Tom Gabriel Fischer: "O sucesso gera a arrogância"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marco Néo, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Tom Gabriel Fischer, ex-CELTIC FROST e atual TRIPTYKON, postou a seguinte mensagem em seu blog:

"O sucesso gera a arrogância e, em alguns casos, um sentimento de auto-importância sem limites. Um mecanismo que se evidencia ainda mais ridículo se a atenção em questão precede a presença de uma pessoa em particular de forma mais constante, pessoa que desse modo começa a se achar o dono do negócio."

"Quanto convencimento. Quanta arrogância. Quanta falta de compostura e auto-controle."

"E, como eu tenho percebido quase que diariamente quando confrontado com os resultados do que foi destruído e do que foi falado e dito na seqüência, vai ser muito difícil pra mim perdoar aquele que eu considero o grande responsável por tudo o que aconteceu e pelas conseqüências do que aconteceu. Mesmo agora, só de pensar no CELTIC FROST e nos últimos meses da banda eu me sinto fisicamente mal, sendo que o sentimento deveria ser de alegria, de realização e de orgulho."

"Sim, meus sentimentos sobre isso podem ser descritos como 'intensos'. Considerando toda a adversidade que fez parte da história da banda, especialmente nos primeiros anos, se não fosse por essa intensidade não teria havido um HELLHAMMER nem um CELTIC FROST, pra começo de conversa. Sem surpresas, sem desculpas. Eu sou intenso. E assim era a minha ligação a esse grupo totalmente único chamado CELTIC FROST e a tudo aquilo que ele representou."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Triptykon"Todas as matérias sobre "Celtic Frost"


Bandas extremas: 10 álbuns que causaram surpresaBandas extremas
10 álbuns que causaram surpresa

H. R. Giger: Veja algumas das capas clássicas do designerH. R. Giger
Veja algumas das capas clássicas do designer

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1985Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1985


IGN Music: os álbuns de Metal mais influentes segundo o siteIGN Music
Os álbuns de Metal mais influentes segundo o site

Axl Rose: Afinal de contas, o que houve com sua voz?Axl Rose
Afinal de contas, o que houve com sua voz?

Musas: Algumas das beldades do Rock e Metal nacionalMusas
Algumas das beldades do Rock e Metal nacional

Metallica: a capa do Death Magnetic lembra uma vagina?Metallica
A capa do "Death Magnetic" lembra uma vagina?

Batismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e MetalBatismo
Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal

Slash: guitarrista fala sobre Jimi HendrixSlash
Guitarrista fala sobre Jimi Hendrix

Matt Sorum: o Nirvana fez o certo ao mandar o Guns se ferrarMatt Sorum
O Nirvana fez o certo ao mandar o Guns se ferrar


Sobre Marco Néo

Nascido na primeira metade dos anos 70, teve seu primeiro contato com sons pesados quando o Kiss veio para o Brasil, em 83, mas não compreendeu bem o que era aquilo. A contaminação efetiva ocorreu um ano depois, quando conheceu Motörhead, Judas Priest, AC/DC, Iron Maiden. Desde então, tornou-se um apaixonado colecionador de tudo o que se refere a Metal e Rock'n'Roll, independentemente de subestilos.

Mais matérias de Marco Néo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336