Dave Lombardo: "Chocado" por atitude dos companheiros no memorial de Hanneman

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Mark Ashby do Planeta Mosh, conduziu em fevereiro de 2014 uma entrevista por e-mail com o ex-baterista do SLAYER Dave Lombardo. Alguns trechos da sessão de perguntas e respostas seguem abaixo.

Pink Floyd: a história por trás de "Animals"Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre sua saída do SLAYER e sobre como ele foi tratado:

Lombardo: Isto poderia ter sido resolvido de forma simples. Eu não estava pedindo nada além de ser tratado da mesma forma que os outros. Eu tenho certeza que eu cometi erros ao longo do caminho, mas a minha intenção nunca foi sair da banda. Quem faria isso na melhor fase de uma banda? A situação atual me deixa chateado. Jeff Hanneman não queria isso e eu não queria isso.

Sobre um comentário de Tom Araya, de que Lombardo era "um membro contratado da banda" e não um parceiro:

Lombardo: É revoltante. Eu deixei a banda em 92 para estar em casa para o nascimento do meu filho. Um único show mudou os rumos da banda. Tom esqueceu a história - engoliu histórias criadas no decorrer de anos, para vender ingressos. Se não fosse por mim o Slayer não existiria. Eu fui falar com Kerry King para formar esta banda. De alguma forma eles se esqueceram disso.

Sobre se ele lamenta seu post no Facebook em que revelou detalhes que, de acordo com Araya, eram privados e não deveriam ser revelados:

Lombardo: Não lamento. Meu discurso no Facebook ainda é a verdade. Nem mais nem menos que a verdade.

Sobre seu atual relacionamento com Tom Araya e Kerry King:

Lombardo: Infelizmente, não existe!

Sobre sua relação com Jeff Hanneman:

Lombardo: "Eu não vi Jeff por alguns meses antes de ele morrer, mas trocamos muitas mensagens e muitos telefonemas. Ele realmente não deixava ninguém chegar muito perto de sua vida cotidiana, mas quando nos falávamos... era como se não tivesse passado tempo nenhum: um monte de risadas. Eu não podia querer uma relação melhor do que a que eu tinha com Jeff. Era incrível.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre se ele ficou surpreso com a aparente frieza que seus ex- companheiros de banda e, especialmente, Kerry King, mostraram após a morte de Jeff:

Lombardo: Fiquei chocado que Tom não apareceu para o memorial. Era desconfortável para mim estar lá, dado o que estava acontecendo entre a banda e eu, mas eu fui lá. Fiquei igualmente chocado com a maneira egocêntrica como Kerry se pronunciou. Nenhuma de suas histórias descreveu o tipo de ser humano que Jeff era.

Leia a entrevista completa no Planet Mosh.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Slayer"Todas as matérias sobre "Dave Lombardo"


Metallica: por que sucesso foi maior que o dos outros no Big 4? Lars comentaMetallica
Por que sucesso foi maior que o dos outros no Big 4? Lars comenta

Slayer: A História por trás da capa de Reign In BloodSlayer
A História por trás da capa de Reign In Blood


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da bandaGuns N' Roses
álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda


Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280