RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemMustaine tentou fazer hit radiofônico e acabou escrevendo a "música mais idiota" do Megadeth

imagemSaiba mais sobre o último álbum de estúdio dos Engenheiros do Hawaii

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemMike Portnoy escolhe os álbuns preferidos de sua adolescência

imagemA nostálgica canção de Raul Seixas que propõe abolir a divisão entre o bem e o mal

imagemGlenn Hughes virá ao Brasil no final deste ano, informa José Norberto Flesch

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemOs 10 maiores vocalistas de heavy metal de todos os tempos, em lista do Ruthless Metal

imagemPaul Gilbert lançará álbum tributo a Dio em abril; confira detalhes e versão de "Holy Diver

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical


Exilio Angel

The Breeders toca Pixies para 3 mil pessoas em Curitiba

Fonte: UOL Música
Postado em 06 de maio de 2003

CURITIBA (Reuters) - As irmãs Kim e Kelly Deal, da banda norte-americana The Breeders, lotaram a Ópera de Arame no último dia do Pop Festival no sábado, em Curitiba, e surpreenderam cerca de 3 mil pessoas ao tocar o hit "Gigantic", do Pixies.

A música, do ex-grupo da baixista e guitarrista Kim Deal, foi o auge do show. Kim era uma das favoritas do Pixies e parte da fama do Breeders se deve ao fato dela ter participado da banda que foi um dos ícones dos anos 1980. Em entrevistas recentes, ela havia dito que não tocaria nada do extinto grupo.

Do Breeders, as faixas "Cannonball" e "Divine Hammer", do álbum "Last Splash", de 1993, foram alguns dos clássicos tocados pelas irmãs, que trocaram algumas palavras com o público e fumaram um cigarro atrás do outro.

Do disco mais recente, "Title TK", de 2002, o grupo apresentou "Full on Idle", "Huffer" e a balada "Off You", que Kim Deal tocou sozinha com um violão.

O festival teve início na noite de sexta-feira e apresentou no total 20 bandas, sendo três delas internacionais: Rubin Steiner (França), Stereo Total (França) e Breeders (EUA).

A grande surpresa da sexta-feira foi o Rubin Steiner, que com uma mistura de dance, jazz e música eletrônica colocou todo mundo para dançar, usando trombone, contrabaixo e flauta.

O VJ da banda também ganhou bastante destaque, com imagens projetadas nos telões de túneis em velocidade, multidões em movimento e coreografias cômicas de japoneses, tudo em compasso com a música.

Na sequência entrou o duo Stereo Total, mas a animação do público não foi a mesma e muita gente foi embora antes do final do show. Na sexta-feira, apenas 1.600 conferiram o festival, segundo a assessoria de imprensa do evento.

Entre os grupos nacionais, os pernambucanos Nação Zumbi e Otto justificaram a fama, mas foram prejudicados por problemas no som. A apresentação de Otto ficou pela metade e a Nação Zumbi teve que voltar ao palco após vários minutos de interrupção. O retorno foi bem recebido e, pela primeira vez, o teatro inteiro -- lotado à espera das Breeders -- cantou juntou com uma banda, entonando hinos como "Mangue Town", "Da Lama ao Caos" e "Meu Maracatu pesa uma Tonelada".

QUEBRA-QUEBRA E FRALDAS

O grupo Cachorro Grande, de Porto Alegre, conseguiu chamar atenção entre as 15 bandas independentes ao provocar, no sábado, uma quebradeira geral dos instrumentos no final do show. Os organizadores tentaram impedir a "performance", inspirada no lendário The Who, e tudo acabou com uma troca de sopapos no palco e urros de satisfação na platéia.

Os curitibanos do Faichecleres também promoveram um quebra-quebra, mas em menor escala, chamando mais a atenção por tocarem apenas de fralda numa noite gélida.

Os conterrâneos do Catalépticos fizeram um psychobillie punk com o baixista Gustavão colocando a galera para dançar com furiosas batidas em seu contrabaixo acústico em forma de caixão. A platéia ensaiou um longo pogo, tudo vigiado de perto por seguranças.

O Tara Code, de Recife, apresentou um hip hop com fortes influências de Portishead, mas teve problemas com o laptop que fazia as bases da apresentação.

Os outros grupos nacionais que se apresentaram foram os paulistas do Vurla, Monokini e Suite Number Five, os gaúchos do Bidê ou Balde e Walverdes, os curitibanos do Bad Folks, ESS, Criaturas e Primal, os goiânios do MQN e os mineiros do Valv.

Os shows começaram com atrasos nos dois dias -- a demora foi de duas horas no sábado -- e o frio pegou de surpresa muito dos não-curitibanos que viajaram à capital paranaense para o festival.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Fotos de Infância: Kelley e Kim Deal, do Breeders


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal