Heaven & Hell: site resenha novo disco faixa a faixa

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Mateus Tozzi, Fonte: Metal Hammer, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 08/04/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Uma resenha faixa-a-faixa do "The Devil You Know", o primeiro álbum do HEAVEN & HELL - a banda que conta com os membros do BLACK SABBATH Tony Iommi (guitarra), Ronnie James Dio (vocal), Geezer Butler (baixo) e Vinny Appice (bateria) foi publicada na Metalhammer.co.uk:

860 acessosBlack Sabbath: projeto Home of Metal chega a São Paulo5000 acessosDavid Bowie: lendário cantor morre, aos 69 anos de idade

Nós ouvimos o novo álbum do Heaven And Hell, segue o que achamos...

“Atom And Evil”
Lento e arrastado como Sabbath em seu melhor. A voz de Dio é lenta e majestosa, e ele tem espaço de sobra para acelerar como tipicamente fazia em sua era no Black Sabbath. Lembra ligeiramente 'Electric Funeral', mas como se fosse tocada pelo The Sword. O meio tem um maravilhoso riff abafado que faz dela uma poderosa abertura.

“Fear”
Depois da abertura lenta, "Fear" detona com um grande riff, ainda lento, porém mais assombroso. Dio soa simplesmente demoníaco e explosivo como sempre foi, o refrão pode não ter a melodia mais cativante, mas a guitarra afiada garante uma boa audição. As letras não são super fáceis de seguir, mas a idéia satânica/oculta combina com o tempo assustador e misterioso. A velocidade também permite a Iommi fazer solos tanto lentos quanto virtuosos.

“Bible Black”
Essa começa com um agradável violão e uma guitarra. A voz de Dio entra cheia de ternura. Ai vem o riff... quando tocamos isso no escritório todo mundo falou 'Caramba!' Simplesmente um chuta-portas monstro pra bater a cabeça, e o refrão mostra Dio tomar vôo e deixar a agressão fluir. E quanto ao solo, Iommi está debulhando como um maníaco - este é sem dúvida o guitarrista do Sabbath fazendo o que sabe. Ele está tocando como um homem possuído. O que parece apropriado.

“Double The Pain”
DTP começa com um estranho riff de baixo com phaser, antes de cair numa outra música 'doom', porém mais mid-tempo. É óbvio que com a ciência moderna e técnicas de gravação Iommi tranformou o som da sua guitarra numa parede densa. O título é repetido num pequeno refrão no final de cada verso - mais parecida com a carreira solo de Dio. Você pode ouvir algo acústico na gravação também. E de novo o solo é maravilhoso.

“Rock And Roll Angel”
Apesar de "downtempo", essa música tem uma musicalidade otimista e os vocais largam a agressão das suas predecessoras. E de fato o riff é mais genérico, e o refrão se gaba de um ar quase sexy.

“The Turn Of The Screw”
Esta é conduzida por um riff arrastado que fará você pensar que está ouvindo o Candlemass, mesmo sendo um pouco mais "uptempo" do que boa parte do resto do álbum. O refrão é um excelente anti-clímax forçado. Tem algumas ótimas linhas de guitarra no meio e o solo geme por si só.

“Eating The Cannibals”
Ah, aqui está o andamento. O riff pode não ser espetacular mas tem um andamento bem rock e sólido, um bem-vindo descanso do doom - contagioso e glorioso como deve ser. A agressividade continua aqui e com um par de solos entre os versos, o ritmo é mantido, enquanto o Sr. Dio emana agressividade demoníaca. E o solo principal de novo é arrasador.

“Follow The Tears”
Órgão de igreja e um silêncio distorcido. Isso cresce e surge um ataque de cordas. Aí a música cai em um doom com uma ótima linha vocal de RJD. Isto é realmente Heaven & Hell (Black Sabbath com Dio). Soa como um álbum que eles QUERIAM fazer, não como outras tantas bandas consagradas cujos novos álbuns soam como versões pioradas de glórias passadas. E lá vai de novo outro solo perverso, cheio de personalidade.

“Neverwhere”
Essa é uma das mais curtas do álbum, com 4:33 (a maior tem aproximadamente 7 minutos), sem dúvida por ser uma das mais rápidas. Não é uma música ruim, mas não tem o pessimismo glorificado e a testosterona do resto do álbum.

“Breaking Into Heaven”
O fim do álbum é bem parecido com o começo. Um riff arrastado e lento sustentado por sinos e baterias mínimas. Com 7 minutos a banda leva a faixa para as profundezas e, no refrão, direto para as nuvens. E como se dissesse "não foda comigo" mais uma vez, Tony Iommi detona tudo com um lindo solo suave. Um verdadeiro final épico repleto de sintetizadores tipo "Seventh Son Of A Seventh Son" que adicionam dinamismo e corpo para essa que já é uma grande música.

Uma verdadeira façanha para a banda que inventou o gênero há aproximadamente 40 anos atrás, que retorna e entrega aquilo que será com certeza um dos lançamentos mais pesados do ano.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Black SabbathBlack Sabbath
"Podemos fazer alguns shows pontuais", diz Iommi

860 acessosBlack Sabbath: projeto Home of Metal chega a São Paulo1871 acessosBlack Sabbath: veja unboxing da "The Ten Year War"1256 acessosDoom Metal: os 25 maiores álbuns do gênero0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black Sabbath"

PoeiraPoeira
Black Sabbath com Dio e a "era Mob Rules"

Black SabbathBlack Sabbath
Robert Downey Jr. impulsiona venda de camisetas

Black SabbathBlack Sabbath
Não aprovamos as cruzes invertidas, diz Bill Ward

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Heaven And Hell"0 acessosTodas as matérias sobre "Black Sabbath"0 acessosTodas as matérias sobre "Dio"

David BowieDavid Bowie
Lendário cantor morre, aos 69 anos de idade

LuxúriaLuxúria
Uma lista de alguns dos clipes mais sexys da história

Cê tá de brincadeira?Cê tá de brincadeira?
Quando grandes nomes vacilam

5000 acessosO Whiplash.Net protege quem anuncia no site?5000 acessosDimmu Borgir: Silenoz se considera um satanista?5000 acessosMetal: 101 motivos para perceber que você ouve há muito tempo5000 acessosLogos de Bandas: blog elege o Top 10 dos mais bonitos5000 acessosBreast of the Beast: Miley Cyrus paga peito com Iron Maiden5000 acessosEm 18/02/1990: Freddie Mercury faz última aparição pública

Sobre Mateus Tozzi

Mateus Tozzi nasceu em 1988 em Sorocaba-SP e vive até hoje nessa cidade do interior paulista. Começou a se interessar por Heavy Metal em 2001 assistindo a apresentação do Iron Maiden no Rock In Rio III, e desde então, leva consigo uma enorme paixão pela música pesada. Suas bandas preferidas São Dio, Iron Maiden, Judas Priest, Sepultura, Slayer e Deep Purple. Atualmente faz o curso de Processamento de Dados e pratica guitarra.

Mais matérias de Mateus Tozzi no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online