Slash: como surgiu a desavença com Paul Stanley

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Fernando Portelada, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Slash comentou em uma história escrita na autobiografia de Paul Stanley, onde o frontman do KISS afirma que teve que ensinar uma lição de diplomacia mais de 25 anos atrás.

3009 acessosGuns N' Roses: eles estão apenas começando...5000 acessosFormações originais: e se tivessem sido mantidas por grandes bandas?

Em “Face The Music: A Life Exposed”, Stanley se lembra da vez em que recebeu o convite de conhecer os membros do GUNS N’ ROSES que iam começar a trabalhar em seu agora clássico álbum, “Appetite For Destruction”. E por mais que Stanley afirme não estar impressionado com os guitarristas no começo, o guitarrista/vocalista do KISS foi gentil o suficiente para ensinar Slash a afinar sua guitarra no método preferido de Keith Richards, e se ofereceu também a dar o contato de pessoas que poderiam conseguir algumas guitarras de graça. Paul foi então ver o GUNS N’ ROSES tocar alguns pequenos shows em Los Angeles, que foram descritos como “estupendos.” De acordo com o Ultimate Classic Rock, foi um incidente no segundo deste shows que criou a rixa entre Slash e Stanley: “Eles não estavam felizes com a mixagem de som.” Escreveu Stanley em seu livro. “E Slash me pediu do nada para ajudá-lo. Décadas depois, as lembranças de Slash desse evento são falhas, na melhor das hipóteses. Ele gosta de fingir que eu ousei bagunçar o seu som.”

Stanley continuou: “Imediatamente após minhas interações com a banda, eu comecei a ouvir várias histórias que Slash estava dizendo pelas minhas costas – ele me chamava de gay, fazia piada das minhas roupas, todo tipo de coisa para ganhar algum tipo de credibilidade às minhas custas. Eram anos antes de sua cartola, óculos escuro e cigarro balançante, antes que ele se tornasse um personagem de histórias em quadrinhos para tirar o melhor de nós por décadas.”

De acordo com Stanley, ele também falou com Slash alguns meses depois, quando o guitarrista do GNR perguntou se ele podia conseguir alguma daquelas guitarras grátis: “Você quer que eu lhe ajude a conseguir guitarras após você dizer todas essas coisas pelas minhas costas? Uma coisa que você tem que aprender é a não lavar sua roupa suja em público. Bom te conhecer e vá se foder.”

Em uma recente entrevista com a revista Rock Hard, da Alemanha, Slash revelou que não leu o livro de Stanley, mas confirmou em partes a versão dos eventos do frontman do KISS. Ele disse: “O que aconteceu foi... Eu não quero trazer isso de volta... Mas ele tinha chegado para produzir o GUNS N’ ROSES naqueles dias, antes de fazermos nosso primeiro disco. E em algum momento, nós decidimos que não queríamos... Nós nunca, na verdade, estivemos interessados em trabalhar com ele, mas nós sempre o tínhamos por perto porque ele era o herói de Steve Adler [baterista original do GUNS. De qualquer forma, eu fiz uma entrevista naquela época e posso ter falado coisas depreciativas sobre ele. E então meses depois, eu percebi que ele tinha contatos com B.C. Rich, e eu estava tentando conseguir uma guitarra para gravar ‘Appetite’, e eu perguntei se ele poderia me conseguir uma guitarra dele. E ele disse algo na linha de ‘você não deve lavar sua roupa suja em público e eu não vou te ajudar’. E não nos falamos por anos depois disso. Foi somente em 2006 que nós nos reencontramos, quando estava fazendo o ‘Rock Honors’ do KISS para a VH1 e nós deixamos o passado para trás. E estamos mais ou menos bem agora.”

youtube player
Inscreva-se no nosso canalWhiplash.Net no YouTube

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Guns N RosesGuns N' Roses
Eles estão apenas começando...

525 acessosBlend Guitar: grandes solos usando pedal Wah0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Guns N' Roses"

Guns N RosesGuns N' Roses
28 curiosidades sobre "Sweet Child O' Mine"

Ayrton SennaAyrton Senna
As homenagens pelo Guns e Aerosmith no Brasil

Michael FrancisMichael Francis
O guarda-costas de Elvis Presley, Bon Jovi e outros

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 12 de setembro de 2014

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Slash"0 acessosTodas as matérias sobre "Kiss"0 acessosTodas as matérias sobre "Guns N' Roses"

Formações originaisFormações originais
E se tivessem sido mantidas?

LouvemosLouvemos
Satanás é grande benfeitor da música, diz estudo

Baixo elétricoBaixo elétrico
Leo Fender deu ao instrumento um status inédito

5000 acessosInspiração: 30 canções (não somente rock) para mantê-lo motivado5000 acessosBilly Corgan: revelando seus álbuns favoritos de Metal5000 acessosThe Voice Kids: até Brian May ficou impressionado com brasileiro5000 acessosAC/DC: quem Dave Mustaine gostaria de ver no vocal?5000 acessosIron Maiden: os 10 discos favoritos de Adrian Smith em 19855000 acessosOzzy Osbourne: dando "chega mais" em Mônica Apor na coletiva

Sobre Fernando Portelada

25 anos, Blogger, Podcaster, Gamer, Leitor de Quadrinhos, Ouvinte de Rock, Jornalista, e chato acima de tudo. Ouviu Imaginations From The Other Side do Blind Guardian aos 13 anos, emprestado por um amigo de escola. Ainda é um de seus álbuns preferidos.

Mais matérias de Fernando Portelada no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online