Velvet Revolver: "ainda não foi tomada uma decisão"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar Correções  

O site Soundspike entrevistou recentemente o lendário guitarrista Slash (VELVET REVOLVER, GUNS N' ROSES). Seguem alguns trechos da conversa.

Soundspike: É incrível que você tenha escolhido o Myles Kennedy, do ALTER BRIDGE, para ser [o] vocalista [de sua banda solo].

Slash: Sim, bem, o Myles é alguém de quem eu não tinha realmente conhecimento quando eu estava fazendo o disco. Eu cheguei ao fim do disco – eu tinha gravado 90% dele – e tinha duas músicas faltando. Eu não conseguia saber quem poderia cantá-las. Eu acabei me familiarizando com o Myles, mas eu não conhecia a voz dele tão bem. Eu ouvi falar muito nele. Eu dei um tiro no escuro e disse: "Vamos ver como é esse tal de Myles Kennedy". Eu mandei algumas músicas para ele e ele voltou com as letras e as melodias. Eu fiquei tipo, "Isso é bom pra caralho". Foi uma descoberta animadora para mim, pessoalmente.

publicidade

Soundspike: O que ele traz para sua música, particularmente naquelas em que ele não canta no álbum?

Slash: É realmente complicado adaptar sua voz a esses vários tipos diferentes de músicas: do GUNS N' ROSES a qualquer música dos meus discos, do VELVET REVOLVER ao SNAKEPIT [do SLASH]. São todos estilos diferentes e ele simplesmente consegue fazer isso. Não é nada que não chegue perto do milagroso, sem soar dramático demais. Ele faz isso de uma forma que a música é totalmente reconhecível, mas ele, ainda assim, tem seu próprio estilo.

publicidade

Soundspike: Como está sendo como novo vocalista do VELVET REVOLVER?

Slash: Bem, tem muito para se falar e uma decisão ainda não foi completamente tomada. Eu não quero dizer que estamos no limbo, mas está pairando por aí nesse momento.

Soundspike: O que você fará no resto do ano?

Slash: Estou em turnê. Estou em turnê com o Ozzy, então vamos para a Ásia, Austrália e América do Sul. Então, quando eu voltar, vou trabalhar num material novo, para um novo disco, que eu planejo fazer com o Myles. Eu voltarei no verão com essa banda e com o Myles, então farei mais turnê. E qualquer coisa pode acontecer daqui até lá.

publicidade

Leia a entrevista na íntegra (em inglês) no Soundspike:
http://www.soundspike.com/features/tour/1415-slash_tour_q_a_...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Indústria: 17 coisas que bandas novas simplesmente não entendemIndústria
17 coisas que bandas novas simplesmente não entendem

Punk: 10 músicos que são mais ricos do que você pensaPunk
10 músicos que são mais ricos do que você pensa


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin