Vinnie Paul fala sobre Pantera e a cena atual

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Cleber Monteiro, Fonte: Crave Music
Enviar correções  |  Ver Acessos

Joseph Rose, da Crave Music recentemente conduziu uma entrevista com Vinnie Paul (PANTERA/DAMAGEPLAN). Confira alguns trechos da conversa abaixo:

Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeFotos de Infância: Bon Scott, do AC/DC

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Crave Music: Você já teve a chance de voltar e ouvir os álbums do PANTERA? Você tem um favorito?

Vinnie Paul: Meu favorito é o 'Vulgar Display Of Power'. Esse é o que realmente alavancou tudo. Eu acho que são as melhores músicas que nós escrevemos, e o álbum saiu logo quando tinhamos terminado nossa primeira turnê mundial. Nós estávamos tão famintos e tão dentro de tudo que nós estávamos fazendo que queríamos fazer o melhor álbum de todos. E pra mim esse é o melhor registro do PANTERA. Eu sinto que nós fizemos um grande trabalho em todos eles, mas específicamente nesse tem toda aquela mágica, saca?

Crave Music: O que tinha no PANTERA que fez da banda tão especial para um grande público?

Vinnie Paul: Eu acho que foram várias coisas. Éramos uma banda de fãs. Amávamos todos os outros tipos de música. Não queríamos compertir com ninguém, só queríamos ser fãs e amigos das outras bandas, e eu acho que nossa musicalidade
estava um nível acima de muitas outras bandas. Nós passamos sete anos tocando em clubes noturnos fazendo covers, onde
tocavamos de tudo, desde VAN HALEN a METALLICA e JUDAS PRIEST. Nós realmente conhecíamos bem nossos instrumentos e sentimos
que podíamos colocar muita coisa nas nossas músicas que talvez outras bandas não poderiam e isso meio que transformou a banda em algo especial. E então, como em qualquer outro grupo, aconteceu a química certa com as pessoas envolvidas.

Crave Music: Tem alguma coisa que o Phil Anselmo poderia possívelmente fazer, para se desculpar contigo, ou isso está fora de questão?

Vinnie Paul: Absolutamente não. É isso.

Crave Music: Tem alguma banda nova que te interesse?

Vinnie Paul: Eu acho que tem algumas legais por aí. Tem uma banda chamada 69 EYES da Finlândia que élegal. É um pouco
diferente do que eu estou acostumado a ouvir, tipo uma mistura de TYPE O NEGATIVE e BILLY IDOL, e eu sou fã de ambos. DISTURBED é provavelmente uma das minhas bandas favoritas de Metal moderno. Eles realmente fazem um bom trabalho e David Draiman é tipo um Rob Halford atualizado... ele consegue fazer todo tipo de coisas legais com sua voz. Esses são os principais. Eu acho o SLIPKNOT incrível pra cacete, amo tudo que eles fazem, é quase como um KISS moderno, assim dizendo.

Crave Music: Qual seu baterista favorito?

Vinnie Paul: O cara que me fez querer tocar com pedal duplo foi Tommy Aldridge. A primeira vez que ouvi ele tocar aquelas levadas em tercina de 'Boom Boom (Out Go The Lights)' de PAT TRAVERS, eu fiquei louco e tive que arrumar mais um bumbo. PAT TRAVERS, BLACK OAK ARKANSAS, OZZY OSBOURNE, WHITESNAKE, TED NUGENT, você continua a lista, ele já tocou com todas essas pessoas e ainda está na ativa. Ele tem tipo 58 anos de idade e ainda pode fazer muito melhor do que 98% dos bateristas de hoje em dia.

Crave Music: O que você acha da nova remessa de bandas de Heavy Metal no geral?

Vinnie Paul: Eu acho que o maior problema destas bandas é que sinto falta do groove. É tudo sobre tocar o mais rápido possível com o pedal duplo. O jeito que eu me aproximei do pedal duplo é que se você economizar isso e usar em certas partes da música, você realmente tem aquele trovão que você está procurando, aquele gás que puxa a música ao extremo. Mas se você começa todas as músicas com isso, não vai ter esse efeito. É o que eu sinto falta nessas bandas, todas tem aquela gritaria e o mesmo pedal duplo em tudo. O que aconteceu com o groove e as dinâmicas? Eu não sou contra eles, pois são grandes músicos, mas apenas gostaria de vê-los tocando com mais groove.

Leia a entrevista na integra (em inglês) no link abaixo.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Damageplan"Todas as matérias sobre "Pantera"Todas as matérias sobre "Vinnie Paul"


Pantera: histórias de horror na América do SulPantera
Histórias de horror na América do Sul

Pantera: A versão de Vinnie Paul sobre o fim da bandaPantera
A versão de Vinnie Paul sobre o fim da banda


Musas do Metal Nacional: combo de talento e sensualidadeMusas do Metal Nacional
Combo de talento e sensualidade

Fotos de Infância: Bon Scott, do AC/DCFotos de Infância
Bon Scott, do AC/DC


Sobre Cleber Monteiro

Nascido em 87,estudante de Publicidade e técnico em automação comercial. Nas horas vagas, toca guitarra nas bandas E.N.D. e Freak e vale dizer que sonha em seguir carreira profissional na música, assim como seus ídolos. É loucamente apaixonado pela namorada e ama seus amigos. Maiden-maníaco há mais de 10 anos (sim,desde molequinho), aprecia a boa música, independente do estilo ou vertente. Algumas bandas essenciais (além da já citada) - Faith No More, Nevermore, Cannibal Corpse, Kreator, Angra, Harem Scarem, Sepultura, Slayer. Ídolos supremos - Bruce Dickinson, Mike Patton, Dimebag Darrel e Warrel Dane.

Mais matérias de Cleber Monteiro no Whiplash.Net.

adGoo336