Indústria: discos antigos estão vendendo mais que os novos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 21/07/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Pela primeira vez nesse ano, álbuns mais antigos e fora do período de promoção [que geralmente dura seis meses a partir de sua data de lançamento] começaram a vender mais do que álbuns atuais, seja o formato CD, vinil ou download pago. Mas essa é uma tendência que tem dado as caras já há algum tempo, e reflete a desvalorização que está afetando principalmente aos artistas ditos ‘novos’.

1715 acessosAnos 90: Antes da Internet as Fitas K7 eram a Salvação no Rock5000 acessosGlen Benton e Euronymous: a verdade sobre o encontro

A razão por trás disso é que álbuns simplesmente colocam mais dinheiro no bolso dos artistas [assim como no de suas gravadoras] especialmente quando aliados a outras fontes de renda, como turnês de shows. O que significa que, se você está vendendo Box sets e lotando shows de ‘reunião’ de sua banda, você provavelmente está rico. Mas se você está bombando em plataformas como Spotify, você provavelmente está sendo assassinado nas finanças.

O gráfico abaixo ilustra o embate entre vendas de lançamentos contemporâneos e de catálogo, baseando-se em números coletados a partir de 2002, e divulgados pela auditora Nielsen Soundscan através do site especializado DIGITAL MUSIC NEWS.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 21 de julho de 2012

Anos 90Anos 90
Antes da Intenet as Fitas K7 eram a Salvação no Rock

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Indústria Musical"

Saúde PúblicaSaúde Pública
18 sinais de que você é viciado em discos de vinil

Bandas NovasBandas Novas
Como vocês NÃO devem tratar o técnico de som

FacebookFacebook
Bandas terão mais dificuldade em divulgar material

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Indústria Musical"

Qual a verdade?Qual a verdade?
O polêmico encontro de Glen Benton e Euronymous

Pink FloydPink Floyd
Tudo sobre o clássico "Another Brick in the Wall"

HumorHumor
Os roqueiros mais chatos das redes sociais

5000 acessosSeparados no nascimento: Paul Stanley e Ioná Magalhães5000 acessosRolling Stones: as 10 melhores segundo a... Rolling Stone5000 acessosSlash: guitarrista enumera seus 10 riffs favoritos4155 acessosJourney: "Steve Perry era um fenômeno humano", diz baixista do Styx5000 acessosRoberto Sabbag: Colecionador do Slayer e Heavy Metal em geral5000 acessosThe Police: uma idéia criada e visionada por Stewart Copeland

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online