Portnoy: "difícil ver fãs do DT virarem as costas para mim"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Kako Sales, Fonte: Blabbermouth.Net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 03/09/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O site Metal Kaoz recentemente conduziu uma entrevista com o baterista Mike Portnoy (Adrenaline Mob, Dream Theater, Avenged Sevenfold). Alguns trechos da conversa seguem abaixo.

5000 acessosPortnoy: ele entende porque os caras do DT recusaram o convite5000 acessosMetallica: a lista de exigências da banda em 1983

Metal Kaoz: Você tem em mente uma data de lançamento para o álbum de estréia do Adrenaline Mob ou mesmo um contrato com gravadora?

Mike Portnoy: Na verdade, estamos em processo de busca de uma gravadora para lançar o álbum. Estamos conversando com algumas gravadoras no intuito de encontrar o que é melhor para a banda porque é algo bastante diferente, nada como o Dream Theater ou o Symphony X (que conta com o vocalista do Adrenaline Mob, Russell Allen). Até agora, temos em mente que o álbum deve ser lançado em janeiro de 2012. Preenchendo a vaga como banda de abertura para o Godsmack, achamos que seria uma boa maneira de apresentarmos a banda lançando um EP de forma independente agora.

MK: Cada membro da banda tem um background musical bastante rico; você acredita que isso aumenta a pressão do Adrenaline Mob como banda?

Portnoy: Isso coloca uma tremenda quantidade de pressão sobre a banda. Primeiramente, há muita pressão sobre mim, visto que esta é minha primeira banda após meus trabalhos com Dream Theater e Avenged Sevenfold, então há bastante foco no que eu faria em seguida. Também, esta é a primeira “banda de verdade” que Russell já participou fora do Symphony X. E a maior pressão vem do fato de que as pessoas que vêm ao show estão esperando assistir a uma banda de Metal Progressivo, e o Adrenaline Mob NÃO É. Temos consciência de que esta banda não é Dream Theater ou Symphony X, e, de fato, essa é exatamente a intenção. Se quiséssemos tocar música progressiva, poderíamos fazer isso no Dream Theater ou no Symphony X. Esse é um “monstro” totalmente novo. Há uma parte de mim que sempre curtiu música agressiva, direcionado a riffs, tipo Pantera, Black Label Society, Slipknot ou coisas desse tipo. É claro, ainda amo música progressiva, milhões de odd-times signatures e canções épicas de 20 minutos, mas tenho feito isso há 25 anos. Então, era hora de fazer algo diferente e foi assim também com Russ (Allen).

MK: Você acha que tem que pedir desculpas ou se explicar por isso?

Portnoy: Não acho que eu tenha que pedir desculpas por isso, e estou animado e orgulhoso dessa banda. Mas sinto que tenho que explicar e ajudar as pessoas a entenderem que esse EP não vai soar como uma banda de Metal Progressivo. Enquanto eles deixarem essas expectativas de lado e aceitarem a banda pelo que ela é, então não há necessidade de desculpas.

MK: Antes de compor para essa banda, você já tinha em mente seu direcionamento musical?

Portnoy: Mike (Orlando, guitarrista) e Russ tinham isso em mente e, como eu disse, no momento em que eu ouvi a faixa “Undaunted”, eu mandei uma mensagem para o Russ e disse a ele que queria me juntar a eles. Eu sempre quis fazer algo agressivo, pesado, mas ao mesmo tempo melódico, cheio de grooves, riffs e com muita energia. Vocês vão ver no show de hoje à noite que realmente vão haver artistas no palco. E sem desrespeitar o Symphony X ou o Dream Theater, eu diria que essa é uma apresentação de palco diferente. Quer dizer, com o Dream Theater, eu era o artista mais animado, como o Russ no Symphony X. Mas nessa banda, eu diria que sou o mais “calmo”... Os caras ficam correndo o tempo ao meu redor o tempo todo! É um ambiente legal, diferente e revigorante.

MK: Você tem encontrado “haters” (N. do T.: pessoas que odeiam ou denigrem o que ele faz) ao longo desse processo?

Portnoy: Com certeza, eu tenho. Tem sido um ano difícil para mim ao ver os fãs do Dream Theater virarem as costas para mim, o que é lamentável, porque eu tenho sido o artista mais direcionado aos fãs que você já conheceram. E durante meu tempo com o Dream Theater, tudo o que eu fiz foi para os fãs. Então é triste quando eu vejo alguém me dar as costas. Porém, novamente, há um grande número de fãs que tem apoiado bastante e, a essas pessoas, eu sou eternamente grato e continuarei tentando fazer deles fãs orgulhosos.

Leia a entrevista na íntegra no Metal Kaoz.
http://widget.tunecore.com/swf/tc_run_h_v2.swf?widget_id=709...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mike PortnoyMike Portnoy
Ele entende porque os caras do Dream Theater recusaram o convite

874 acessosNeno Fernando: Vocalista lança tributo ao Dream Theater305 acessosDarkos: os incríveis solos de guitarra de John Petrucci0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

John PetrucciJohn Petrucci
"Quanto tempo fiquei sem tocar guitarra?"

Mike PortnoyMike Portnoy
Por que tantos problemas com bateristas?

Mike PortnoyMike Portnoy
"Meu problema é que me importo demais"

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Mike Portnoy"0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"0 acessosTodas as matérias sobre "Adrenaline Mob"

MetallicaMetallica
A lista de exigências da banda em 1983

Musas do MetalMusas do Metal
Confira as 10 mais lindas atualmente

Tirando a poeira do tímpanoTirando a poeira do tímpano
20 novas bandas de rock pra curtir

5000 acessosListed: TV americana elege os maiores bad boys da música5000 acessosNuno Bettencourt: Rihanna canta muito, mas ele não quer mais tocar com ela5000 acessosIron Maiden: os fãs mais insuportáveis em lista da MTV5000 acessosIron Maiden: banda posta álbum de fotos de 1º dia da nova turnê5000 acessosYngwie Malmsteen: guitarristas, Ferraris, vídeo-games, e mais5000 acessosHeavy Metal: 10 músicas inspiradas em heróis de quadrinhos

Sobre Kako Sales

Mineiro de Januária, baterista autodidata, cresceu em ambiente familiar ligado à música popular e erudita. Seu pai chegou a fazer pequenas turnês com bandas da Jovem Guarda como tecladista no fim da década de 70. Aos 10 anos, iniciou os estudos de teoria musical e piano clássico. Teve o primeiro contato com o mundo do metal ao escutar o CD Angels Cry do Angra, aos 15 anos. Desde então tem se dedicado a conhecer, colecionar e difundir o melhor do metal brasileiro e mundial. Graduado em Letras/Inglês, principalmente por influência da língua-mãe do rock, tem como principais ícones do metal as bandas Angra, Symphony X, Dream Theater e Opeth.

Mais informações sobre Kako Sales

Mais matérias de Kako Sales no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online