RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemMegadeth é processado por artista que criou capa do último disco da banda

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de “Gita”

imagemBruce Dickinson explica como cuida de sua voz

imagemA opinião de Humberto Gessinger sobre movimentos separatistas da região Sul do Brasil

imagemQuando Roberto Carlos foi alfinetado por Raul Seixas, mas o Rei gostou do que ouviu

imagemMegadeth vai transmitir show que será realizado no Japão

imagemVocalista do Stryper afirma que Metallica é a banda de metal que ele menos gosta

imagemAndreas Kisser tira uma com o Flamengo após derrota; "Tri mundial só um"

imagemIron Maiden está atrás de George Michael e Cyndi Lauper em votação do Rock Hall Of Fame

imagemRoger Waters ataca a Ucrânia e é ofendido por esposa de David Gilmour

imagemNervosa anuncia que próximo disco de estúdio está gravado

imagemComo Brian May acabou fazendo participação especial em disco dos Paralamas do Sucesso?

imagemDio sobre ocultismo: "Aprendi há muito tempo que não se mexe com espíritos"

imagemDave Mustaine diz que atual formação do Megadeth é mais bem-sucedida em anos


Stamp

Hatebreed: Mustaine? Duro foi entrevistar o Bruce Dickinson

Por Gabriel Costa
Fonte: Riverfront Times
Postado em 16 de dezembro de 2009

D.X. Ferris conduziu recentemente uma entrevista com o frontman do HATEBREED, Jamey Jasta, para o blog Riverfront Times, onde o vocalista discute a lógica por trás de álbuns de covers como o último da banda ("For The Lions", 2009), fala sobre os parceiros de turnê de sua banda e o tempo que passou como apresentador do programa Headbanger's Ball, da MTV americana. Confira alguns trechos da conversa abaixo.

Com um álbum de covers, a maior parte do dinheiro vai para os autores das músicas. Então, qual é a compensação de um disco de covers?

Jasta: "A compensação é que isso volta para você multiplicado por 10 quando você homenageia e mostra respeito pelas pessoas que pavimentaram o caminho para que você pudesse fazer o que quer fazer, e viver a sua vida da forma que quiser, e tocar sua música do jeito que quiser. A compensação é o poder cíclico dos fãs que querem curtir e dizer 'Eu nunca tinha ouvido NEGATIVE APPROACH antes', ou 'Eu nunca ouvi D.R.I. antes, a agora eu conheci a banda'. E você também tem os fãs old school que nunca ouviram HATEBREED até que nós fizemos um cover de SUICIDE TENDENCIES. E tem os fãs de grandes bandas como SLAYER e METALLICA que querem ouvir o que fizemos com o material delas. Cria a curiosidade."

Como andam os seus livros?

Jasta: "Eu tive grandes problemas com o livro de letras, com os quais os advogados estão lidando. Vamos esperar que esses acordos ruins que eu fiz no passado não voltem para me assombrar mais. Não é algo de que eu possa realmente falar na imprensa. Quando você assina um acordo ruim [de gravação], afeta tudo: o uso de suas letras, e o uso de sua música em comerciais e shows de TV, e filmes e trilhas sonoras."

"Com relação ao livro do Headbanger's Ball, eu realmente só queria mudar o conteúdo paqra ser um pouco mais motivacional e inspirador. Eu não quero que o livro pinte esse quadro desanimador da indústria musical e coisas de trás das cenas - porque não foi assim. Eu queria mostrar às pessoas que você pode vir do nada. Quero dizer, eu tenho educação básica de segundo grau, e apresentei um programa por quatro anos em uma grande emissora. Eu pensei, se eu não tinha nenhuma experiência com TV, e eu já tinha o melhor trabalho do mundo, e acabei conseguindo o segundo melhor trabalho do mundo, eu preciso mostrar isso para que as pessoas tenham informação a respeito, se elas querem entrar na TV ou no rádio ou no jornalismo. Eu fiz um curso rápido na Connecticut School of Broadcasting. Eu lia um teleprompter e praticava e descobria coisas sobre bandas das quais eu não era fã. Eu queria mostrar as pessoas que você pode vir do nada."

Qual foi o entrevistado mais difícil no programa?

Jasta: "Definitivamente [o frontman do IRON MAIDEN] Bruce Dickinson."

Eu teria pensado nele ou no [frontman do MEGADETH] Dave Mustaine.

Jasta: "Mustaine sempre foi respeitoso. Mustaine foi muito legal. Dickinson, ele fez milhares de entrevistas e você consegue ver que ele não quer mais isso. Eu não o culpo. Eu falo mais a respeito disso no livro. Não quero entregar a história toda, mas ele é um daqueles caras que, se estiver tendo um dia ruim, você não conseguirá nada."

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Chris Barnes, ex-Cannibal Corpse, é chamado de bundão após falar mal do death atual

Hatebreed: 5 álbuns cruciais de hardcore, segundo o vocalista

JuSvarn: Bandas que expulsaram headbangers da platéia


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Gabriel Costa

Carioca, jornalista por profissão e roqueiro de nascença, Gabriel teve o primeiro contato direto com o rock and roll ao ouvir o álbum de estreia do Black Sabbath em um velho vinil de seu pai. Garoto do século 20, nascido em 1984, é absolutamente fascinado por tudo o que envolve o estilo, da música à mitologia. Canta na banda Six Pack Wonder, escuta de Backyard Babies a Strapping Young Lad, ama The Wildhearts e segue fielmente os ensinamentos de Lemmy e Danko Jones. Escreve no Twitter em http://twitter.com/gabrielccosta.
Mais matérias de Gabriel Costa.