Godsmack: Sully Erna pede desculpas a membros do Creed

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  

O líder do GODSMACK Sully Erna publicou um "pedido de desculpas público" aos membros do CREED, e em particular a seu vocalista, Scott Stapp, por usar um termo pejorativo para homossexual para descrever Stapp (veja imagens abaixo) quando a banda de hard rock de Massachusettes se apresentou no Mohegan Sun Arena em Uncasville, Connecticut, em 9 de outubro. A referência foi feita durante um longo discurso de Erna no meio da última música do set do GODSMACK, "Whatever", quando Erna desafiou o público a cavar um fosso no local e "quebrar o pau."

publicidade

publicidade

O "pedido de desculpas público" de Erna na íntegra:

Gostaria de apresentar minhas mais sinceras desculpas ao membros do CREED, a Scott Stapp e a todos nossos fãs que tenham se ofendido por um comentário injurioso e desrespeitoso que eu fiz a respeito de Scott Stapp e do CREED em um show que o GODSMACK fez recentemente em Connecticut em Mohegan Sun. Não tenho nenhuma justificativa.

A verdade é que houve muitas desavenças por muitos, muitos anos entre eu e o Scott em virtude da attitude dele para um jovem fã que ele desrespeitou, e como ele tratava as pessoas no passado. E desse dia em diante eu perdi completamente o respeito por ele. Mas os detalhes do que ele fez não importam agora. O que importa é que foi há muito tempo, e eu sei que o Scott passou tudo a limpo, admitiu suas falhas do passado e em sua maior parte, e trabalhou duro para se limpar. E eu devia ter respeitado isso e dar ao cara o benfício da dúvida. Mas eu não fiz isso. Eu fui levado pelo momento, e disse algo que foi totalmente fora dos limites por conta de um rancor que carreguei por muitos anos por ele. Por isso eu gostaria de 'desculpar-me publicamente' a todos membros do CREED e a seus fãs. Com exceção do Scott, sou amigo dos membros do CREED/ALTER BRIDGE há muitos anos, e estou envergonhado como amigo por tê-los insultado como fiz.

publicidade

Não sofri nenhuma consequencia por meus atos, nem fui advertido por meu selo musical, empresários ou advogados a ir a público e corrigir essa questão. Estou escrevendo essa carta por vontade própria. Estou fazendo isso porque quero que todos saibam que reconheço que esse foi um ataque imaturo e injustificado, e sou homem suficiente para admitir quando estou errado. Quero pensar que eu cresci passando por essas partes da minha vida, e sempre preguei que 'música não é competição,' é uma linguagem universal a que todos estamos ligados e experimentamos a nossa própria maneira, e eu me apego a essas palavras. Tendo dito isso, eu não seria mais do que hipócrita por difamar outro artista por nenhuma razão outra senão por eventos passados que eu levo contra ele.

publicidade

Eu também gostaria de agradecer aos fãs por me fazerem acordar pra isso através de suas resenhas, comentários e e-mails, por mais duro que alguns deles tenham sido, eles me fizeram compreender que eu sou um pai de 42 anos, com uma grande carreira e um propósito muito maior na vida do que ficar preso ao meu passado imaturo e perder meu tempo carregando rancores inúteis. Eu próprio já cometi muitos erros na minha vida e não fui nenhum anjo, mas fui perdoado por esses erros. Então estou aqui para enterrar isso de uma vez por todas.

publicidade

Não espero que o Scott ou qualquer um dos caras aceitem minhas desculpas, mas ainda sinto que o mímino que posso fazer por tê-los envergonhado é ter hombridade e pedir desulpas publicamente. Foi um comentário de mau gosto e desnecessário sobre quatro caras muito trabalhadores. Todos estamos nessa juntos, e sinto muito por desrespeitar vocês.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Edu Falaschi: o fax com convite de seleção para o Iron MaidenEdu Falaschi
O fax com convite de seleção para o Iron Maiden

Excessos: como os rockstars gastam os seus milhõesExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin