Lojas de Discos: mais importantes e relevantes do que nunca

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Neste RECORD STORE DAY [19 de Abril], a revista inglesa NME divulga uma conversa com o produtor e rapper CHUCK D [que chegou a colaborar com os thrashers nova-iorquinos do ANTHRAX na faixa "Bring The Noise" ao lado de seu grupo, o PUBLIC ENEMY] sobre sua visão do futuro do varejo musical:

"Eu venho da cultura DJ. Nós, DJs, reconhecemos a importância dos discos e a importância da cultura musical. As lojas independentes de discos têm fortalecido a curadoria dos discos e da música à medida que a cena amadurece. As lojas que influenciaram a nós, músicos, são lugares que sopraram vida em nós tanto quanto os fabricantes da música, tal como os colecionadores. E é por isso que a sobrevivência das lojas de discos ao redor do mundo é tão importante.

Tudo está na internet - tudo. Mas se você não sabe ler a internet e interpretar o que está ali, então ela é inútil. As lojas de discos são nossas curadorias. Elas são os sistemas de GPS para nos guiar através do que está na rede - elas lhe ajudam a entender o que é o que.

Ser embaixador do Record Store Day não se trata de uma visão romântica da volta do vinil e uma moda. Eu acho que se trata de fazer com que as lojas de discos saibam que elas podem ser independentes e flexíveis o suficiente para se adaptarem a qualquer tipo de avalanche tecnológica que vier. Eu não fico ofendido ao ver um anúncio com os dizeres "LP, CD, DL" nele, mas acho que a sobrevivência das lojas de disco gira em torno de prestar atenção no passado tanto quanto prestamos ao futuro.

Lojas independentes devem estar aptas a abrir suas asas e mostrar sua flexibilidade, e também a manter a alma e a emoção de tudo isso. Vai além de simplesmente dirigir-se a uma loja de discos e comprar álbuns de vinil: trata-se de ir até lá e poder absorver conteúdo, dados, itens colecionáveis, estilo de vida, relevância.

Eu acho que a chave é entender a mudança na linguagem. As pessoas me perguntam, "Chuck, mano, que tipo de música nova você curte?" e eu respondo, "Bem, eu curto o novo Big Joe Turner, de 1957. É novo, porque eu não conhecia! É novo para mim. Você não tem como forçar o público a dizer o que é novo e o que não é - especialmente não no momento. John Sebastian, do Lovin' Spoonful, é novo para uma massa crítica de pessoas. O T-Rex é novo. Phil Lynott é novo. Eu acho que as lojas de discos podem trabalhar em conferência com as pessoas ao propiciar essas descobertas, e ajudá-las a achar mais e mais.

As lojas de discos são bibliotecas sônicas que podem oferecer a curadoria que as gravadoras não podem e não farão. È por isso que eu sou um grande fã da ideia de que toda loja independente de discos deveria ter sua própria estação de rádio digital. E já que elas são independentes, mesmo que as leis digam 'não', então que sejam as novas estações piratas de rádio - as lojas de disco sendo suas próprias estações de rádio. Então esse é meu primeiro discurso rebelde no papel de embaixador do Record Store Day - tentar fazer com que toda loja independente de discos tenha sua própria estação de rádio."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Indústria Musical"


Bandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palcoBandas Novas
10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco

Álbuns mais vendidos: a lista de um consultor do New York TimesÁlbuns mais vendidos
A lista de um consultor do New York Times

Eu Fui Indicado Para o Grammy: Saiba quanto dinheiro eu ganhoEu Fui Indicado Para o Grammy
Saiba quanto dinheiro eu ganho


Show de Rock: as diferenças entre os anos 80 e 2010Show de Rock
As diferenças entre os anos 80 e 2010

Vocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rockVocalistas
Belíssimos timbres de alguns cantores de rock

Separados no nascimento: Ozzy Osbourne e Jim CarreySeparados no nascimento
Ozzy Osbourne e Jim Carrey

Guns N' Roses: o Chinese Democracy que você nunca viuGuns N' Roses
O "Chinese Democracy" que você nunca viu

De AC/DC a ZZ Top: Origens dos nomes de bandas e artistas de rockDe AC/DC a ZZ Top
Origens dos nomes de bandas e artistas de rock

Europe: uma releitura mal feita de The Final CountdownEurope
Uma releitura mal feita de "The Final Countdown"

Malcolm Young: o triste fim e o legado do arquiteto do AC/DCMalcolm Young
O triste fim e o legado do arquiteto do AC/DC


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336