Matérias Mais Lidas

imagemA música do Raul Seixas com erro gramatical que parece um plágio mas é uma homenagem

imagemO arrependimento que David Bowie carregava em relação a Elvis Presley

imagemLed Zeppelin: O motivo pelo qual Jimmy Page não gosta de "All My Love"

imagemMetallica e as músicas fantásticas que sempre ficam escondidas nas playlists

imagemTitãs: como surgiu o título do hit "Bichos Escrotos", segundo Nando Reis

imagemSteve Grimmett não estava doente antes de morrer, diz esposa

imagemA reação do pai de Neil Peart quando ele se juntou ao Rush

imagemAntes do Led Zeppelin, Robert Plant tentou entrar em outra banda famosa

imagemA dura bronca dos Titãs em Nando Reis durante gravação de "Titanomaquia"

imagemRick Wakeman relembra época em que o Yes abria show para o Black Sabbath

imagemTestament está confirmado na edição brasileira do Summer Breeze, segundo jornalista

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemRolling Stones: Keith Richards compara tocar com Brian Jones, Mick Taylor e Ron Wood

imagemDavid Ellefson diz que ele e Mustaine são como "irmãos de mães diferentes"

imagemA reação de Stevie Ray Vaughan ao ouvir Jimi Hendrix pela primeira vez


2022/07/09
2022/08/18

Ghost Metal: filho de Nicolas Cage explica conceito do estilo

Por Bruce William
Fonte: Noisey
Em 18/07/15

Em entrevista publicada no Noisey, Weston Coppola Cage, filho do ator Nicolas Cage, fala sobre sua relação com o metal extremo, o ocultismo e explica o conceito do Ghost Metal, estilo musical que ele adota, confira alguns trechos abaixo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como você entrou nessas de metal?

Wes Cage: Fui atraído pelo estilo muito cedo. Comecei ouvindo música mais atmosférica, mas queria ouvir algo desse jeito acompanhado de algo mais. De cara descobri bandas como Rammstein, que usava elementos industriais, e System of a Down.

Essas foram as suas bandas "de entrada"?

Wes Cage: Basicamente. Fui crescendo e comecei a gostar de coisas mais extremas, tipo Cradle of Filth e Dimmu Borgir.

E as coisas mais underground?

Falando do verdadeiro black metal, teria que citar o Emperor. A voz do Ihsahn transmite muita emoção, gostava muito quando era mais novo – e ainda gosto.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Alguém te mostrou essas bandas ou você as encontrou na internet?

Wes Cage: Eu meio que encontrei meu caminho no black metal por conta própria, pela internet. Antes que pudesse perceber, aos 17 anos estava na Noruega de rolê com os caras. Foi uma honra. Meu aniversário de 18 anos foi lá, onde conheci todo mundo. A festa em si durou três dias [risos]. Lembro das primeiras 24 horas, mas o resto não. Ainda sou bem próximo do Hellhammer, que toca no Mayhem, e do [ex-baixista do Dimmu Borgir] ICS Vortex.

(...)

Seu novo projeto solo leva o seu nome, e o press release até menciona quem são seus pais. Como você equilibra isso de tentar o sucesso do seu jeito sem esconder o fato de que você é filho de um ator famoso?

Wes Cage: Depois do Eyes of Noctum, meio que caí na real e percebi que não poderia mudar quem eu sou. Não tinha controle nenhum sobre onde nasci, e agora me orgulho disso. Sei que tive privilégios ao crescer – pude viajar e obter conhecimento dos lugares que visitei. Tudo que quero fazer é pegar isso e compartilhar com todo mundo ao invés de agir de forma egoísta e guardar tudo pra mim. Há muito que li e vi que quero que os outros saibam, que gostaria que fosse mais acessível para o mundo. Essa é a razão pela qual quero ser mais comercial agora, quero dividir tudo com um público mais amplo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Que tipo de coisas?

Wes Cage: Me envolvi com o oculto minha vida inteira – os Eddas, Necronomicon, o Livro dos Mortos, essas coisas. Quando viajei para a Itália e para a Grécia, visitei lugares um tanto quanto mágicos, como Stromboli. Em Corfu, senti como se Poseidon estivesse ao meu lado, no mar.

(...)

Você se refere ao seu novo estilo musical como "ghost metal". Por quê?

Wes Cage: Minha prioridade ao compor este tipo de música é induzir calafrios. Incorporo um monte de instrumentos antigos, como o bouzouki, para invocar um sentimento fantasmagórico. Por isso também o disco se chama Prehistoric Technology [Tecnologia Pré-Histórica]. Acho que o álbum tem muitos momentos "ghost metal", mas acho que posso executar tudo de forma ainda melhor no próximo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

2022/08/18


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Ghost Metal: filho de Nicolas Cage explica conceito do estilo

Nicolas Cage: filho que canta heavy metal vai em cana por ser vida louca

Kiss: como foi demitir Eric Carr em seu leito de morte

O Whiplash.Net protege algumas bandas e prejudica outras?


Sobre Bruce William

Bruce William pensava em ser um motoqueiro rebelde mas descobriu que é um Wieder Blutbad nerd apaixonado por uma Fuchsbau. Avy jorrāelan, CatW!

Mais matérias de Bruce William.