Helloween e Gamma Ray: Grande celebração ao metal alemão

Resenha - Helloween e Gamma Ray (Fundição Progresso, Rio De Janeiro, 30/11/2013)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ulisses Araujo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Na noite de sábado na fundição progresso exatamente as 20:00 começou uma verdadeira celebração ao metal alemão, que para muitos (inclusive o que vos escreve) e uma das melhores cenas de metal do mundo, com várias bandas que ficaríamos muito tempo para citar aqui nesse espaço.

774 acessosMasterplan: ouça recriação de "Escalation 666" do Helloween5000 acessosNirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Vamos ao que interessa, logo na primeira música este ainda adentrava a fundição progresso devido à pontualidade germânica, mas mesmo de longe devido ao bom sistema de som que foi colocado eu consegui ouvir uma boa execução da abertura com “Welcome”, logo depois já melhor colocado na platéia deu para acompanhar a próxima canção, com a clássica “Anywhere in the Galaxy” , que foi cantada a todo vapor por todos com muita emoção, vale também registrar a simpatia do grande Kai Hansen, que com certeza estava muito animado pela recepção da platéia carioca e já mandou outra de seu ótimo set list “Men, Martians and Machines”, que já indicava que a noite prometia.

E assim continuou, “The Spirit” e “Master of Confusion” amaciaram o terreno para o petardo que viria depois, “Rebellion in Dreamland” foi o ápice do show com certeza, inflamando de vez a galera que cantava junto a cada verso da musica, destaque se o ótimo baixista Dirk Schlächter que tocou com uma pegada monstruosa mostrando muito virtuosismo, não diferente de seus atuais companheiros, o guitarra Henjo Richter, e o mais novo da banda o baterista Michael Ehré que não deixou saudades do antigo baterista Dan Zimmerman.

O show continuava com “Dethrone Tyranny” , “Empathy” e “Rise” , que são ótimas canções da banda, mas nada comparado a surpresa que viria de uma outra banda que Kai Hansen conhece muito bem, ele seus comandados puxaram a clássica “Future World” do Helloween do disco “Keeper of the seven keys parte 1”, que realmente marcou a sua apresentação, e ainda teve tempo para fechar com “To the Metal” e Send Me a Sign” do seu penúltimo álbum “To te metal!!”, enfim, não teria ninguém melhor para abrir para os pais do Power metal do que um de seus fundadores e sua ótima banda.

E enfim chegou a hora, a grande atração da noite já anunciava a sua entrada quando nos alto-falantes da casa entoou o clássico do AC/DC “For Those About To Rock (We Salute You)”. Logo em seguida começa a já tradicional abertura “Walls of Jericho” de seu primeiro disco de mesmo nome, e já surge no palco o Helloween com seu impactante vocalista Andi Deris, já com sua manjada camisa do Gene Simmons (mesma utilizada no Rock In Rio), com todo seu carisma já emenda a maravilhosa “Eagle Fly Free” , que foi cantanda por um mar de camisas pretas a plenos pulmões.

Logo em seguida vieram com “Nabataea” e “Straight Out of Hell”, que causaram um bom impacto no público apesar das duas serem de seu mais recente trabalho “Straigth Out of Hell” (2013), mostraram ser canções que funcionam muito bem ao vivo.

Deris e sua trupe continuaram com “Where the Sinners Go”, de seu penúltimo disco “7 Sinners” (2010) e já retornando a seu trabalho atual com “Waiting for the Thunder” outra muito bem recebida pelos que ali estavam, e para fechar a primeira parte do show a escolhida foi “Hell Was Made in Heaven”, do disco “Rabbit Don’t Come Easy” (2003).

Em seguida veio aquela parte do show que esse que vos escreve acha totalmente dispensável, o solo de bateria, o que claro não tira o mérito da boa execução de Dani Loble, que se mostrou um ótimo baterista, com muito bumbo duplo, pegada e velocidade.

Seguindo com o show veio um dos grandes momentos da noite, a clássica “I'm Alive”, que foi tocada com maestria pelo quinteto alemão, valendo destaque para o sempre competente guitarrista Michael Weikath, com solos com muita velocidade e precisão, não podemos esquecer do baixista Markus Grosskopf, que não diferente de seu companheiro mandou muito bem em suas linhas.

A próxima música confesso que causou surpresa “Where the Rain Grows” , do grande álbum “Master of the Rings”(1994), o primeiro com Andi Deris à frente da banda. Surpreendendo pois achava que a música escolhida para representar esse disco seria “Sole Survivor” um hino da banda dessa fase com Andi Deris como seu vocalista, mas tudo bem, faz parte do show.

O show continuava quando surgiu mais uma do disco novo da banda “Live Now!” , e logo em seguida “If I Could Fly” do álbum “Tha Dark Ride” (2000), que aqueceram a platéia para o que viria de melhor “Power” do místico “The Time of The Oath” (1996), que chegou para os mais saudosistas ficarem emocionados, fechando assim a segunda parte do show.

O quinteto germânico não estava para brincadeiras, vieram para o bis mesclando de novo suas varias fazes “Are You Metal?” e “ Dr. Stein” , a primeira de um disco mais recente “7 Sinners” (2010) e a segunda, indo lá atrás no clássico “Keeper of Seven Keys Part 2”.

Infelizmente ia dando sinais que a festa estava se aproximando do fim, mas não poderia terminar sem um grande final, assim começaram um medley com a épica “Halloween”, seguida pela maravilhosa “How Many Tears” e fechando com “Heavy Metal (Is the Law)”, com direito a essa altura do mestre Kai Hansen já dividindo vocais com Andi Deris emocionado a todos os presentes ali. “I Want Out” fechou o show com chave de ouro, com as duas atrações juntas no palco, enfim..., uma grande celebração ao metal alemão, sorte dos que viram.

Set-list Gamma Ray:

Welcome
Anywhere in the Galaxy
Men, Martians and Machines
The Spirit
Master of Confusion
Rebellion in Dreamland
Dethrone Tyranny
Empathy
Rise
Future World (Helloween)
To the Metal
Encore:
Send Me a Sign

Set-list Helloween:

* For Those About To Rock (We Salute You) – AC/DC

Walls of Jericho
Eagle Fly Free
Nabataea
Straight Out of Hell
Where the Sinners Go
Waiting for the Thunder
Hell Was Made in Heaven
Drum Solo
I'm Alive
Where the Rain Grows
Live Now!
If I Could Fly
Power
Encore:
Are You Metal?
Dr. Stein
Encore 2:
Halloween / How Many Tears / Heavy Metal (Is the Law)
(with Kai Hansen) (With bass solo by Markus Grosskopf)
I Want Out
(with Gamma Ray)
A Tale That Wasn't Right (Unarmed Version)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Helloween e Gamma Ray (Fundição Progresso, Rio De Janeiro, 30/11/2013)

923 acessosHelloween e Gamma Ray: um "revival" no atual giro dos alemães

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MasterplanMasterplan
Lyric video de "The Chance", do Helloween

774 acessosMasterplan: ouça recriação de "Escalation 666" do Helloween1179 acessosHelloween: banda russa com nome esquisito faz cover em russo1526 acessosHansen & Friends: veja vídeo com cover de "Save Us", do Helloween1097 acessosUnisonic: CD e DVD "Live in Wacken" sai em julho805 acessosEm 29/05/2015: Helloween lança o álbum My God-Given Right0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Helloween"

Mascotes do MetalMascotes do Metal
Os dez maiores segundo The Gauntlet

AlemanhaAlemanha
Dez das melhores bandas do país

HalloweenHalloween
Dez clássicos do Heavy Metal para curtir a data

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Helloween"0 acessosTodas as matérias sobre "Gamma Ray"

NirvanaNirvana
"Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Black Label SocietyBlack Label Society
O assassinato atribuido à "seita" de Zakk Wylde

Rede GloboRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

5000 acessosSarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito mais5000 acessosA História Impopular dos Rolling Stones - Livro 1 - Brian Jones5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal2185 acessosMetalblade: os 30 melhores lançamentos dos 30 primeiros anos5000 acessosVan Halen: o típico vocabulário da era David Lee Roth5000 acessosStones: alguém gritou "fora Dilma", alguém tomou as dores e começou a discussão

Sobre Ulisses Araujo

Ulisses Araujo é um carioca da gema, amante do melhor estilo musical já criado em todos os tempos, mas voltado para o Heavy Metal e os Clássicos do Rock dos anos 60, 70,80 e 90. DJ Nas horas vagas, e agora um dos colaboradores do Whiplash. Tudo começou no final dos anos 90, quando uma dupla de irmãos apresentou dois discos: "Better Than Raw", do HELLOWEEN, e o outro foi o primeiro disco do THE DOORS, aí começou toda a loucura.

Mais matérias de Ulisses Araujo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online