Resenha - Motorhead (Credicard Hall, São Paulo, 06/05/2000)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Fernanda Zorzetto
Enviar Correções  


O Motorhead veio novamente ao Brasil para divulgar seu mais novo álbum "We are Motorhead", lançado este ano. A tour passou também nas cidades do Rio de Janeiro (05/05), Belo Horizonte (07/05) e Porto Alegre (10/05), e do Brasil segue para a Argentina, em Buenos Aires, México, em Cidade do México, e depois volta para os EUA, em Las Vegas.

publicidade

Em São Paulo, o show aconteceu no Credicard Hall. A casa abriu com um atraso de cerca de uma hora, o que fazia com que as filas (até para camarote) ficassem gigantescas. Para corrigir esse erro, a segurança começou a acelerar a entrada da galera passando todo mundo praticamente sem revista.

A casa, com capacidade para 7.500 pessoas em pé e 4.000 sentadas, ficou longe de lotar nessa noite, mas estava cheia. A segurança falhou mais uma vez ao permitir que a galera das cadeiras superiores arremessassem latas de cerveja cheias (o que inclusive é um desperdício!!!) no pessoal que estava na pista.

publicidade

Sem banda de abertura, o show começa com mais ou menos uma hora e quinze minutos de atraso. O som baixo, instrumentos embolados e ecos no vocal de Lemmy nas paredes laterais foram sentidos logo no início e fizeram os roadies terem trabalho.

Em quase duas horas de show sem perder o ritmo, o Motorhead tocou as clássicas "Overkill", "Kill By Death", "Civil War", "Sacrifice", "Iron Fist", "Ace of Spades", "Metropolis", além de "Going to Brazil" e de um cover de "God Save the Queen" do Sex Pistols.

publicidade

O destaque ficou para presença de palco e o carisma da banda, que conseguiu o que poucas conseguem - fazer o público agitar do começo ao fim. Lemmy conversou várias vezes com o público, ajudando inclusive a reclamar do volume muito baixo do som, e para o batera Mikkey Dee, que deu uma aula de bateria, rápida e pesada.

O show contou ainda com a participação especial do Andreas, guitarrista do Sepultura, que subiu ao palco para tocar "Orgasmatron" com o Motorhead.

publicidade

Apesar da segurança mal organizada e da péssima qualidade sonora do Credicard Hall, foi, sem dúvida, um excelente show.

Para quem curte o som pesado, confira na agenda do Whiplash! vários shows internacionais que estão pra acontecer no Brasil.

Para saber mais sobre o Motorhead e a tour, acesse o site oficial: http://www.imotorhead.com

publicidade


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin