Depoimento: colecionador explica por que pagou R$ 83 mil em disco

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Ver Acessos

Não é de se surpreender que, quando tento um primeiro contato com John Tefteller, ele estivesse negociando um disco raro e pedisse para aguardar o retorno dele. Eu liguei para Tefteller, um colecionador do estado de Oregon cuja coleção passa dos 400 mil discos de 45, 78 e LPs, após ouvir sobre sua impressionante compra de "Alcohol And Jake Blues" de Tommy Johnson, por 37 mil dólares [Oitenta e três mil reais pelo câmbio de hoje]. É o maior valor já pago por alguém em um disco de 78 rpm e um dos preços mais elevados já pagos por qualquer tipo de gravação.

Reb Beach: "Não me importo de dizer que Kirk Hammet é um bosta"Rachel Sheherazade: cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The Noite

Tefteller, que ganha a vida comprando e vendendo discos e negociando memorabilia de blues, tem colecionado discos por mais de 40 anos, mas nem ele conseguia acreditar em sua sorte ao descobrir uma cópia quase perfeita de "Alcohol And Jake Blues". O disco é considerado o cálice sagrado dos colecionadores de blues e é tido como um documento histórico vital do gênero.


Certa noite, tal como ele faz diariamente, Tefteller estava vasculhando o EBAY quando ele se deparou com o disco, ofertado por um vendedor na Carolina do Sul. O vendedor anônimo achou o disco em uma venda de garagem anos atrás, e o postou no site sem conhecimento do verdadeiro valor da obra. O disco estava sendo disputado a 16.800 dólares quando, minutos antes de o leilão se encerrar, pulou para 37 mil. Tefteller não revela qual foi o maior lance, mas não precisa dizer que foi alto o suficiente para superar o participante de mais cacife e ficar com o disco.

Em breve, Tefteller irá remasterizar o disco e lançá-lo de graça como parte de uma vindoura compilação. Mas por enquanto, o aficionado por discos dá detalhes sobre ele, a venda, e o porquê de ele achar que fez um excelente negócio.

37 mil dólares?!?

[risos]

O que faz o disco valer tanto?

Esses discos de blues do delta da [gravadora] Paramount alcançaram tamanha mítica ao longo dos anos, e há muita gente que amaria comprar um desses, que acabou por tornar-se lendário assim. Quando você vê um autêntico à venda, o que acontece uma ou duas vezes na vida, você tem que tomar uma decisão.

Sob o ponto de vista histórico, também é extremamente importante porque não há masters desses discos. Você pensa em discos modernos e há fitas master que você pode pegar e fazer cópias a partir delas. Quando você volta aos blues gravados nos anos 20 e 30, só tem isso. Os masters foram destruídos anos atrás e não há como recuperá-los. A única maneira pela qual alguém pode ouvir isso agora é procurando por uma prensagem comercial original. Então quando você acha um desses discos de blues em condição muito boa, é um evento sísmico no mundo dos colecionadores de discos.

Olhando por esse prisma, parece difícil determinar o valor dele.

Bem, é exatamente esse o princípio. Quando alguém fica chocado ou espantado por ver que um disco foi vendido por 37.100 dólares, porque isso é uma grande quantia na conta bancária de qualquer pessoa, por um lado você pode dizer, 'Isso é loucura. Por que alguém pagaria tanto? Isso é insanidade!' Mas quando você pensa na importância histórica do que isso é, como é que você coloca uma etiqueta de preço nele? É uma obra-prima fabulosa de disco da qual antes, só havia uma cópia, que eu também tive. [...]

Texto original de JASON NEWMAN para o site FUSE




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Indústria Musical"


Estúdios: outros 10 que você deve conhecer antes de morrerEstúdios
Outros 10 que você deve conhecer antes de morrer

Postura: 12 coisas que você nunca deve dizer a um músicoPostura
12 coisas que você nunca deve dizer a um músico

Indústria: Como as gravadoras fazem dinheiro hoje em diaIndústria
Como as gravadoras fazem dinheiro hoje em dia


Reb Beach: Não me importo de dizer que Kirk Hammet é um bostaReb Beach
"Não me importo de dizer que Kirk Hammet é um bosta"

Rachel Sheherazade: cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The NoiteRachel Sheherazade
Cantando Iron Maiden com o Ultraje A Rigor no The Noite

Heavy Metal: os dez melhores álbuns lançados em 1992Heavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1992

Krisiun: Edu Falaschi não viveu o undergroundKrisiun
"Edu Falaschi não viveu o underground"

Slipknot: Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunirSlipknot
Corey Taylor abandona os palcos se o Guns se reunir

Bruce Dickinson: a roupa mais ridícula que ele usou no palcoBruce Dickinson
A roupa mais ridícula que ele usou no palco

Guns N' Roses: a verdadeira história de Rocket QueenGuns N' Roses
A verdadeira história de "Rocket Queen"


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336