Shaman: A turnê do álbum "Ritual" parece não ter fim

Resenha - Shaman (Aramaçan, Santo André, 07/09/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Guimarães de Carvalho
Enviar Correções  




A turnê do álbum "Ritual" parece não ter fim... Mas o motivo é simples, os fãs pedem mais shows. E isso estava muito claro na apresentação que o Shaman fez em Santo André este mês. Cerca de 1600 pessoas aguardavam o Shaman, e para aquecer, as bandas Thalion e Holy Sagga ficaram encarregadas da abertura.

Infelizmente só pude presenciar duas músicas do Thalion e não foi possível conferir o Holy Sagga. Quanto ao Thalion, o que deu pra notar foi uma banda bem entrosada e com uma boa (e bela) vocalista.

Poucos minutos após o fim do show do Holy Sagga, começa a rolar a intro "Ancient Winds" no PA. Vale ressaltar que esta figura entre as mais emocionantes introduções para shows de metal que já passaram por aqui! A banda entrou no palco com muita energia.

Este foi o terceiro show da Ritual tour que presenciei e digo com toda convicção que a cada show a banda está melhor. A presença de palco de André Matos é absurda. Ele corre, pula, agita a galera, toca teclado e ainda canta. Aliás, como está cantando esse cara! Desculpem-me as viúvas do Angra, mas no Shaman sua técnica está muito superior.

Os irmãos Mariutti também estão bem mais soltos do que no começo da banda. Hugo com seu novo visual (a lá James Hetfield) está muito mais seguro como único guitarrista e curiosamente a segunda guitarra não faz a menor falta. O cara segura muito bem o som do Shaman sozinho.

Um fato que causa curiosidade a qualquer um: como Ricardo Confessori (que estava doente no dia) tira tanto peso e sons de um kit de bateria tão pequeno? Está de parabéns!

O setlist não foi muito diferente dos outros shows. A base foi o álbum Ritual, com destaque para "Time Will Come", "Fairy Tale", "For Tomorrow", "Distant Thunder" e "Pride". Covers de Angra não faltaram, mas o melhor deles, certamente foi "Lisbon". Esta figura seguramente como uma das melhores canções do Angra. O guitarrista do Angra, Rafael Bittencourt esteve presente e com certeza aprovou a versão do Shaman.

Durante cerca de uma hora e trinta minutos o Shaman provou ao público de Santo André porque em tão pouco tempo e com apenas um álbum lançado obteve status de banda grande no metal nacional. E não é apenas por contar com ex-membros de outra grande banda brasileira, mas sim pelo talento e pela qualidade do seu material. Agora só basta aguardar o DVD que sai em Novembro e o sucessor de Ritual.