusões vazias ainda caem perante nós
Não há nenhum futuro, então professe sua dor

INSIDE FOUR WALLS

Inside four walls I live my life
Doesn't matter what I've done
The government’s always right
They tell us what to be
They tell us what to believe
They're wrong my friend is gone

Inside four walls
Inside four walls
The day they took away my friend

Injustice made its mark
All the political whores
Only come out after dark
If anyone knows the way
Build me a bridge so I won't fall astray

Inside four walls
Inside four walls my friend
They took away your freedom
And the pigs still preach their lies

The system falls apart
The pigs still laugh
Feeding of our broken lives
Can anyone tell me why
Some violent criminals do far less time?

Inside four walls, inside four walls my friend
They took away your freedom
And the pigs still preach their lies

Inside four walls, inside four walls my friend
They took away your freedom
And the pigs still preach their lies
Inside four walls, inside four walls my friend
They took away your freedom

But they'll never take your mind

ENTRE QUATRO PAREDES

Entre quatro paredes eu vivo minha vida
Não importa o que eu fiz
O governo está sempre certo
Eles nos dizem o que ser
Eles nos dizem no que acreditar
Eles estão errados, meu amigo se foi

Entre quatro paredes
Entre quatro paredes
O dia que eles levaram meu amigo

A injustiça deixou sua marca
Todas as prostitutas da política
Só aparecem depois do anoitecer
Se qualquer um sabe o caminho
Construa-me uma ponte assim eu não me perco

Entre quatro paredes
Entre quatro paredes meu amigo
Eles tomaram sua liberdade
E os porcos ainda pregam suas mentiras

O sistema se desintegra
Os porcos ainda riem
Alimentando-se de nossas vidas destruídas
Alguém pode me explicar por que
Criminosos violentos cumprem muito menos tempo?

Entre quatro paredes, entre quatro paredes meu amigo
Eles tomaram sua liberdade
E os porcos ainda pregam suas mentiras

Entre quatro paredes, entre quatro paredes meu amigo
Eles tomaram sua liberdade
E os porcos ainda pregam suas mentiras
Entre quatro paredes, entre quatro paredes meu amigo
Eles tomaram sua liberdade

Mas eles nunca tomarão sua mente

EVOLUTION 169

Welcome to the pleasure dome
Now take a seat the crowd is watching you
Just rats in this experiment
Now learn the maze
But don't tear yourself in two
Don't let it pull you down

And one by one we crawl, and two by two
Into the mouth of madness
We seek the perfect view
We reach another turn then fall out of time
In organized chaos
Evolution 169

You can touch but never taste the answers
Like the way that I want you
Today I killed my ego, if hell is real
Dear God please tie my noose
And then he pulled me down

And one by one we crawl, and two by two
Into the mouth of madness
We seek the perfect view
We reach another turn then fall out of time
In organized chaos
Evolution 169
And one by one we crawl, and two by two
Into the mouth of madness, we fly away

Don't set your mind to one side
Don't set your mind to one side

EVOLUÇÃO 169

Bem-vindo à abóbada do prazer
Agora sente-se, a multidão está te observando
Somente ratos nesta experiência
Agora estude o labirinto
Mas não se desespere
Não deixe isto te destruir

E um a um nós rastejamos, e de dois em dois
Para a boca da loucura
Nós buscamos a visão perfeita
Completamos outra volta, então acabamos sem tempo
No caos organizado
Evolução 169

Você pode tocar mas jamais experimentar as respostas
Da maneira como te quero
Hoje eu acabei com meu ego, se o inferno é real
Querido Deus por favor amarre meu nó corrediço
E em seguida ele me puxou para baixo

E um a um nós rastejamos, e de dois em dois
Para a boca da loucura
Nós buscamos a visão perfeita
Completamos outra volta, então acabamos sem tempo
No caos organizado
Evolução 169
E um a um nós rastejamos, e de dois em dois
Para a boca da loucura, voamos para longe

Não se atenha a um ponto de vista
Não se atenha a um ponto de vista

THE RIVER DRAGON HAS COME

Today the warning came in the flood
Architects and fools never cared for
Poor men's blood
Cursed to repeat the past they are
The river dragon swims upstream
They've built another wall

The three will fall
Save us from the flood
Washed away we drown

The river dragon has come
Souls wash away
The earth has spoken
And taken them to their graves

Those who cannot remember the last
Fall away, far away
The distance meets its task

The three will fall
Save us from the flood
Washed away we drown

The river dragon has come
Souls wash away
The earth has spoken
And taken them to their graves
The river dragon has come
At first light of dawn
The earth has spoken
And in the crush they are gone

The three will fall
Save us from the flood
Washed away we drown
The river dragon has come
Souls wash away
The earth has spoken
And taken them to their graves
In the mass destruction
The bringer shows his form
Technology the beast
The seventh crown

O DRAGÃO ACORDOU *

Hoje o alerta veio na enchente
Os arquitetos e os tolos nunca se importaram com
O sangue dos homens pobres
Eles estão condenados a repetir o passado
O Dragão nada contra a corrente
Eles construíram outra muralha

As três (represas) cairão
Salve-nos da enchente
Arrastados pelas águas, nós nos afogamos

O Dragão acordou
Almas levadas pelas águas
A terra se manifestou
E os levou às suas sepulturas

Aqueles que não conseguirem se lembrar da última
Desaparecerão gradativamente, distantes
A distância fará o resto

As três cairão
Salve-nos da enchente
Arrastados pelas águas, nós nos afogamos

O Dragão acordou
Almas levadas pelas águas
A terra se manifestou
E os levou às suas sepulturas
O Dragão acordou
Na primeira luz do dia
A terra se manifestou
E no esmagamento eles se foram

As três cairão
Salve-nos da enchente
Arrastados pelas águas, nós nos afogamos
O Dragão acordou
Almas levadas pelas águas
A terra se manifestou
E os levou às suas sepulturas
Na destruição em massa
O portador mostra sua forma
Tecnologia, a besta
A sétima coroa

* The River Dragon = Referência ao Rio Yangtze, chamado de “O Dragão” pelos chineses. No período das enchentes, costuma-se dizer que “o dragão acordou”.

O Yangtze é uma espécie de berço da civilização chinesa, sendo o maior e mais importante rio do país. Apesar de ter sido um elemento fundamental para a civilização chinesa ao longo dos séculos, o Yangtze também trouxe destruição. Suas inundações arrasaram aldeias e cidades inteiras no século 20. Em 1931 estima-se que 3,7 milhões de pessoas tenham morrido afogadas na enchente. Em 1954 outras 30.000 pessoas morreram e mais de 19 milhões ficaram desabrigadas. Em agosto de 98 o rio inundou uma área do tamanho da Nova Zelândia, ferindo ou desabrigando cerca de 300 milhões de pessoas e custando à população mais de 30 bilhões de dólares, sendo a pior enchente dos últimos 44 anos.

Os chineses estão construindo neste rio, aquela que será a mais poderosa represa do planeta. Iniciada em 1994, terá ao todo um custo estimado de 24 bilhões de dólares e será a maior construção da história do país desde A Grande Muralha (há 2.300 anos). Quando finalizada, a represa - de aproximadamente dois quilômetros de comprimento e 186 metros de altura - fornecerá aos chineses quatro vezes mais energia do que qualquer outra estação do mundo. No horário de pico da produção, espera-se que as 26 turbinas gerem 18.200 megawatts de eletricidade - equivalente à produção de 18 usinas nucleares.

A China espera que esta represa, cuja construção está prevista para terminar em 2009, traga vários benefícios: salvar vidas e dinheiro, proteger a mais importante região agrícola do país, fornecer eletricidade para abastecer o crescimento industrial e diminuir a utilização de carvão (que causa doenças e polui o ar). Os críticos do projeto e os ambientalistas acreditam que a represa, batizada de Three Gorges (Três Gargantas), vai enterrar tesouros arqueológicos abaixo de seu reservatório, forçará os fazendeiros a se estabelecerem em terras improdutivas, acumulará limo e lodo que causará enchentes em outras partes do rio e poderá até desencadear terremotos ao pressionar a terra em uma linha falha da região.

Para maiores detalhes a respeito desta gigantesca obra, acesse: http://www.calendario.cnt.br/MARAVILHAS.htm

THE HEART COLLECTOR

To see the actor without tears
Dark rivers carved the years
Between the lines of self control
In my psychotic karmic fear
I own your tears anyway
And I am you and we are not afraid

And we won't be here for long
The heart collector sings his song
That's slowly boiling over

Nevermore to feel the pain
The heart collector sang
And I won't be feeling hollow for so long
Nevermore to feel the pain
The words fall out like fire
Just believe when you can't believe anymore

The stage is empty now
I hope we hold and cannot allow
The corrupt eclectic takes his fatal bow

And we won't be here for long
The heart collector sings his song again

Nevermore to feel the pain
The heart collector sang
And I won't be feeling hollow for so long
Nevermore to feel the pain
The words fall out like fire
Just believe when you can't believe anymore

O COLETOR DO CORAÇÃO

Para ver o ator sem lágrimas
Rios escuros esculpiram os anos
Em meio às entrelinhas do autocontrole
Em meu medo cármico e psicótico
Eu possuo suas lágrimas de todo jeito
E eu sou você e nós não estamos com medo

E não ficaremos aqui por muito tempo
O coletor do coração canta sua canção
Que ferve lentamente

Nunca mais sentir a dor
O coletor do coração cantou
E eu não estarei sentindo o vazio por um longo tempo
Nunca mais sentir a dor
As palavras caem como fogo
Só acredite quando você não puder mais acreditar

O palco está vazio agora
Eu espero que possamos resistir e não permitir (que)
O eclético corrupto faça sua reverência fatal

E não ficaremos aqui por muito tempo
O coletor do coração canta sua canção novamente

Nunca mais sentir a dor
O coletor do coração cantou
E eu não estarei sentindo o vazio por um longo tempo
Nunca mais sentir a dor
As palavras caem como fogo
Só acredite quando você não puder mais acreditar

ENGINES OF HATE

Can I be your personal demon
Sit back absorb the words
And feast on my mind’s semen
Can I be the devil on your shoulder
We all fall down as the world gets colder

I uncreate, I desecrate
I spit the truth into the engines of hate

Can I be your chemical pariah
The world's such an ugly
It seems useless sometimes trying
Will you watch the hate machine spin evil
Or will you look away and plead apathy again

I uncreate, I desecrate
I spit the truth into the engines of hate

We sing into the sky on the production line
We are the holy swine, impurity defined
You can't ignore us anymore
You cannot judge us anymore

The sheep are made to follow
Choke back the puke and swallow
The sheep are told to divide
The engines of hate still grind

I uncreate, I desecrate
I spit the truth into the engines of hate

MECANISMOS DO ÓDIO

Posso ser seu demônio pessoal?
Sente-se, relaxe e absorva as palavras
E desfrute no sêmen de minha mente
Posso ser o diabo no seu ombro?
Todos nós caímos enquanto o mundo se torna mais frio

Eu destruo, eu profano
Eu cuspo a verdade nos mecanismos do ódio

Posso ser sua pária química?
O mundo é algo feio
Ás vezes parece inútil tentar
Você assistirá a máquina do ódio tecer o mal
Ou desviará seu olhar e alegará apatia novamente?

Eu destruo, eu profano
Eu cuspo a verdade nos mecanismos do ódio

Nós cantamos no céu, na linha de produção
Nós somos os suínos sagrados, a impureza definida
Você não pode nos ignorar mais
Você não pode nos julgar mais

As ovelhas são criadas para seguir
Sufocar no próprio vômito e engolir
As ovelhas são ensinadas a dividir
Os mecanismos do ódio ainda trituram

Eu destruo, eu profano
Eu cuspo a verdade nos mecanismos do ódio

THE SOUND OF SILENCE

(Paul Simon, 1964)

Hello darkness, my old friend
I've come to talk with you again
Because a vision softly creeping
Left its seeds while I was sleeping
And the vision that was planted in my brain
Still remains
Within the sound of silence

In restless dreams I walked alone
Narrow streets of cobblestone
'Neath the halo of a street lamp
I turned my collar to the cold and damp
When my eyes were stabbed by the flash
Of a neon light
That split the night
And touched the sound of silence

And the people bowed and prayed
To the neon god they made
"Fools" said I, "You do not know
Silence like a cancer grows

And in the naked light I saw
Ten thousand people, maybe more
People talking without speaking
People hearing without listening

And the sign flashed out its warning
In the words that it was forming
"The words of the prophets
Are written on the subway walls
And tenement halls"
And whispered in the sounds of silence

"Fools" said I, "You do not know
Silence like a cancer grows
Hear my words that I might teach you
Take my arms that I might reach you"

O SOM DO SILÊNCIO

(Paul Simon, 1964)

Olá escuridão, minha velha amiga
Eu vim para conversar com você novamente
Por causa de uma visão que se aproxima suavemente
Deixou suas sementes enquanto eu estava dormindo
E a visão que foi plantada em minha mente
Ainda permanece
Entre o som do silêncio

Em sonhos agitados eu caminho só
Em ruas estreitas de paralelepípedos
Sob o halo de uma lamparina da rua
Virei minha gola para (proteger do) frio e umidade
Quando meus olhos foram apunhalados pelo flash
De uma luz de néon
Que rachou a noite
E tocou o som do silêncio

E as pessoas se curvaram e rezaram
Para o Deus de néon que elas criaram
“Tolos,” digo eu, “vocês não sabem
O silêncio como um câncer cresce

E na luz nua eu enxerguei
Dez mil pessoas, talvez mais
Pessoas conversando sem estar falando
Pessoas ouvindo sem estar escutando

E um sinal faiscou o seu aviso
Nas palavras que estavam se formando
“As palavras dos profetas
Estão escritas nas paredes do metrô
E nos corredores dos conjuntos habitacionais”
E sussurradas no som do silêncio

“Tolos,” digo eu, “vocês não sabem
O silêncio como um câncer cresce
Ouçam as palavras que eu posso lhes ensinar
Tomem meus braços que eu posso lhes estender”

INSIGNIFICANT

Ours is not to question the reasons why
Crippled indecision repeats the path
I once denied
Insignificant, am I?
The color of sundown of crimson sky
The beauty that breaks down
And gives the day unto the night

And then one day you'll realize
Just a speck in the spectrum*
Insignificant, am I?
And then one day you'll realize
The beauty that breaks down
Never knows the reason why

Scan my horizon as blue turns to black
The sky is gone again
And all beneath are born to die
Insignificant, am I?

And then one day you'll realize
Just a speck in the spectrum
Insignificant, am I?
And then one day you'll realize
The beauty that breaks down
Never knows the reason why

INSIGNIFICANTE

A nós cabe não questionar os motivos
A fraca indecisão repete o caminho
Que neguei uma vez
Insignificante, eu sou?
A cor do pôr-do-sol de um céu carmesim
A beleza que se destrói
E entrega o dia para a noite

E então um dia você perceberá
Só uma imagem na retina*
Insignificante, eu sou?
E então um dia você perceberá
A beleza que se destrói
Nunca sabe o por quê

Percorro meu horizonte enquanto o azul se torna negro
O céu se foi novamente
E tudo abaixo (dele) nasceu para morrer
Insignificante, eu sou?

E então um dia você perceberá
Só uma imagem na retina
Insignificante, eu sou?
E então um dia você perceberá
A beleza que se destrói
Nunca sabe o por quê

* Spectrum = do termo “ocular spectrum”. Imagem que persiste na retina mesmo depois de fechados ou desviados os olhos.

BELIEVE IN NOTHING

Into a strange new world, into the after
All your tears
Might find you've fallen too far
Take another look, take another ride
Can't we make them leave the hate behind

And I still believe in nothing
Will we ever see the shape of tomorrow?

Into the empty storm
Into the formless loss of hope
Where we can forget the game

And I still believe in nothing
Will we ever see the cure for our sorrow

Nothing is sacred when no one is saved
Nothing's forever so count your days
Nothing is final and no one is real
Pray for tomorrow and find your empty still

Nothing

ACREDITAR EM NADA

Em um estranho mundo novo, na posteridade
Todas as suas lágrimas
Poderiam julgar que você caiu longe demais
Dê outra olhada, dê outra volta
Não conseguimos fazer com que deixem o ódio para trás?

E eu continuo a não acreditar em nada
Nós sempre veremos a forma do amanhã?

Na tempestade vazia
Na amorfa perda de esperança
Onde podemos esquecer o jogo

E eu continuo a não acreditar em nada
Sempre veremos a cura para nossa aflição?

Nada é sagrado quando ninguém é salvo
Nada é para sempre então comece a contar seus dias
Nada é final e ninguém é real
Reze pelo amanhã e encontre seu vazio

Nada

DEAD HEART IN A DEAD WORLD

To see the last survivor fall
To see their bastards sons against the wall
To see the emptiness as we decay
I see the world is dead, I am betrayed

Dead heart in a dead world
Dead heart in a dead world

This rotten hole that I call home
Bled dry again
This lesion marked upon my soul
Left an empty hanging man

Across the fields, into the sea
To find the light from within
Out of this lake I've tried to crawl
I think I'm there and then again I fall
Again I fall

Burn your gods and kill the king
Subjugate your suffering
Dead heart in a dead world

We must remember wounds so deep
Take time to heal
And sometimes though we struggle still
Life seems surreal

Emotions turned to cold dead wood
Can still have life once more
The door that slammed upon your heart
Torn away, torn away

Burn your gods and kill the king
Subjugate your suffering
Dead heart, in a dead world
Burn your gods and kill the king
Subjugate your suffering
Dead heart, in a dead world
Dead heart, in a dead world

CORAÇÃO MORTO EM UM MUNDO MORTO

Para ver o último sobrevivente cair
Para ver seus filhos bastardos contra a parede
Para ver o vazio enquanto decaímos
Eu vejo que o mundo está morto, eu fui traído

Coração morto em um mundo morto
Coração morto em um mundo morto

Este buraco podre que chamo de lar
Sangrou ressecado novamente
Esta lesão marcada em minha alma
Deixou um homem vazio e suspenso

Através dos campos, em direção ao mar
Para encontrar uma luz interior
Para fora deste lago, eu tentei me arrastar
Acho que estou lá mas novamente eu caio
Novamente eu caio

Queime seus deuses e mate o rei
Subjugue seu sofrimento
Coração morto em um mundo morto

Devemos lembrar que feridas tão profundas
Levam tempo para curar
E às vezes embora ainda lutemos
A vida parece surrealista

As emoções tornaram-se inúteis
Ainda pode ter vida uma vez mais
A porta que bateu em seu coração?
Dilacerado, dilacerado

Queime seus deuses e mate o rei
Subjugue seu sofrimento
Coração morto em um mundo morto
Queime seus deuses e mate o rei
Subjugue seu sofrimento
Coração morto, em um mundo morto
Coração morto, em um mundo morto








Criado em 1996, Whiplash.Net é o mais completo site sobre Rock e Heavy Metal em português. Em março de 2013 o site teve 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas e 8.590.108 pageviews. Redatores, bandas e promotores podem colaborar pelo link ENVIAR MATERIAL no topo do site.

Esta é uma matéria antiga do Whiplash.Net. Por que destacamos matérias antigas?


  | Comentários:

Todas as matérias da seção Traduções
Todas as matérias sobre "Nevermore"

Nevermore: 15 anos do lançamento de "Dreaming Neon Black"
Warrel Dane: show no Rio de Janeiro será gravado
Warrel Dane: vocalista se apresenta no sul de Minas
Seventh Seal: banda fará a abertura para Warrel Dane em SP
Warrel Dane no RJ: vídeo-teaser para o evento
Warrel Dane: revelados músicos que o acompanharão pelo Brasil
Nevermore: Warrel Dane faz show no Rio de Janeiro
Seventh Seal: guitarrista toca "My Acid Words" do Nevermore
Nevermore: vocalista no Brasil em 2014?
Ashes Of Ares: ouça álbum de ex-membros do Iced Earth e Nevermore
Nevermore: ex-guitarrista Jeff Loomis pede doações
Nevermore: videos de clínica de Jeff Loomis na Turquia
Iced Earth: Matt Barlow monta nova banda
Jeff Loomis: nova faixa está disponível online
Nevermore: discurso "nunca diga nunca" reforçado por batera

Os comentários são postados usando scripts do FACEBOOK e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Pense antes de escrever; os outros usuários e colaboradores merecem respeito;
Não seja agressivo, não provoque e não responda provocações com outras provocações;
Seja gentil ao apontar erros e seja útil usando o link de ENVIO DE CORREÇÕES;
Lembre-se de também elogiar quando encontrar bom conteúdo. :-)

Trolls, chatos de qualquer tipo e usuários que quebram estas regras podem ser banidos sem aviso. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Fernando P. Silva

Fernando Silva é membro do Whiplash! e responsável pela seção de traduções. Colaborando com o site há mais de 5 anos, é quem organiza e revisa todas as traduções que são publicadas nesta seção, contando também com o auxílio de amigos e colaboradores do site. Eclético, curte desde o blues e um bom rock n' roll até o melhor do hard e do heavy, sendo o Metallica (até a eternidade) sua banda preferida. Correções de material postado anteriormente, críticas ou sugestões para novas traduções podem ser feitas através do contato direto com o autor. Email: [email protected].

Mais matérias de Fernando P. Silva no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

QUEM SOMOS | ANUNCIAR | ENVIAR MATERIAL | FALE CONOSCO

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em março: 1.258.407 visitantes, 2.988.224 visitas, 8.590.108 pageviews.


Principal

Resenhas

Seções e Colunas

Temas

Bandas mais acessadas

NOME
1Iron Maiden
2Guns N' Roses
3Metallica
4Black Sabbath
5Megadeth
6Ozzy Osbourne
7Kiss
8Led Zeppelin
9Slayer
10AC/DC
11Angra
12Sepultura
13Dream Theater
14Judas Priest
15Van Halen

Lista completa de bandas e artistas mais acessados na história do site

Matérias mais lidas