Sebastian Bach: músico finaliza show impressionado, em SP

Resenha - Sebastian Bach (Palestra Itália, São Paulo, 13/03/2010)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Adriana Farias
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.







Para a abertura dos shows da “Chinese Democracy World Tour”, do GUNS N’ ROSES, nada mais certeiro do que a escolha do músico e amigo de longa data de Axl Rose, SEBASTIAN BACH, ex-frontman do SKID ROW. O músico se apresentou para 38 mil fãs, na noite de sábado, 13, no Palestra Itália, em São Paulo.

Fotos: Marcelo Rossi (cedidas pela T4F)

Sem perder tempo, Sebastian Bach deu início ao show com a explosiva “Slave To The Grind”, do disco homônimo à música, lançado em 1991. Com um álbum mais pesado, ele consolida o SKID ROW na cena hard rock mundial. O trabalho rendeu, na época, a abertura para a turnê de “Use Your Illusion” do GUNS N’ ROSES nos Estados Unidos, Canadá e Europa.

Além da atual beleza física, que ajudou no arrebatamento do público feminino, o eterno líder do SKID ROW ainda mantém uma voz incrivelmente potente. O vocal em “Back In The Saddle” (cover AEROSMITH), “Big Guns” e “Here I Am” são exemplos da atual vitalidade desse artista que agradece, num português enrolado, pelo retorno ao país. “Nós estamos muito felizes de estar aqui. Hoje, São Paulo é a capital do rock! Nós esperamos muito tempo para tocar por aqui”.

Para fazer jus ao palco decorado com a imagem do excelente disco solo “Angel Down” (2007), Sebastian emenda “Stuck Inside” para, na seqüência, estourar com “Piece Of Me”, um dos hits do estreante “Skid Row” (1989), disco que já vendeu mais de 6 milhões de cópias em todo o mundo.

Erguendo uma bandeira do Brasil, Sebastian despeja a balada delirante “18 and Life”, de sua ex-banda, e emenda as novas composições “American Metalhead”, que se transforma em “Brazilian” Metalhead com a ajuda de um cartaz jogado pelo público, e “Stabbin’ Daggers” é iniciada a todo vapor. “Sai do chão, São Paulo! e “Tira o pé do chão!”, é berrado pelo vocalista e o público atende imediatamente ao pedido.

Com a ajuda do guitarrista jovem e um tanto tímido Nick Sterling, Sebastian introduz a balada calibrada “In a Darkned Room” para ensandecer o público feminino paralisado na grade do palco com a beleza e perfomance do vocalista.

Correndo de um lado para outro, usando um microfone com cabo para poder rodopiá-lo e fazer malabarismos, Sebastian se irrita com a equipe do palco. “Você tem que ficar mais ligado!” – reclama com o roadie que não consegue desenrolar o cabo para que Sebastian possa correr de uma extremidade a outra do palco.

Tirando o leve desentendimento, “Monkey Business” é a próxima a esquentar a noite com o ex-frontman do Skid Row trocando de blusa a vista do público. A inscrição “Sebastian – Tião”, numa camiseta da seleção brasileira, foi confeccionada por duas fãs. Elas entregaram o modelito especial, em Brasília, a partir daí o músico passou a usá-lo em todas as apresentações no Brasil.

Para acalmar os ânimos da mulherada, mais duas músicas do novo disco são despejadas: a balada “By Your Side” e a faixa mais heavy metal “You Don’t Understand”. Voltando para os clássicos, a próxima e imperdível composição cantada em coro foi “I Remember You”, single escrito por Rachel Bolan (baixo) em parceria com Dave “The Snack” Sabo (guitarra), atuais integrantes do SKID ROW.

Em seguida, Sebastian, todo carismático e empolgado, apresenta uma música inédita que pode vir a ser de seu próximo disco. A noite fecha com “(Love is) A Bitchslap” e Sebastian dá o tom da música seguinte apontando para a sua tatuagem no braço. A selvagem “Youth Gone Wild” é cantada a todo vapor pelo músico.

Sebastian Bach, junto com Nick Sterling (guitarra), Johnny Chromatic (guitarra), Bobby Jarzombeck (bateria) e Rob DeLuca (baixo) encerram a noite com uma despedida prolongada, até parecia que o grupo não queria sair do palco. O público gritava em alto som o nome de Sebastian Bach. Ele olhou rindo e desajeitado para o público. Arrumou o cabelo, girou a cabeça de um lado a outro e colocou a mão no rosto simplesmente não acreditando naquela cena. Nem parecia aquele rock star ovacionado e que virou fenômeno nos anos 90.

Confira o set list:

“Slave To The Grind”
“Back In The Saddle” (cover Aerosmith)
“Big Guns”
“Here I Am”
“Stuck Inside”
“Piece Of Me”
“18 And Life”
“American Metalhead”
“Stabbin’ Daggers”
“In A Darkened Room”
“Monkey Business”
“By Your Side”
“You Don’t Understand”
“I Remember You”
Música Inédita
“(Love is) A Bitchslap”
“Youth Gone Wild”

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Guns N RosesGuns N' Roses
Em 2° lugar no ranking dos que mais faturaram em 2016

1383 acessosLoudwire: em vídeo, os 10 maiores riffs de metal dos 80's1537 acessosFabio Lima: 13 músicas pelo Guns N' Roses1743 acessosGuns N' Roses: turnê com rappers N.W.A. quase rolou; Axl era fã0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

Guns N RosesGuns N' Roses
Tommy Stinson sai em defesa de Axl Rose

Guns N RosesGuns N' Roses
Ausência de Izzy Stradlin não seria apenas por dinheiro

Guns N RosesGuns N' Roses
Reunião quase fracassou antes de acontecer

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Sebastian Bach"0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"0 acessosTodas as matérias sobre "Skid Row"

Iron MaidenIron Maiden
Em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal

Black SabbathBlack Sabbath
Os vocalistas misteriosos da banda

InfluênciasInfluências
Folk Metal e Música Celta

5000 acessosGaleria - Algumas das beldades do Rock e Metal nacional5000 acessosAngra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de Dominó5000 acessosTony Iommi: opiniões sobre Dio, Rhoads e Halford5000 acessosRoadrunner: os dez melhores vídeo-clipes da gravadora5000 acessosJudas Priest: KK Downing fala sobre os motivos da saída5000 acessosBlind Melon: 'Dream Theater? Desliga essa porra!'

Sobre Adriana Farias

Nascida em São Paulo, Adriana Farias é jornalista pela PUC-SP e autora do livro-reportagem ¨London Calling - histórias de brasileiros em Londres¨. A jornalista já foi produtora na RedeTV! e repórter da emissora PlayTV na área cultural, locais em que coleciona entrevistas importantes com grandes nomes do heavy/rock nacional e internacional, como Joey DeMaio (Manowar), David Bryan (Bon Jovi), Crashdïet, Kings of Leon, The Dickies, Kid Vinil, Angra, Sepultura entre outros. Com apenas 16 anos a autora deu início a sua colaboração ao Whiplash!, entre suas reportagens mais importantes constam os textos analisando a grande imprensa no quesito heavy/rock e a cobertura de mega shows no Brasil e na Europa. Atualmente, a jornalista tem uma dupla jornada como editora de texto na TV Cultura e repórter na Folha de S.Paulo. Entre em contato com a jornalista no blog meonthestreet.

Mais matérias de Adriana Farias no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online