180bpms: "Dia Internacional de Celebração do Blastbeat"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Alex Petridis, do The Guardian, anunciou que James Hoare, editor da revista TERRORIZER está trabalhando para que o dia 29 de Janeiro seja declarado como o Dia Internacional de Celebração do Blastbeat. A idéia começou como uma brincadeira no "Good Bad Music for Bad, Bad Times", um blog escrito por Erich Keller, um estudante europeu de literatura e membro fundador da banda suiça de grindcore FEAR OF GOD.

Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoRock Progressivo: Você sabe que está ouvindo demais quando...

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"O blastbeat é uma forma muito, muito rápida de tocar bateria, normalmente acima de 180bpms, então soa como algo apocalíptico", explica Hoare. "A maioria das pessoas o associam com NAPALM DEATH e EXTREME NOISE TERROR, porque havia um período no qual John Peel estava tocando muito isso no final dos anos 80 e Mich Harris, baterista do Napalm Death, inventou o nome, mas os blastbeats apareceram nos lugares mais estranhos. O BEASTIE BOYS utilizou em um dos seus discos punk mais antigos, o "Pollywog Stew". Ele pensa por um momento. "É difícil dizer qual é seu atrativo realmente. Eu acho que é simplesmente porque é extremo."

O artigo na íntegra pode ser lido aqui.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Notícias

Maridos traídos: Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'AnnoMaridos traídos
Portnoy, Hagar, Osbourne, Waters e Di'Anno

Rock Progressivo: Você sabe que está ouvindo demais quando...Rock Progressivo
Você sabe que está ouvindo demais quando...


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336