Sonata Arctica: paixão do público comprovada em São Paulo

Resenha - Sonata Arctica (Carioca Club, São Paulo, 30/10/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Luciano Correa
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Mesmo com a chuva, a fila tomou conta do lado de fora do Carioca Club. Por volta das 17h a entrada foi liberada, e os fãs mais ardorosos puderam entrar e se concentrar na grade em frente ao palco. Logo toda a pista e o camarote estavam lotados à espera do grande show do SONATA ARCTICA. O palco era um tanto quanto pequeno (o pano de fundo da banda mal cabia), porém suficiente para acomodar o grupo e criar um clima de proximidade com os fãs.

423 acessosSonata Arctica: Cobertura e galeria de fotos do show em São Paulo5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine

A paixão do público pela banda finlandesa pode ser comprovada nessa terceira passagem pelo país, cuja turnê divulgou o último trabalho "The Days of Grays". Sua formação atual é composta por Tony Kakko (Vocal), Elias Vilijanen (Guitarra), Henrik Klingeberg (Teclado), Marko Paasikoski (Baixo) e Tommy Portimo (Bateria).

Enquanto o show não começava o telão da casa transmitia Santos x Inter-RS para o delírio de alguns presentes mais fanáticos por futebol. Depois de algum tempo do término da partida e de muito JOE SATRIANI e outras músicas instrumentais (que cansaram o público), o telão começou a subir e os gritos dos fãs tomaram conta do ambiente.

Por volta das 19h25 as luzes foram apagadas e a intro "Everything Fades To Gray" começou a tocar, enlouquecendo os fãs. A banda surgiu ao palco e abriu o show com a poderosa "Flag in the Ground", uma excelente música do ultimo disco, seguida de "Black Sheep", um clássico já conhecido. A sequência seguinte foi para ninguém ficar parado: "The Last Amazing Grays", "Juliet", com direito a uma bela interpretação de Tony que se ajoelhou durante parte da música e praticamente foi as lágrimas e "8th Commandment", do começo da carreira. Para recuperar as energias foi executada a balada "As if The World Wasn't Ending". Em seguida vieram "Paid in Full", com sua melodia cativante, o hino "Tallulah", cantada a plenos pulmões pelos fãs e "In Black & White", faixa que foge um pouco ao estilo Sonata mas ainda assim é uma boa música.

Após essa primeira parte repleta de baladas e clássicos, foi a vez do guitarrista Elias mostrar porque está em uma das melhores bandas de power metal atual, e dominar a guitarra com a execução de "Liberty" de STEVE VAI, realizada com muita técnica. Em seguida, Elias e Henkka (nos teclados), duelaram para saber quem solava melhor e tirava mais gritos e aplausos dos presentes. A execução de Tommy na bateria, e Marko no baixo também foram perfeitas. A banda retornou para tocar "The Dead Skin", mais uma do último lançamento e "The Cage", poderosa música do albúm de 2003.

O vocalista Tony Kakko foi um show a parte. Muito carismático, comunicativo e brincalhão, interagiu com a banda toda - brincou com o Henkka, pegou uma palheta e tocou a guitarra enquanto Elias fazia os acordes, bateu nos pratos do Tommy e riu muito junto com Marko. Para complementar seu show ele pegou um baquinho e munido de um par de baquetas, usou a platéia como instrumento para tocar “We Will Rock You”, sucesso do QUEEN. Dividiu a platéia em 3 grupos, onde cada parte fazia uma batida da bateria enquanto ele tocava no ar e cantava, acompanhado pelo restante da banda. Foi uma ótima interação com a platéia, preparando-a para o fim do show.

Em tom de despedida, foi anunciada "Fullmoon", faixa do excelente álbum de estréia, e mais uma vez, os fãs não pouparam esforços para cantar e agitar durante a música toda. "Don't Say a Word", outra das antigas, veio em seguida, e, para fechar o set-list da banda, executado com maestria, a tradicional "Vodka (Hava Nagila)", na qual Tony chamou todos para cantar. Ao som de "Everything Fades To Gray (Outro)" a banda se despediu dos fãs, que ficaram satisfeitos com o curto, porém poderoso show, e que naturalmente, vão aguardar pelo lançamento de um novo trabalho, e mais uma turnê por terras brasileiras.

Set List:
1. Everything Fades To Gray (Intro)
2. Flag In The Ground
3. Black Sheep
4. The Last Amazing Grays
5. Juliet
6. 8th Commandment
7. As If The World Wasn't Ending
8. Paid in Full
9. Tallulah
10.In Black and White
11.The Dead Skin
12.Solos (Guitarra e Teclado)
13.The Cage

Encore:
14.We Will Rock You (Queen cover)
15.FullMoon
16.Don't Say A Word
17.Vodka (Hava Nagila)
18. Everything Fades To Gray (Outro)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Sonata Arctica (Carioca Club, São Paulo, 30/10/2010)

2161 acessosSonata Arctica: em São Paulo, os clássicos valeram o show

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

423 acessosSonata Arctica: Cobertura e galeria de fotos do show em São Paulo659 acessosSonata Arctica: Veja como foi o show em São Paulo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sonata Arctica"

Sonata ArcticaSonata Arctica
"Achavam que éramos os caras do Guns"

Depeche ModeDepeche Mode
5 belos covers feitos por bandas de Rock e Metal

Baladas do MetalBaladas do Metal
Blog elege as mais bonitas de todos os tempos

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Sonata Arctica"

MegadethMegadeth
As 10 maiores tretas da história de Dave Mustaine

IntrigasIntrigas
Bandas em família que terminaram mal

SlayerSlayer
Kerry King comenta Grammy, Venom, Dimebag, e mais...

5000 acessosContra-baixo: as melhores introduções do Heavy Metal5000 acessosGaleria de fotos: 13 motivos para gostar de Rock N Roll5000 acessosGuitarristas: os 10 maiores de todos os tempos segundo a Time5000 acessosCopa do Mundo: Mojo elege as 15 canções mais incríveis do Brasil5000 acessosSlash: irmão diz que Axl é um bastardo gordo e reunião é besteira3596 acessosGuitarras: os 25 melhores riffs para iniciantes

Sobre Luciano Correa

Colaborador do Whiplash e apreciador de várias vertentes do Rock/Metal. Começou cedo ouvindo Queen, Nazareth e RPM no velho toca discos dos pais. Escutou muito Guns N' Roses, Bon Jovi, Scorpions, Metallica, Iron Maiden e Sepultura até descobrir Helloween, Blind Guardian e Gamma Ray. Ainda nesse meio tempo começou a ouvir Ramones, Misfits, Offspring, Angra, Rhapsody, Hammerfall, Stratovarius, Manowar, Motörhead, Pantera e Slayer para fechar a década de 90. No começo dos anos 2000, incluiu em sua lista bandas como Nightwish, Sonata Arctica, Within Temptation, System Of A Down, Rammstein, Dimmu Borgir, Cradle of Filth e atualmente - últimos 5 anos, tem escutado muito Children Of Bodom, Katatonia, Alestorm, Eluveitie, entre tantas outras. Rock/Metal é barulho para alguns e estilo de vida para tantos outros!

Mais matérias de Luciano Correa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online