KillSwitch Engage: vocalista explica processo criativo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 24/11/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

A Roadrunner Records recentemente conduziu uma entrevista com Jesse Leach, vocalista do KILLSWITCH ENGAGE, trechos desta entrevista podem ser lidos abaixo.

773 acessosCover: Brasileira e polonesa em "My Curse" do Killswitch Engage5000 acessosEm 11/10/1996: Morre Renato Russo, da banda Legião Urbana

Roadrunner Records: O novo álbum está basicamente pronto. Como foi seu processo criativo quando você estava compondo?

Jesse: “Ah, cara, foi intenso. Eu tinha todas essas ideias soltas do que eu queria fazer com o direcionamento das letras, e a coisa boa foi que começamos o disco antes da turnê. Eu não me sentia satisfeito e senti muita pressão de fazer tudo em tão pouco tempo. Em minha cabeça eu pensava: ‘Bem, eu posso compor esse disco agora e tentar finalizá-lo antes da turnê, ou posso cair na estrada e passar um tempo com esses caras e aprender coisas novas. Voltar com uma melhor perspectiva sobre o meu papel nesta banda’. Para mim foi muito melhor voltar para a estrada e viver um pouco. Isto ajudou muito o disco. Só ver como esses caras interagem com os fãs, escutar as histórias da turnê, pegar o ritmo após 9 anos de várias coisas acontecendo ... e refletir sobre minha vida pessoal, e pensar que faz uma década desde que começamos esta banda. Minha vida mudou bastante. É como se fosse um gatilho para mim, refletindo sobre o passado, sobre o passado deles e amarrar tudo junto. É este o conceito do disco de certa forma. Sobre o sofrimento da vida e perseverança.”

Roadrunner Records: Quando você estava compondo, como você evitou a pressão mental de ser muito influenciado pelo seu próprio passado ou a história da banda?

Jesse: “Eu acho que muita de minha inspiração vem da própria música. Eu escutaria as faixas instrumentais repetidamente e faria escrita livre. Eu não pensaria sobre escrever uma parte específica, mas simplesmente sobre os sentimentos criados pela música, e eu faria isso por horas, páginas e páginas de material. Aí eu voltaria e tentaria organizar todos estes pensamentos. Muito da escrita vem da própria música, e, além disso, eu daria umas voltas de bicicleta, já que estou bem animado com bicicletas esses dias para permanecer em forma. Umas 20 ou 30 milhas de bicicleta. Gravaria as coisas no meu telefone, assoviando... basicamente vivendo. Todos os dias eu acho uma forma de fazer minha composição dar certo, de simplesmente continuar escrevendo, achando inspiração de diferentes maneiras.”

Leia a entrevista completa, em inglês no link abaixo.

http://www.roadrunnerrecords.com/news/killswitch-jesse-20121...

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

773 acessosCover: Brasileira e polonesa em "My Curse" do Killswitch Engage0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Killswitch Engage"

Metal SucksMetal Sucks
Os 522 melhores álbuns de metal do século 21

MetalMetal
As bandas mais expressivas surgidas nos últimos 15 anos

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Killswitch Engage"

Em 11/10/1996Em 11/10/1996
Morre Renato Russo, da banda Legião Urbana

Chris CornellChris Cornell
Relatório policial descreve últimas horas e morte

IndústriaIndústria
17 coisas que as bandas novas não entendem

5000 acessosFotos de Infância: Slayer5000 acessosPlágio ou coincidência: trechos semelhantes no rock/metal5000 acessosEmos: 23 músicas que já estiveram na sua playlist5000 acessosGene Simmons: explicando por que álbum do Guns é um de seus favoritos3707 acessosAerosmith: E se isolassem o vocal de Steven Tyler em IDWTMAT?4974 acessosDesde criancinha: a recém nascida mais metal do mundo

Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online