Resenha - Full of Hate Tour (Münchenbryggeriet, Estocolmo, Suécia, 27/02/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Petri da Costa
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Cannibal Coprpse, Behemoth, Legion of the Damned, Misery Index, Suicidal Angels e Nexus Inferis se juntaram para participar da Full of Hate Tour, que passou por alguns países da Europa como Alemanha, França, Itália, Holanda, Suécia e mais outros durante 1 mês. Era uma oportunidade única para muitos fãs e obviamente muitos shows dessa turnê foram sold out.

Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilCapas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos

Esse show em Estocolmo, um dos últimos dessa turnê, não foi sold out, mas o clube estava quase lotado. Talvez por ser começo de semana, as portas abriram já as 17h (!) e o Nexus Inferis já tocava apartir das 17.45. Nessa hora não havia muitos dentro ou assistindo a banda que estava divulgando o debut "A Vision of the Final Earth". O pessoal parecia mais interessado em dar uma olhada na merchandise das bandas do que curtir o death/black do Nexus Inferis. A recepção foi um tanto fria, mas era de esperar já que a banda ainda é novata e muitos nem sabiam quem eles eram.

Um pouco depois veio o Suicidal Angels com seu thrash metal. Os gregos têm conquistado muito espaço na mídia e com fãs recentemente e eu esperava que o público (nessa hora em maior número) iria receber de forma insana a banda, porém isso não aconteceu. A banda, nos seus 30min. de show, foi muito boa, era música ápos música, rápido e pesado. O vocalista/ guitarista Nick tentava pedir pro público abrir um mosh pit durante as músicas mas o pessoal ficava simplesmente olhando a banda, deixando Nick sem entender. Quando tocaram a última, "Moshing Crew", Nick pediu um wall of death e finalmente consegui participação do público.

Em seguida vinha o Misery Index e era notável um número maior de fãs perto do palco. Com já 10 anos de existência e muitos fãs presentes no show, o Misery Index foi a primeira banda da noite a realmente levantar o público, que até então parecia entediado. Era impossível ficar parado ao escutar músicas como "You Lose", "The Great Depression", "The Spectator" e outras. O guitarista/vocalista Mark Kloeppel até agredeceu o público por ter acordado. A banda fechou o show com "Traitors" e provou mais uma vez que eles estão entre as melhores bandas ao vivo hoje em dia.

Era então a vez do Legion of the Damned e seu primeiro show na Suécia. Os fãs suecos ficaram extremamente felizes que a banda finalmente tocou por aqui e nos 45min. de show fizeram uma boa mescla de músicas mais antigas como "Legion of the Damned", "Malevolent Rapture" e algumas mais novas: "Cult of the Dead" e "Night of the Sabbath", entre outras.

O Behemoth, um dos headliners dessa turnê, foram o que tiveram mais apelo visual entre as bandas. A banda tinha um sistema de luz adicional, tinha 3 (!) backdrops que mudaram durante os 60min. de show e outros detalhes. Talvez tudo isso era como uma grande demonstração que a banda está mais viva do que nunca.Foi ótimo ver Nergal em ótima forma, apesar de um tanto magro (um dos efeitos depois de tudo que ele passou em 2010), mas cheio de energia e carisma. Apesar do Cannibal Corpse estar fechando todas as noites desta turnê, aqui em Estocolmo parecia que o Behemoth era a banda principal e a banda fez um show memorável.

Já era 23h e chegava a vez do Cannibal Corpse fechar essa noite extremamente pesada. O show deles, tanto no aspecto visual como sonoro, foi o oposto do que o público presenciou no show do Behemoth. Era só um backdrop com o logo da banda, que entrou sem nenhuma intro ou coisa parecida, e mandou por 60min. porrada atrás de porrada. Os mosh pits ficaram mais violentos, e em algum momento um certo "fã" até jogou uma garrafa (plástica) de cerveja no vocalista George "Corpsegrinder" Fisher, que ficou enfurecido com isso. Para risada geral, ele dedicou "Fucked with a Knife" para as garotas presentes e para a "garota" que jogou a cerveja nele. O show ainda contou com duas músicas novas: "Demented Aggression" e "Scourge of Iron".

Foi uma maratona incrível de bandas, uma ideía que espero que seja repetida (com outras bandas também) e que chegue à outros países.

Behemoth setlist:

Ov Fire and the Void
Demigod
Moonspell Rites
Conquer All
Diableria (The Great Introduction)
The Thousand Plagues I Witness
Alas, Lord Is Upon Me
The Seed ov I
Decade of Therion
At the Left Hand ov God
Slaves Shall Serve
Chant for Eschaton 2000

Bis:
23 (The Youth Manifesto)
Lucifer

Cannibal Corpse setlist:

Evisceration Plague
The Time to Kill is Now
Disfigured
Demented Aggression
Scourge of Iron
I Cum Blood
Fucked With a Knife
Covered With Sores
Born in a Casket
The Wretched Spawn
I Will Kill You
Priests of Sodom
Unleashing the Bloodthirsty
Make Them Suffer
Hammer Smashed Face
Stripped, Raped and Strangled



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Cannibal Corpse"Todas as matérias sobre "Behemoth"Todas as matérias sobre "Legion Of The Damned"


Cannibal Corpse: clássico disco Torture é relançado em versão deluxe no BrasilCannibal Corpse: álbum "Torture" é relançado em versão deluxe no Brasil

Cannibal Corpse: Saiba como é dentro de um circle pitCannibal Corpse
Saiba como é dentro de um circle pit

Pantera: Cowboys From Hell em versão para pianoPantera
"Cowboys From Hell" em versão para piano

Metal Hammer: dez capas que provocam ânsia de vômitoMetal Hammer
Dez capas que provocam ânsia de vômito


Capas: 10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhosCapas
10 das mais belas feitas por artistas dos quadrinhos

Ozzy Osbourne: tudo que você sempre quis saber sobre eleOzzy Osbourne
Tudo que você sempre quis saber sobre ele

Ozzy Osbourne: dando chega mais em Mônica Apor na coletivaOzzy Osbourne
Dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva

Megadeth: Pepeu Gomes comenta convite para tocar na bandaMetal: Gibson.com enumera 50 melhores músicas do gêneroUnisonic & Edguy: Michael Kiske trollando Tobias SammetGuns N' Roses: "último show foi em 1990", diz ex-empresário

Sobre Petri da Costa

Fanático por cinema e música, colaborou como correspondente na Finlândia para a RockHard-Valhalla de 2002 até 2008, escrevendo reviews de shows e cds. Tem colaborado com a whiplash desde 2007.

Mais matérias de Petri da Costa no Whiplash.Net.