Almah: Review e fotos do show no SESC Santo André

Resenha - Almah (SESC, Santo André, 13/02/2009)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bel Gasparotto
Enviar correções  |  Ver Acessos













Noite de sexta-feira treze, e um grande show no SESC Santo André: o projeto Caixa Preta do Rock trouxe o Almah, trazendo também um público jovem, com seus vinte e poucos anos no máximo, que uma hora antes do show já lotava a frente do teatro. Sim, no teatro. Mas se engana quem pensa que essa galera ficou sentada. As cadeiras foram ocupadas pelos mais velhos, com vários lugares vazios, pois a moçada ficou toda lá na frente, perto do palco, batendo cabeça, como deve ser um bom show.

Com um pequeno atraso, os integrantes sobem ao palco um a um, e cada um deles muito bem aplaudidos. Marcelo Barbosa (guitarra), Paulo Schroeber (guitarra) e Marcelo Moreira (bateria) entram primeiro, seguidos de Felipe Andreoli (baixo) e Edu Falaschi (vocal). Os dois últimos foram mais aplaudidos, deixando claro que boa parte do público tem sede de Angra.

Durante uma hora e meia a banda intercalou músicas dos dois álbuns, destaques pra "Birds of Prey", que abriu o show e agitou demais o público. Seguiram com "Children of Lies", "Breathe", "Beyond Tomorrow", "Fragile Equality", "Shade of my Soul", "Torn", "Scary Zone", entre outras. Para os fãs de Angra, os presentes foram "Bleeding Heart" e "Nova Era", apesar dos vários pedidos de "Carry On".

Edu foi questionado por um fã sobre a polêmica nota a respeito dos "orkuteiros". Disse que a declaração não foi direcionada a ninguém em especial, muito menos para o público carinhoso que eles encontram aqui em Santo André, mas que isso é realmente um problema, que os "orkuteiros" realmente estão atrapalhando a quase extinta cena metal no Brasil. A pergunta que fica no ar é: será que o público se ligou? Ou será que vão continuar alimentando essas rivalidades ridículas?

O show acaba com "You'll Understand", sem direito ao bis, shows no SESC não costumam terminar tarde e estavam no limite. Muito simpáticos, todos voltam ao palco, agradecem, conversam com fãs, distribuem palhetas. Eu, que confesso que conheci o Almah recentemente, não esperava tamanha devoção do público. Espero que esse público não deixe o metal brasileiro morrer nunca.


Outras resenhas de Almah (SESC, Santo André, 13/02/2009)

Almah: espetáculo digno de reverência em Santo André


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Almah"


Edu Falaschi: 10 discos que marcaram a vida do vocalistaEdu Falaschi
10 discos que marcaram a vida do vocalista

Edu Falaschi: vídeo com a banda Mitrium em 1993Edu Falaschi
Vídeo com a banda Mitrium em 1993


Sounds Entertainment: as 100 melhores músicas do Heavy MetalSounds Entertainment
As 100 melhores músicas do Heavy Metal

Edu Falaschi: os dez vocalistas brasileiros preferidos deleEdu Falaschi
Os dez vocalistas brasileiros preferidos dele


Sobre Bel Gasparotto

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin