Matérias Mais Lidas

imagemA resposta de John Lennon quando perguntado se retornaria aos Beatles em 1975

imagemO clássico dos Paralamas que Gilberto Gil escreveu a letra e ditou pelo telefone

imagemO clássico da Legião inspirado em novela da TV Globo e acusado de plagiar The Doors

imagemCinco curiosidades sobre "The Sick, The Dying... And The Dead!", do Megadeth

imagemCadáveres, sangue e girombas: a história da capa de "Reign In Blood", do Slayer

imagemBob Dylan explica a diferença entre suas composições e as de Paul McCartney

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemEric Clapton comenta a lenda do pacto com o diabo feito por Robert Johnson

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1984 é um ano vital para o metal

imagemKiss: Tommy Thayer responde se Gene Simmons e Paul Stanley se dão bem

imagemQuantos discos o Guns N' Roses vendeu no Brasil e no mundo? Veja os números

imagemNey Matogrosso relembra como foi abrir o Rock in Rio de 1985

imagemOzzy pediu permissão para instalar "acolhedouros de morcegos" em mansão

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1988 é um ano inesquecível

imagemVídeos dos shows no Hellfest do Sepultura, Epica, Nightwish, Blind Guardian e outros


Stamp

Glenn Danzig: justificativa para o murro que levou em 2004

Por Marco Néo
Fonte: Blabbermouth
Em 07/09/07

A edição de agosto de 2007 da revista Spin traz uma longa entrevista com Glenn Danzig, falando sobre o impacto que causou na cena musical com suas três fantasmagóricas bandas: os punks pioneiros do MISFITS, o metal gótico do SAMHAIN e o DANZIG.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre bandas como MY CHEMICAL ROMANCE e AFI, que levam a estética do DANZIG para o mainstream:

"É legal porque ambas as bandas já disseram em entrevistas que adoram o DANZIG. Nós já levamos o AFI em turnê. E ambas as bandas já fizeram covers do MISFITS. O que me irrita são bandas que fingem que nunca ouviram o MISFITS ou o DANZIG mas usam a camiseta com o desenho do esqueleto".

Sobre o fim de seu relacionamento profissional com Rick Rubin:

"Durante as gravações de ‘Danzig 4’ eu disse: ‘Rick, temos que conversar um pouco. Estamos vendendo um monte de discos e não estamos sendo pagos’. Nós nunca recebemos dinheiro de royalties durante todos esses anos. E havia um problema com direitos de publicação também. Rick me disse que não tinha nada a ver com isso e que eu deveria processá-lo – que eu não deveria levar isso para o lado pessoal, era assim que os negócios funcionavam. Eu fiquei surpreso, porque eu achava que nós também éramos amigos".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre satanismo:

"Há vários tipos de divisões no Satanismo, mas o que eu gosto nele é a busca pelo conhecimento. Outras religiões preferem ir por uma outra linha, de que ninguém, a não ser alguns poucos escolhidos, pode aprender nada. Eu não vejo guerras santas serem disputadas em nome de Satã".

Sobre o amplamente divulgado vídeo de 2004, em que o vocalista da banda NORTH SIDE KINGS, Danny Marianinho, confronta Glenn no backstage porque sua banda não pode abrir um dos shows do DANZIG. Glenn empurra o vocalista e acaba sendo ‘nocauteado’ por ele - confira:

"Ninguém me pergunta: ‘por que você o empurrou em vez de dar uma porrada na cara dele?’ Porque havia uma câmera filmando! Eu tenho vários amigos que perderam muita grana em armações desse tipo, batendo em pessoas e depois sendo processadas. Um amigo meu trabalhou, há muito tempo, para o GUNS N’ ROSES e me disse: ‘você tem sorte de nunca ter sido processado’. Ele disse que o Duff McKagan entrava em um clube e um cara qualquer chegava nele, juntamente com um amigo que estava filmando: ‘ei, bichinha do GUNS N’ ROSES!’ (bate na palma da mão, imitando um soco) e saía do lugar. No dia seguinte, processo de um milhão de dólares".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


H. R. Giger: Veja algumas das capas clássicas do designer



Sobre Marco Néo

Nascido na primeira metade dos anos 70, teve seu primeiro contato com sons pesados quando o Kiss veio para o Brasil, em 83, mas não compreendeu bem o que era aquilo. A contaminação efetiva ocorreu um ano depois, quando conheceu Motörhead, Judas Priest, AC/DC, Iron Maiden. Desde então, tornou-se um apaixonado colecionador de tudo o que se refere a Metal e Rock'n'Roll, independentemente de subestilos.

Mais matérias de Marco Néo.