Motorhead: Lembrando quem foi Philthy Animal Taylor para mim

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Contrera
Enviar correções  |  Ver Acessos

Meu amigo de face, o Cassius Barbosa, lembrou que agora toda a fase clássica do Motörhead está no Inferno (rs), só para citar um álbum da fase posterior.

Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Pois é, realmente. Também o Animal Taylor tinha ido embora - mas eu não tinha escrito nada sobre ele, ao menos aqui.

Notem que a tradução é animal nojento, para o Taylor. Nada mais injusto. Ele não devia tomar banho, é certo. Mas não era nojento, era só animal.

O Philthy era um sujeito como vários amigos meus da época de teatro. Um sujeito duro, pequeno, agressivo e nojento. Sem ligar a mínima para os outros. Mas apesar de tudo isso um gentleman.

Tem vários amigos meus, como ele, que lutam. São sujeitos nos quais você se aproxima com cautela. Sujeitos que bebem um pouco e te mandam uma garrafada de uísque na cabeça. Sujeitos que você precisa domar, de alguma forma.

Sujeitos como o Philthy são leais, mas traiçoeiros. Coisa que somente eles conseguem ser. Leais porque sabem o seu lugar. Traiçoeiros porque sabem o seu lugar.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Philthy deixou sua marca no heavy metal - os pedais duplos. Deixou também impressões impagáveis, das quais só ele se lembrava, na gravação de clássicos como o LP Ace of Spades.

Era também um sujeito incômodo. Falando coisas que o Lemmy não queria ouvir. Fingindo que não atrapalhava. Quando ele queria mesmo era atrapalhar. Ou brigar por algum motivo fútil.

Se o Philthy não tivesse existido, alguém teria que tê-lo inventado. Um sujeito como aquele não existe duas vezes no mundo. Um cara que me é até mais querido que o próprio Lemmy. Um sujeito humano.

Sim, Cassius Clay, agora estão todos lá no inferno. Nunca mais se beberá da mesma forma. Satã deve estar adorando.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção OpiniõesTodas as matérias sobre "Motorhead"


Motorhead: sexo pode ser uma das fontes de renda caso Lemmy pareMotorhead
Sexo pode ser uma das fontes de renda caso Lemmy pare

Slash: Assista cover de Ace of Spades em tributo a LemmySlash
Assista cover de "Ace of Spades" em tributo a Lemmy


Slash: por que ele usa óculos escuros o tempo todo?Slash
Por que ele usa óculos escuros o tempo todo?

Gastão Moreira: A coleção do VJ, apresentador e jornalista musicalGastão Moreira
A coleção do VJ, apresentador e jornalista musical


Sobre Rodrigo Contrera

Rodrigo Contrera, 48 anos, separado, é jornalista, estudioso de política, Filosofia, rock e religião, sendo formado em Jornalismo, Filosofia e com pós (sem defesa de tese) em Ciência Política. Nasceu no Chile, viu o golpe de 1973, começou a gostar realmente de rock e de heavy metal com o Iron Maiden, e hoje tem um gosto bastante eclético e mutante. Gosta mais de ouvir do que de falar, mas escreve muito - para se comunicar. A maioria dos seus textos no Whiplash são convites disfarçados para ler as histórias de outros fãs, assim como para ter acesso a viagens internas nesse universo chamado rock. Gosta muito ainda do Iron Maiden, mas suas preferências são o rock instrumental, o Motörhead, e coisas velhas-novas. Tem autorização do filho do Lemmy para "tocar" uma peça com base em sua autobiografia, e está aos poucos levando o projeto adiante.

Mais matérias de Rodrigo Contrera no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline