James Lomenzo: "Não existe trabalho perfeito!"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Alex Silva de Chico e Paulo Nesso, Fonte: Megadeth World
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 09/05/08. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Tem sido um longo e tortuoso caminho para o baixista de rock James Lomenzo. Tendo conquistado seu primeiro reconhecimento substancial nos anos 80 com a banda WHITE LION, desde então ele trabalhou com uma gama variadíssima de músicos – pessoas como OZZY OSBOURNE, ZAKK WYLDE, SLASH e DAVID LEE ROTH. Em 2006 a jornada do rock ‘n roll de Lomenzo o levou para o MEGADETH; e agora quase dois anos depois ele não poderia estar mais feliz.

3343 acessosMegadeth: cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica5000 acessosFotos de Infância: Robert Plant, do Led Zeppelin

Está é uma matéria feita com base na entrevista que James Lomenzo cedeu à revista UnRated em Abril de 2008, três semanas após a turnê européia da Gigantour e pouco antes da parte Norte Americana.

Nessa ocasião Lomenzo foi entrevistado pela repórter Melanie (Sass) Falina. Confira agora a matéria traduzida pela equipe do Megadeth World, que narra a entrevista que o baixista do MEGADETH concedeu enquanto dirigia de volta pra casa após uma consulta ao dentista.

Quando perguntado sobre como a banda está indo, Lomenzo respondeu:

"Nós estamos dando muito duro na campanha United Abominations, como nós a chamamos,” ele completa. "Tendo acabado de voltar da Europa por quatro semanas – é uma coisa péssima neste ponto, mas eu acho que estou só ficando mais velho e mais excêntrico. É ainda mais divertido do que costumava ser, e parece que fazemos isso cada vez mais e eu realmente não consigo acreditar que isso é verdade”.

A realidade da estrada é uma provação para qualquer músico – particularmente para um com família. "Existem dois lados nessa moeda. Eu estou aqui com minha amada esposa e filha, dirigindo meu carro agora, e eu tenho para assistir um monte de jogos de futebol e shows. É a grande recompensa, sinto falta disso. Mas é a vida – é difícil não gostar de ter este trabalho porque você aparece todo dia e todos lhe tratam como se fosse seu aniversário; felizes em te ver e algumas vezes trazendo presentes," ele ri. "Então é bom e ruim ao mesmo tempo, entende? Mas eu tive todos os trabalhos normais que todos têm durante minha vida, então não há trabalho perfeito."

Tendo pulado de projeto em projeto ao longo dos anos, faz pensar se foi algo intencional, ou foi simplesmente como a vida trabalhou por si mesma para Lomenzo, musicalmente. "Exceto talvez pelo WHITE LION, eu preferiria que tivesse sido como está agora, sempre – em outras palavras, eu estou perfeitamente feliz no MEGADETH. Todos têm a habilidade para contribuir e ser parte dela. Em outras bandas ocorreu muito disso também, mas é engraçado porque – Eu acho que foi John Kalodner que me disse isso, 'Sabe todas essas bandas com quem eu trabalhei? Eles são uma série de famílias disfuncionais.' Então você está sempre esperando sua Avó para dizer a coisa errada na tarde de Domingo," Lomenzo ri, "Então toda a coisa explode, e é normalmente o que acontece."

"Então, sim, eu preferiria ter permanecido em qualquer uma daquelas bandas pra sempre. E em uma em particular, quando o Zakk (Wylde) e eu começamos a banda PRIDE & GLORY, a qual provavelmente ninguém ouviu falar, foi realmente uma banda especial para nós porque foi a primeira que montamos para fugir um pouco de nossos 'Shows Corporativos' -- WHITE LION e OZZY OSBOURNE. Quando nós começamos aquela banda, tínhamos grandes esperanças e em algum aspecto, aquela banda foi algo sobre ditar a forma com que fazíamos nossa música com jams extensas e basicamente sobre tocar música por diversão. Todos os tipos de coisas aconteceram ali, e algumas delas eu não compartilharia com os ouvintes e algumas delas eu irei. A gravadora mudou de dono na hora errada, etc, etc, etc. Então antes que você saiba você está partindo para uma nova aventura."

Lomenzo continua: "Olhando em retrospecto todas essas bandas onde toquei, eu sou um tipo de especialista. Não um especialista como baixista – Eu sou um baixista muito bom – mas um especialista em conseguir lidar com pessoas consideradas personalidades difíceis. Eu amo essas pessoas; Eu os respeito totalmente. Eu acredito que o que os faz serem dessa forma é essa visão inflexível de sua percepção da forma com que as pessoas os vêem. Eles seguem isso à risca e há algo inspirador nisso. Tem todos os 'campos minados' e essas coisas, mas eu me saio bem com pessoas assim."

Tendo o talento de conseguir lidar com tão intensas personalidades, Sass comentou com Lomenzo que ele deve ter uma personalidade flexível. Lomenzo respondeu: "Não sou muito flexível, mas também não sou tão inflexível. Eu sou um bom ouvinte."

Então, sendo o perfeito equilíbrio de maleabilidade, consideraria Lomenzo trabalhar com quaisquer dos músicos ou projetos novamente no seu tempo livre no MEGADETH? "Você sabe, já estive lá, já fiz aquilo – de certa forma. Tenho ótimas lembranças, e a coisa que aprendi após ter saído do BLACK LABEL SOCIETY foi que você nunca deve voltar para casa novamente. Novamente, de volta para aquela coisa de família disfuncional..."

(Nesse ponto da conversa, e literalmente no meio da frase a ligação cai.)

Após Lomenzo ligar de volta para Sass, ele começa com uma risada, "Tá vendo? Eles estão constantemente ouvindo – todo esse pessoal com quem toquei. Quando eu desligar o telefone, eles vão cortar minha mesada."

Ele então volta a falar, "Voltar a tocar com aquelas pessoas novamente, é sempre um bom pensamento, mas eu não acredito que isso funcionaria. Não que eu tenha saído por causa de brigas, é que parece pra mim que existem esses pequenos espaços no tempo em que as coisas funcionam realmente bem. Mas existem as pessoas que eu adoraria tocar e quem sempre considerei meus heróis; BRUCE SPRINGSTEEN, PAUL MCCARTNEY, e pessoas como eles. Eu viajo tendo nesses ótimos músicos, essas são coisas que me empolgam como a oportunidade de tocar com pessoas como essa; tendo dito que eu estou realmente feliz em estar no MEGADETH também. Neste momento, Dave não foi nada além de uma pessoa revigorante para esta banda, ele realmente nos faz sentir como uma banda e ele abriu todos os tipos de oportunidades para todos nós. E nós fazemos este tipo de coisa, onde – quantas vezes uma banda volta – eu não diria que das ruínas porque não acho que o MEGADETH sequer tenha encontrado seu caminho aqui, mas encontrou seu caminho de volta após ter quase acabado. Você sabe que acontece todo tempo, você vê essas bandas e elas aparentam estar acabadas. E foi uma coisa que aconteceu com o WHITE LION apesar que tivemos a oportunidade de voltar, mas por diversas razões eles não foram capazes de construir aquelas oportunidades, se reunir e resolver conflitos. Então, eu acredito que Dave foi esperto o suficiente para perceber que muito do MEGADETH é baseado na sua própria visão. E ele a manteve pura e forte, e se foi necessário outros músicos para atingir aquela visão, que assim seja; muito parecido com Steely Dan, talvez."

Confira a matéria completa no Megadeth World.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

MegadethMegadeth
Cinco vezes onde a banda foi melhor que o Metallica

3049 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa505 acessosMarty Friedman: ouça "Miracle", single do novo álbum solo3510 acessosMetallica: e se James Hetfield cantasse no Megadeth?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Megadeth"

MegadethMegadeth
As 10 melhores músicas que sempre ficam esquecidas

LoudwireLoudwire
Dez reuniões inesquecíveis no palco

Chris AdlerChris Adler
Os 10 álbuns e bateristas que marcaram sua vida

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"

Fotos de InfânciaFotos de Infância
Robert Plant, do Led Zeppelin, muito antes da fama

Nomes de BatismoNomes de Batismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

TatuagensTatuagens
Homenagens ao Guns N' Roses na pele dos fãs

5000 acessosBayley, Wilson e Cherone: grandes erros na história de grandes bandas5000 acessosGibson: as dez melhores composições épicas do rock5000 acessosGuns N' Roses: o "Chinese Democracy" que você nunca viu5000 acessosMotley Crue: Vince dá sua versão do racha da banda em 19923498 acessosIron Maiden: visita às locações do video "Can I Play with Madness?"5000 acessosBill Ward: "Eu sou o baterista do Black Sabbath"

Sobre Alex Silva de Chico

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Sobre Paulo Nesso

Paulo Nesso, ou apenas Nesso, é paulista, mora em Americana-SP, profissional da área de T.I. Sempre trabalhou com informática. Aos 13 anos conheceu o metal e ao ouvir os primeiros acordes de "Holy Wars" apaixonou-se pelo thrash do Megadeth. Fundador do megadethworld.com, um portal com mais de uma década de história, acompanha a evolução do Whiplash! desde seu início. São Paulino doente, adora carros e tecnologia, faz de suas paixões seus hobbies e tem um enorme prazer em levar conhecimento aos fãs de Dave Mustaine & Cia.

Mais informações sobre Paulo Nesso

Mais matérias de Paulo Nesso no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online