Bush: recusar o Metallica foi um acerto; aceitar o Anthrax também

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 


375 acessosMetallica: Cliff Burton VS Jason Newsted VS Robert Trujillo5000 acessosJames Hetfield: O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

O vocalista estadunidense JOHN BUSH [ARMORED SAINT, ANTHRAX] conversou em março de 2013 com o site NOISECREEP sobre toda sua carreira de 30 anos no Metal. O texto abaixo é uma transcrição de um pequeno trecho da conversa.

[…] Olhando pras várias etapas de sua carreira, quais foram alguns dos seus maiores feitos com o Anthrax?

Antes de qualquer coisa, eu entrar pra banda e lançar “Sound of White Noise”. Meu primeiro disco com o Anthrax chegou a Disco de Ouro! Também foi um álbum à frente de seu tempo. O engraçado comigo e o Anthrax é que por anos nos tentamos passar que ainda era o Anthrax, que ainda é a mesma banda e vendo agora, não era mesmo. Com certeza ainda era Scott, e Frankie e Charlie. Mas também éramos todos nós pensando ‘os anos 90 estão aqui e vamos pular nesse barco e queremos fazer algo inovador e moderno – algo que achamos que seja natural’. Eu acho que ‘Sound of White Noise’ foi esse disco e certamente começou meu tempo no Anthrax. Daí as coisas mudaram na indústria e nunca mais tivemos o sucesso que tivemos naquele disco. Nós com certeza fizemos discos legais e escrevemos grandes músicas.

É difícil competir com as bandas grandes, fudidas, imagine com você mesmo e sua história: havia o Anthrax dos anos 80e o Anthrax dos anos 90. Eu continuo dizendo às pessoas que mesmo agora você pode gostar das duas. Você não tem que gostar de um ou do outro. Fomos inventivos, corremos muitos riscos e criamos um parâmetro pra como eu tenho olhado pra música pro resto da minha vida. Tenho orgulho de meu período naquela banda.

Você teve muito a ver com a redefinição do som e do potencial do Anthrax. Sob muitos aspectos, você os levou de ser uma grande banda de thrash para um som mais comercial.

Nós só abraçamos o que era natural pra nós. O Anthrax é uma banda que sempre correu riscos. Eu não vou mencionar nomes, mas há muitas bandas que gravam o mesmo disco várias vezes. Isso pode se virar contra você. Particularmente, para mim, como músico e vocalista, eu não curto fazer música desse jeito. Acho chato. Você não é o mesmo cara que era 20 anos atrás, então por que você vai fazer o mesmo disco que fizera então? É provável que não vá ser um disco tão bom. Você está crescendo e evoluindo constantemente. Você não pode basear toda sua existência em algo que você fez em 1985. Isso é retardado. Não faz nenhum sentido lógico pra mim. Se você não está crescendo, então você está morrendo.

Você foi convidado pra entrar no METALLICA em 1984. Como você acha que as coisas teriam sido diferentes caso você tivesse aceitado?

Eu nem consigo me imaginar ali. Quando eles fizeram os shows de aniversário no [teatro] Fillmore em 2011 e eu toquei “The Four Horsemen” com eles, foi meio ‘OK, seria assim que teria ficado’. Foi demais, um momento lindo e muito divertido. Isso bastou. Não era pra acontecer. Mesmo naquela época, James era o James. Ele era e sempre será a voz do Metallica. Na verdade, eu acho que James evoluiu mais do que qualquer outro vocalista na história do rock. Se você ouvir ‘Kill’em All’ e depois ouvir ao ‘Black Album’, que baita progresso ele fez! Na real, eu sempre digo que teria sido um erro muito maior da minha parte não entrar pro Anthrax do que entrar pro Metallica. Foi o destino. […]

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, nos links abaixo:

Post de 11 de março de 2013
Post de 05 de outubro de 2014

MetallicaMetallica
A música preferida dos fãs nos shows ao vivo

375 acessosMetallica: Cliff Burton VS Jason Newsted VS Robert Trujillo280 acessosMetallica: mais vídeos oficiais ao vivo, jovem fã sobe ao palco292 acessosMeshuggah: e se "Bleed" tivesse a bateria de "St. Anger"?380 acessosMetallica: vídeo profissional de "Creeping Death" em Miami0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

MetallicaMetallica
Hetfield revela faixa que ficaria fora do "Ride The Lightning"

MetallicaMetallica
Lemmy, um dos principais motivos desta banda existir

Cliff BurtonCliff Burton
Ele herdou dos hippies os ideais, imagem e atitude

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Anthrax"0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

James HetfieldJames Hetfield
O equilíbrio entre Metallica e vida familiar

Led ZeppelinLed Zeppelin
"Stairway To Heaven" vale mais de US$500 milhões?

HumorHumor
Namorar um headbanger é sair da zona de conforto

5000 acessosSteve Vai: O dia em que ele foi humilhado por Chimbinha5000 acessosChris Cornell: cantor usou aparelho de escalada para tirar a vida5000 acessosPattie Boyd: o infernal triângulo com George Harrison e Eric Clapton5000 acessosPink Floyd: Nick Mason compara saída de Waters à morte de Stalin5000 acessosDave Mustaine: detratores são cruéis, mas não burros5000 acessosCopa do Mundo: Mojo elege as 15 canções mais incríveis do Brasil

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online