Kid Vinil: "nem só dos Beatles vivia a Apple"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Emanuel Seagal, Fonte: Yahoo!
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 02/09/10. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O músico, radialista e ex-VJ KID VINIL, escreveu em sua coluna no Yahoo! sobre a Apple. Confira abaixo alguns trechos da matéria.

Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraKiss: as mulheres da vida de Paul Stanley

Em 1968, os Beatles fundaram sua própria empresa, a Apple Corps. Apesar da gravadora ter ficado famosa, ela era só uma divisão dessa enterprise criada pelo grupo, que não pretendia só lançar discos, mas também trabalhava com cinema, moda e artigos eletrônicos. Muitos se referem à Apple como uma das maiores loucuras feitas pelos Beatles. Diante de todas as pirações, disputas, brigas por direitos autorais, o que realmente sobreviveu foi a obra dos Beatles e a memória dos grandes artistas da música pop que o selo Apple lançou.

Até hoje nunca me esqueço da primeira vez que vi um disquinho com o famoso logo da maçã verde, que virou a marca registrada da Apple. Era o compacto de Hey Jude, dos Beatles, lançado em 1968, que meu professor de educação artística levou pra aula. Naquele instante minha vida mudou. Hoje, ouvindo a canção, meus olhos se enchem de lágrimas ao recordar a emoção daquele momento tão especial. Minha nossa! E o lado B do compacto era “Revolution”, naquele instante parecia que o mundo ia acabar. Fiquei fascinado com aquele layout, uma capinha preta contrastando com as fotos da maçã no rótulo do disco. No lado A do disquinho uma foto da maçã esverdeada. No lado B a maçã cortada ao meio.

Na minha opinião, esse é o selo mais maravilhoso e cativante da história da música. Se a história da humanidade começou com Adão e Eva e uma maçã, a história do rock e da música pop também teve uma maçã e com a embalagem mais atraente que eu já vi. Nem sempre a maçã teve a mesma cor, mas em alguns casos ela ficava vermelha, como foi na edição norte-americana do álbum Let It Be dos Beatles. Nos discos solo dos integrantes da banda também a maçã mudava de cor e de design constantemente, mas a essência da grande obra dos Beatles prevaleceu e perdurou como feitiço e encanto. Igualzinho aquela história do processo de sedução da cobra e a maçã no paraíso.

Confira a matéria no link abaixo.

Quer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Beatles
A ocasião em que Ringo Starr saiu da banda

Assalto em Niteroi: A inacreditável manchete do Meia-HoraFloyd, Beatles, Dylan: não gostariam de começar a carreira hojePaul McCartney: K7 exclusivo será lançada na Record Store DayBeatles: a história do integrante temporário vai virar filmeBeatles: "Sgt Peppers" ganha edição de 50 anos com faixas extrasTodas as matérias e notícias sobre "Beatles"

John Lennon
10 coisas que você não sabia sobre o Beatle

The Beatles
Banda foi vetada pela CBF na Copa de 66, diz Pelé

1966
Diversos grupos no caminho que levaria à psicodelia

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Beatles"Todas as matérias sobre "Kid Vinil"

Kiss
As mulheres da vida de Paul Stanley

Tradução
O clássico primeiro álbum do Black Sabbath

AC/DC
Phil Rudd quebra silêncio sobre prisão e saída do grupo

Donald Trump: "famosa banda de rock" pediu mais de US$1 milhãoHangar: Pesada troca de críticas entre Aquiles Priester e ex-vocalistasEnjaulados: Os crimes mais chocantes da história do rockDream Theater: Petrucci comenta influência de David GilmourCreed: suicídio, alcoolismo e abuso na infânciaRock in Rio: a Cidade do Rock que a TV não mostrou, parte 2

Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

Link que não funciona para email (ignore)

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online