Queensryche: resenha do "Rage for Order" no Minuto HM

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Flavio Remote e Alexandre B-Side
Enviar Correções  

Antes de abordar o álbum em questão, descrevemos aqui o momento da banda em 1986. Após lançar um ótimo EP em 1983, com recepção amena e pouca divulgação, a banda lançaria se primeiro álbum em 1984 com o The Warning. Lembrando que o Queensryche é uma banda de Seattle (EUA), mas com o estilo nesses dois primeiros (o EP e The Warning) bem calcado no HM britânico tradicional – na linha NWOBHM (New Wave of British Heavy Metal).

Iron Maiden: por que escolheram Blaze e não Michael Kiske ou Geoff Tate? Nicko responde

Guns N' Roses x Nirvana: o que ocorreu em 1992?

Em 1986, curiosamente ou não, várias bandas optaram por experimentar algo diferente e tivemos vários lançamentos das bandas mais tradicionais que fugiram ao estilo dos seus álbuns anteriores. Assim, álbuns como Turbo do Judas Priest – recheados de teclados, Ultimate Sin – Ozzy Osbourne – numa linha bem mais acessível, buscando o mercado americano – cuja o estilo em moda era classificado de Hair Metal ou Poser, e até o excelente Somewhere in Time trazia novidades com inclusão de baixos e guitarras sintetizadas. Talvez possamos pensar que o Queensryche optou por lançar algo também mais acessível, mas o caminho seguido foi muito mais radical e experimentalista.

Continue vendo o review deste controvertido disco no Minuto HM:

http://minutohm.com/2011/03/19/queensryche-rage-for-order-...


adWhipDin adWhipDin