Hatebreed: Mustaine? Duro foi entrevistar o Bruce Dickinson

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Gabriel Costa, Fonte: Riverfront Times, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 16/12/09. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

D.X. Ferris conduziu recentemente uma entrevista com o frontman do HATEBREED, Jamey Jasta, para o blog Riverfront Times, onde o vocalista discute a lógica por trás de álbuns de covers como o último da banda ("For The Lions", 2009), fala sobre os parceiros de turnê de sua banda e o tempo que passou como apresentador do programa Headbanger's Ball, da MTV americana. Confira alguns trechos da conversa abaixo.

46 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa5000 acessosPlanet Rock: 40 melhores discos ao vivo de todos os tempos

Com um álbum de covers, a maior parte do dinheiro vai para os autores das músicas. Então, qual é a compensação de um disco de covers?

Jasta: "A compensação é que isso volta para você multiplicado por 10 quando você homenageia e mostra respeito pelas pessoas que pavimentaram o caminho para que você pudesse fazer o que quer fazer, e viver a sua vida da forma que quiser, e tocar sua música do jeito que quiser. A compensação é o poder cíclico dos fãs que querem curtir e dizer 'Eu nunca tinha ouvido NEGATIVE APPROACH antes', ou 'Eu nunca ouvi D.R.I. antes, a agora eu conheci a banda'. E você também tem os fãs old school que nunca ouviram HATEBREED até que nós fizemos um cover de SUICIDE TENDENCIES. E tem os fãs de grandes bandas como SLAYER e METALLICA que querem ouvir o que fizemos com o material delas. Cria a curiosidade."

Como andam os seus livros?

Jasta: "Eu tive grandes problemas com o livro de letras, com os quais os advogados estão lidando. Vamos esperar que esses acordos ruins que eu fiz no passado não voltem para me assombrar mais. Não é algo de que eu possa realmente falar na imprensa. Quando você assina um acordo ruim [de gravação], afeta tudo: o uso de suas letras, e o uso de sua música em comerciais e shows de TV, e filmes e trilhas sonoras."

"Com relação ao livro do Headbanger's Ball, eu realmente só queria mudar o conteúdo paqra ser um pouco mais motivacional e inspirador. Eu não quero que o livro pinte esse quadro desanimador da indústria musical e coisas de trás das cenas - porque não foi assim. Eu queria mostrar às pessoas que você pode vir do nada. Quero dizer, eu tenho educação básica de segundo grau, e apresentei um programa por quatro anos em uma grande emissora. Eu pensei, se eu não tinha nenhuma experiência com TV, e eu já tinha o melhor trabalho do mundo, e acabei conseguindo o segundo melhor trabalho do mundo, eu preciso mostrar isso para que as pessoas tenham informação a respeito, se elas querem entrar na TV ou no rádio ou no jornalismo. Eu fiz um curso rápido na Connecticut School of Broadcasting. Eu lia um teleprompter e praticava e descobria coisas sobre bandas das quais eu não era fã. Eu queria mostrar as pessoas que você pode vir do nada."

Qual foi o entrevistado mais difícil no programa?

Jasta: "Definitivamente [o frontman do IRON MAIDEN] Bruce Dickinson."

Eu teria pensado nele ou no [frontman do MEGADETH] Dave Mustaine.

Jasta: "Mustaine sempre foi respeitoso. Mustaine foi muito legal. Dickinson, ele fez milhares de entrevistas e você consegue ver que ele não quer mais isso. Eu não o culpo. Eu falo mais a respeito disso no livro. Não quero entregar a história toda, mas ele é um daqueles caras que, se estiver tendo um dia ruim, você não conseguirá nada."

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Iron MaidenIron Maiden
Show do Ghost é melhor, diz reportagem

46 acessosHeavy Metal: os 10 melhores riffs dos anos noventa431 acessosIron Maiden: Iron Maiden Ex Libris aborda as letras da donzela410 acessosThunderstick: ex-batera do Samson e Iron Maiden lançará novo disco0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Iron Maiden"

Iron MaidenIron Maiden
Aquiles Priester e a foto de uma vida

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Os vocalistas que ele respeita e admira

Iron Maiden no BrasilIron Maiden no Brasil
Sem avião e sem Charlie Benante

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Hatebreed"0 acessosTodas as matérias sobre "Iron Maiden"0 acessosTodas as matérias sobre "Megadeth"0 acessosTodas as matérias sobre "Bruce Dickinson"

Planet RockPlanet Rock
Os 40 melhores álbuns ao vivo de todos os tempos

Timo TolkkiTimo Tolkki
Surtando no Facebook com a filha contra brasileiros?

AC/DCAC/DC
Brian revela segredo obscuro de Angus Young

5000 acessosDavid Bowie: a última foto pública e a última foto privada5000 acessosPink Floyd: dupla sertaneja desvirtua clássico da banda5000 acessosKiss: "Rock and roll é um trabalho para otários!"5000 acessosTankard: "Crystal é uma cerveja tão ruim quanto a Heineken"5000 acessosMegadeth: Dave Mustaine coloca Kiko acima de todos os outros guitarristas5000 acessosBlackmore é removido de camiseta do Purple

Sobre Gabriel Costa

Carioca, jornalista por profissão e roqueiro de nascença, Gabriel teve o primeiro contato direto com o rock and roll ao ouvir o álbum de estreia do Black Sabbath em um velho vinil de seu pai. Garoto do século 20, nascido em 1984, é absolutamente fascinado por tudo o que envolve o estilo, da música à mitologia. Canta na banda Six Pack Wonder, escuta de Backyard Babies a Strapping Young Lad, ama The Wildhearts e segue fielmente os ensinamentos de Lemmy e Danko Jones. Escreve no Twitter em http://twitter.com/gabrielccosta.

Mais matérias de Gabriel Costa no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online