Cradle Of Filth: Slayer com Napalm Death

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Rangel e César Enéas Guerreiro, Fonte: MTV
Enviar correções  |  Ver Acessos

(Tradução de matéria publicada no site da MTV americana)

Após o CRADLE OF FILTH ter gravado todo o material para o seu novo álbum, "Thornography", Dani "Filth" Davey encontrou um grande obstáculo: ele poderia rugir e gritar o melhor possível, mas não importa o quanto ele tentasse alcançar uma nota ou cantar uma passagem, ele soava completamente desafinado.

R.E.M.: banda é dona da faixa que mais faz o homem chorarGhost: De quais bandas brasileiras eles gostam?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sem coragem e deprimido, ele começou a beber, mas aquilo o fez se sentir ainda mais doente. Ele se encontrou com médicos, professores de canto e nutricionistas, tudo em vão. Davey começou a pensar que estivesse sofrendo de um colapso mental até que o produtor da banda, Rob Caggiano, recomendou a ele um homeopata que o havia curado de um parasita no seu estômago enquanto trabalhava com o BLEEDING THROUGH.

"A primeira coisa que o doutor me disse era que eu iria morrer se eu continuasse com o meu estilo de vida," disse Davey. "Então ele descobriu que eu tinha essa estranha doença chamada 'cândida', difícil de detectar, agindo como uma porta de entrada para outras doenças."

O doutor também determinou que Davey era alérgico a álcool - mais do que uma pequena inconveniência para um músico com um grande apetite por cerveja. "Eu tive que tomar 49 tabletes de plantas durante seis meses, e tive que limitar a minha dieta para bolos de arroz e água mineral."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Num primeiro momento, Davey ignorou o tratamento prescrito e voltou a beber muito. Depois dessa recaída, ele decidiu seguir os conselhos do médico - mas prometeu que recompensaria a si mesmo pelos seus esforços. "Eu disse: 'Se eu superar isto, eu vou [beber novamente] e comer muito bolo'. E foi o que fiz. E agora posso continuar a minha vida. Eu decidi que eu vou continuar com essa dieta e, uma vez por semana, eu vou fazer uma extravagância e comer doces ou alguma porcaria".

Embora ele sinta muita falta de poder comer e beber como um pagão normal, Davey logo recuperou sua saúde e, ao mesmo tempo, a sua voz. Então ele voou para o estúdio Millbrook em Nova Iorque e gravou com facilidade todos os vocais para o álbum. "Nós gravamos [perto] da propriedade do cineasta Alfred Hitchcock, então você pode imaginar a excelente vibração que havia lá", disse Davey.

Ele chamou o álbum de "Thornography" devido à temática religiosa do disco e também porque essas idéias o faziam lembrar de seus momentos difíceis. O LP sai em 17 de outubro.

"Thornography significa alguém ferindo a si mesmo", Davey explicou. "O desejo da humanidade de ferir Deus. É como ser um alcoólatra e saber que não deveria beber mas você gosta tanto que bebe de qualquer jeito. Tudo no álbum tem um sentido religioso, tanto bom quanto ruim. E não é satânico de maneira gritante porque às vezes você acha que as partes sombrias da vida existem nas pessoas que detêm o poder e que supostamente deveriam ser iluminadas".

Em relação ao som, "Thornography" sai um pouco do já conhecido metal sinfônico do Cradle of Filth. Os ritmos variam desde a batida lenta de "Rise of the Pentagram" (que tem uma introdução narrada por Doug Bradley, que fez o papel de "Pinhead" na série "Hellraiser") até a fúria incontrolável de "I Am the Thorn".

"Muita coisa neste álbum é material tradicional do Cradle of Filth, apenas melhorado", diz Davey. "É como uma mistura de Slayer com Napalm Death num barril de ácido".




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Cradle Of Filth"


Cradle of Filth: Dani Filth alfinetando o Kiss em 1999Cradle of Filth
Dani Filth alfinetando o Kiss em 1999

Cradle Of Filth: piada feita após Kanye West usar camiseta da bandaCradle Of Filth
Piada feita após Kanye West usar camiseta da banda


R.E.M.: banda é dona da faixa que mais faz o homem chorarR.E.M.
Banda é dona da faixa que mais faz o homem chorar

Ghost: De quais bandas brasileiras eles gostam?Ghost
De quais bandas brasileiras eles gostam?


Sobre Vitor Rangel

Um carioca apaixonado pela boa música que no momento está cursando o 5º período de Publicidade na PUC-Rio. Teve seu primeiro contato com o rock ainda na infância, quando sua irmã colocava os discos de Iron Maiden e Pantera no toca-fitas de sua casa. Nos últimos anos, tem se dedicado inteiramente à música e à guitarra. Sua banda favorita é Metallica e também é fã incondicional de Zakk Wylde, Steve Vai e John Petrucci. Escuta de tudo um pouco, desde Madonna até Sepultura. Espera que um dia o Metallica ainda venha fazer um show no Brasil e não tem vergonha em dizer que chorou no show do Black Sabbath, em 2004, no Ozzfest.

Mais matérias de Vitor Rangel no Whiplash.Net.

Sobre César Enéas Guerreiro

Nascido em 1970, formado em Letras pela USP e tradutor. Começou a gostar de metal em 1983, quando o KISS veio pela primeira vez ao Brasil. Depois vieram Iron, Scorpions, Twisted Sister... Sua paixão é a música extrema, principalmente a do Slayer e do inesquecível Death. Se encheu de orgulho quando ouviu o filho cantarolar "Smoke on the water, fire in the sky...".

Mais informações sobre César Enéas Guerreiro

Mais matérias de César Enéas Guerreiro no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo300x250 GooInArt