Resenha - Nazareth (Hellooch, Curitiba, 29/05/2008)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por André Molina
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.






A banda de Hard Rock, Nazareth, lotou a casa noturna curitibana, Hellooch, no dia 29 de maio, quinta-feira. A apresentação comprovou que os curitibanos estão entre os fãs brasileiros mais fiéis. O fã-clube da cidade recebeu o grupo com imensas faixas, como se fosse uma torcida amontoada na arquibancada de um estádio de futebol.

Quem achou que a apresentação seria um “replay” do show do ano passado, registrado na integra para o DVD “Live In Brazil”, se enganou. A banda soube mesclar antigos sucessos e canções novas. Porém, o cenário e o público foram, praticamente, os mesmos. Não foi difícil para o fã da banda se sentir parte da apresentação do DVD.

O vocalista Dan McCafferty chegou a agradecer o público pelo resultado. “A gravação ficou maravilhosa. Gostaria de dizer obrigado aos fãs de Curitiba pelo trabalho”, disse.

No show não foi difícil sentir a atmosfera de comemoração. A banda desembarcou em Curitiba para celebrar 40 anos de existência. A data fez parte de uma longa turnê, que além da capital paranaense, incluiu: Maringá, Cascavel, Fortaleza, Salvador, Joinville, Foz do Iguaçu, Ponta Grossa, São Paulo, Londrina e Tubarão.

O evento promovido pelo grupo serviu como preparação para o lançamento de seu novo disco de canções inéditas, intitulado “The Newz”, no mercado brasileiro. No espetáculo, os fãs tiveram a oportunidade de comprar a camiseta oficial do grupo com a capa do novo CD.

A banda foi pontual e subiu ao palco às 23h00. Em quase duas horas de concerto, o Nazareth exibiu canções antigas e algumas que fazem parte do disco novo. As canções inéditas escolhidas foram “Keep On Travellin”, “A Day At The Beach” e “The Gathering”. As músicas ainda desconhecidas pela maioria do público tiveram o mesmo efeito que os sucessos, comprovando que o novo trabalho será bem recebido no Brasil.

Em relação aos antigos sucessos não tem muito que dizer. Como sempre, os principais clássicos foram deixados para compor a parte final do repertório. Em “Hair Of The Dog”, o desempenho do baterista Lee Agnew foi impressionante. A introdução com uma sutil levada de bumbo duplo modernizou o arranjo original da canção. Outra música em que a bateria chamou a atenção foi “Razamanaz”. Lee desceu a lenha e transmitiu mais vigor.

Os dois novos integrantes, Jimi Murrison (guitarra) e Lee Agnew (bateria), adquiriram maturidade e adicionaram vitalidade ao grupo. Já o cantor Dan McCafferty está cantando como nos Anos 70. Seu desempenho foi superior à gravação do último DVD. Seu fôlego demonstra que vai manter a carreira do Nazareth ainda por bastante tempo.

O baixista, Pete Agnew, deu uma aula de disposição. Percebe-se que ele mantém o astral da banda, além de compor uma cozinha segura com o baterista para o guitarrista, Jimi Murrison, solar e improvisar à vontade.

As músicas que mais contagiaram o público foram “Holiday”, “My White Bycicle”, “This Flight Tonight”, "Madness" e Morning Dew”.

Como não poderia deixar de ser, as baladas “Dream On” e “Love Hurts” foram cantadas em coro pelo público. É incrível como o Nazareth consegue ser uma banda de Hard Rock, que prende a atenção de todos os fãs presentes, com a execução de baladas.

Depois da apresentação, só resta ao público brasileiro e curitibano esperar por um novo show, que segundo a banda, deverá ser realizado ainda em 2008 para divulgar melhor o novo trabalho.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

586 acessosNazareth: banda assina com Frontiers e álbum deve sair em 20180 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nazareth"

RamonesRamones
O dia em que foram vaiados por uma plateia de 50 mil hard rockers

NazarethNazareth
Muito mais que "Love Hurts" em 40 anos de rock

De Marillion a EnthronedDe Marillion a Enthroned
Discos ao vivo gravados no Brasil

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Nazareth"

UmmagummaUmmagumma
Desentendimentos e confusões... o que é rock progressivo?

Roger MoreiraRoger Moreira
Resposta bem humorada a "crítica" no Agora é Tarde

Thin LizzyThin Lizzy
"Whiskey in the Jar" já era cantada há centenas de anos

5000 acessosLars Ulrich: O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"5000 acessosO lado escuro do rock: você acredita em magia negra?5000 acessosMomentos bizarros: histórias de Ozzy, Stones, Who e outros5000 acessosCradle Of Filth: o lado negro do vocalista Dani Filth4734 acessosMangini: "Toda noite agradeço por estar no Dream Theater"5000 acessosNo Flight 666: todas as suspeitas caem sobre Nicko McBrain

Sobre André Molina

André Molina é jornalista, economista e começou a ouvir heavy metal ainda quando era criança. Tem 30 anos de idade e Rock 'n' Roll é sua religião.

Mais matérias de André Molina no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online