MP3 prossegue envolto em polêmica

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar Correções  

Embora o MP3 seja considerado atualmente uma das maiores "vedetes" no meio musical, a polêmica envolvendo direitos autorais aparentemente está longe de acabar; um dos últimos lances envolvendo o assunto foi a decisão de um Juiz americano que considerou ilegal a iniciativa da empresa MP3.com de oferecer versões em MP3 de músicas de diversos artistas, por entender que trata-se de violação de direitos autorais.

publicidade

"Estamos satisfeitos com esta decisão judicial" disse Hilary Rosen, presidente da toda-poderosa RIAA, associação que trata da defesa dos direitos autorais das gravadoras.

Executivos da MP3.com afirmam que a companhia não encerrará atividades e que eles vão recorrer judicialmente da decisão. "Olhamos esta situação como uma luta de peso-pesados entre nós e os cinco maiores pugilistas existentes" (numa referência as cinco maiores selos americanos da atualidade), diz Michael Robertson, executivo chefe da MP3.com.

publicidade

A grande questão nisso tudo é verificar se a MP3.com é um serviço on-line que permite ao consumidor o uso legal de música ou se é uma firma que captaliza os direitos autorais de outras companhias.

Resta agora aguardar se haverá algum acordo entre as partes ou se a MP3.com será multada por uso indevido de material sem pagar direitos autorais. Se for este o caso, especula-se multas que deverão variar entre $750 e $30.000 por música.

publicidade

Esta decisão poderá influir no desfecho de outra ação movida pelo Metallica contra a Napster Inc (criadora de programa destinado a troca de arquivos mp3), pelo uso indevido de suas canções.

Segundo Lars Ulrich: "A cada álbum passamos por um processo desgastante de composição, para chegar a música que achamos ser digna do Metallica naquele momento de nossas vidas. Levamos muito a sério nosso material, seja música, letras, fotos ou artes, assim como a maioria dos artistas. Nos deixa doentes saber que nossa criação está sendo negociada como mercadoria e não como arte. De um ponto de vista comercial isso é simplesmente pirataria - se apossar de algo que não pertence a você - é moralmente e legalmente errado. A comercialização destas informações - sejam música, vídeos, fotos ou qualquer outra coisa - é, de fato, comercialização de mercadoria roubada."

publicidade

A banda estará on-line na próxima terça-feira (02/05) às 8pm EDT no chat.yahoo.com e www.artistdirect.com/metallica para explicar aos seus fãs porque resolveu mover este processo. "Entendemos que esta é uma questão polêmica, com implicações que alguns de nossos fãs podem não entender. Sempre respeitamos e valorizamos nossos fãs e gostaríamos de discutir com eles o motivo de movermos esta ação, responder às suas dúvidas diretamente, explicar pormenores do caso e ouvir suas opiniões" disse Jason Newsted numa entrevista recentemente.

publicidade

Além do Metallica o rapper Dr.Dre também está processando o Napster pelos mesmos motivos. A polêmica está bem longe de terminar... resta aguardar os acontecimentos...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Mike Portnoy: eu baixo músicas o tempo todoMike Portnoy
"eu baixo músicas o tempo todo"

Pirataria: enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...Pirataria
Enquanto isso, em uma loja de CDs na Rússia...


Sílvio Santos: The Number Of The Beast em ritmo de festaSílvio Santos
"The Number Of The Beast" em ritmo de festa

Batismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e MetalBatismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal


WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin