Guns N' Roses: Axl Rose mostra que ainda é um "cabra da peste"

Resenha - Guns N' Roses (Centro de Eventos do Ceará, Fortaleza, 17/04/2014)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Victor Barros
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Um show que realmente vai ficar para a história de Fortaleza, o GUNS N’ ROSES emocionou a multidão que veio a Centro de Eventos neste dia 17 de Abril. Se não fosse pela falta de experiencia das produtoras com shows do genero, e a banda de abertura, 085, que encantou o público até o momento em que seu vocalista começou a cantar suas primeiras estrofes, e que após as primeiras músicas a produção pediu que a banda saísse do palco, e o mais triste foi ver o vocalista que implorava por “só mais uma música, só mais uma música” mas que não foi atendido.

2497 acessosGuns N' Roses: eles estão apenas começando...5000 acessosRob Halford: seu álbum preferido do Black Sabbath

Já o GUNS N’ ROSES, que incrivelmente começou seu show com apenas 15 minutos de atraso, empolgou o público até mesmo enquanto os seus roadies montavam seus instrumentos. Aos primeiros sons da abertura “True Detective” a plateia urrava em euforia e quando o Frank Ferrer, o primeiro integrande do GUNS N’ ROSES a subir no palco, sentou em sua bateria simplesmente não ouviasse mais nada além dos gritos da multidão.


Dj Ashba logo embalou os primeiros riffs de Chinese Democracy que veio como um tapa na cara dos que ainda estavam céticos com a qualidade da banda atual. A banda inteira estava muito animada e o calor da multidão passava para a banda que se mostrava cada vez mais empolgada, o que ficou bem visível quando vieram clássicos como “Welcome to The Jungle” , “It’s So Easy” e “Mr. Brownstone” porém visivelmente incomodado com alguma coisa (provavelmente o calor que os aparelhos de ar-condicionado no local não tinham capacidade para suportar) Ron Bumblefoot Thal deixou o palco em meados de “Estranged” o que deixou a maioria dos fãs preocupados, pois ninguém sabia o que tinha acontecido.

E o show veio seguindo de clássico em clássico até que Axl Rose anuncia Duff McKagan que põe mais “lenha na fogueira” quando começa sua performance de “Attitude” e logo após canta “You can't put your arms around a memory” e “Raw Power”.

Bumblefoot voltou para uma incrível performance de Axl Rose nos vocais de “My Michelle” e o show se seguiu e a plateia não parou de vibrar um instante mesmo com as músicas mais melancólicas como “Don’t Cry”. O único momento de um pouco de descanso era nas intermináveis jam’s que a banda fazia quase que entre uma música e outra.

Após quase 3 horas de show, os sagrados papeis vermelhos começaram a aparecer enquanto Axl urrava “Paradise City” de uma forma impressionante e mostrava toda a sua capacidade vocal contradizendo os que ainda teimam em falar mal do GUNS N’ ROSES.


Por fim, Axl veio a frente do palco e agradeceu a toda a banda, os membros da equipe, aos fãs, no Brasil, e a Fortaleza “Thank you very, very, very, very, very, fuking much”. Todos vieram a frente do palco agradecer e mais uma vez Bumblefoot não apareceu no palco.

Alguns fãs ainda estavam sem acreditar no espetáculo que acontecerá ali quando a banda saiu do palco e as luzes se acenderam no fim do último show da South American Tour.

Setlist final:

1 - Chinese Democracy
2 - Welcome to the Jungle
3 - It's So Easy
4 - Brownstone
5 - Estranged
6 - Rocket Queen
7 - Nice Boys
8 - Used to love her
9 - Attitude
10 -You can't put your arms around a memory / Raw Power
11 - My michelle
12 - Better
13 - Fortus Solo
14 - Live and Let Die
15 - This I Love
16 - Band introductions / Dizzy solo
17 - Catcher in the Rye
18 - You could be mine
19 - Dj Ashba Solo
20 - Sweet Child o' mine
21 - Jam/November Rain!
22 - Abnormal
23 - Don't Cry
24 - Civil War
25 - Knockin' On Heaven's Door
26 - Jam/Nightrain

Encore:
27 - Jam/Patience
28 - The Seeker
29 - Jam/Paradise City

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Guns N' Roses (Centro de Eventos do Ceará, Fortaleza, 17/04/2014)

5000 acessosGuns N' Roses: Revólveres carregados no melhor show da turnê

Guns N RosesGuns N' Roses
Eles estão apenas começando...

520 acessosBlend Guitar: grandes solos usando pedal Wah0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

Guns N RosesGuns N' Roses
Em 1985, desconhecidos, tocando "Don't Cry" em bar

SlashSlash
"Não entendo a histeria sobre o Guns N' Roses"

Por um trizPor um triz
Quando por pouco a história do Rock não foi a mesma

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 19 de abril de 2014
Post de 20 de abril de 2014
Post de 22 de abril de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"

Rob HalfordRob Halford
Vocalista comenta seu álbum preferido do Black Sabbath

SlayerSlayer
Tom Araya revela seus ídolos do baixo

Top 5Top 5
Os roqueiros mais chatos da história

5000 acessosLemmy: "as pessoas se tornam melhores quando morrem"5000 acessosAs I Lay Dying: "90% das bandas gospel fingem fé pra vender mais"5000 acessosAxl: chatice e as estranhas festas para impressionar o Metallica5000 acessosAtaques em Paris: Mortos e reféns em show do Eagles Of Death Metal5000 acessosDeep Purple: Análise técnica da voz de Ian Gillan5000 acessosRaul Seixas, Paulo Coelho, a Sociedade Alternativa & a Lei de Thelema

Sobre Victor Barros

Cearense, 16 anos, ator, ex-músico (por falta de talento), roqueiro de berço, influenciado pela mãe a ouvir o Hard Rock do Bon Jovi e Guns N' Roses. É diretor da Cia de Teatro de sua cidade. Fundou o V. B. Communities e o atual Falando D Rock.

Mais matérias de Victor Barros no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online