RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRoger Waters se defende, mas David Gilmour fica do lado da esposa e confirma tudo

imagemOzzy Osbourne revela qual foi o melhor guitarrista de sua carreira solo

imagemO ponto fraco de Yngwie Malmsteen segundo Ronnie James Dio, em 1985

imagemEm 1974, Raul Seixas explicava detalhes dos significados por trás da letra de "Gita"

imagemRoger Waters atende a Rússia e faz discurso para o Conselho de Segurança da ONU

imagemA reação de King Diamond ao ouvir Metallica tocando músicas do Mercyful Fate

imagemPor que Herbert Vianna gosta muito do riff de "Eu Quero Ver o Oco" do Raimundos?

imagemQuem ganhou e quem devia ter ganhado o Grammy de metal desde 1989, segundo Loudwire

imagemVeja o que esperar da turnê do Mayhem no Brasil

imagemRodinha de mosh gigantesca em show do System of a Down viraliza e impressiona

imagemO triste motivo pelo qual o Pink Floyd não podia fazer contato com Syd Barrett

imagemVeja Dave Grohl cantando e agitando em show do Mercyful Fate

imagemAs 20 melhores músicas do Nightwish, em lista da Metal Hammer

imagemO show do Engenheiros do Hawaii sem Humberto, que eles achavam que havia sido sequestrado

imagemRitchie Blackmore avalia os guitarristas que o substituíram no Deep Purple


Stamp

Avantasia: Andre Matos devolve os elogios de Tobias Sammet

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva
Fonte: Detector de Metal
Postado em 24 de abril de 2016

Neste domingo, 24, o AVANTASIA se apresenta no Espaço das Américas em São Paulo. Tivemos a oportunidade de conversar com Tobias Sammet, líder do projeto, antes do show e ele nos revelou sua profunda admiração pelo brasileiro ANDRE MATOS. Veja abaixo o que Tobias falou sobre Andre quando perguntei se algum artista brasileiro tinha tido alguma influência em sua carreira.

"Bem, você sabe que é preliminarmente o ANDRE MATOS. Claro, todo mundo conhece o ANDRE, todo mundo conhece o SEPULTURA, todo mundo conhece o ANGRA, o SHAMAN, que é da mesma família, SHAMAN com dois As, com dois Ss, com dois Hs... Mas, sabe, falando honestamente, o único músico brasileiro que realmente me inspira é ANDRE MATOS. Eu realmente não gostaria de parecer desrespeitoso, mas, honestamente, é isso, porque ele é realmente o único que eu conheço e que realmente teve impacto sobre mim. Quando eu ouvi pela primeira vez o álbum "Angels Cry", do ANGRA, foi realmente a primeira vez que ouvi esse tipo de música. Ninguém fazia esse tipo de música. O Michael Kiske tinha acabado de sair do HELLOWEEN e a banda estava numa situação que ninguém sabia pra onde ia. O IRON MAIDEN estava quase perdendo o Bruce Dickinson. Ele estava partindo. Todo mundo estava sem acreditar no Heavy Metal como capaz de fazer músicas boas e nessa época eu fui pra uma loja de discos e vi aquele disco com aquela capa bonita de um anjo. . . se você olhar para capa do "Angels Cry" você vai ver aquelas cores, você vai ver de onde tiramos as ideias para algumas de nossas capas. Ao ouvir as canções, ao ouvir aquela canção "Carry On", eu pensei: Jesus Cristo! Este é o som da música que eu quero ouvir. E aparentemente existe alguém do outro lado do mundo que toca esse tipo de música. Eles são a única banda que eu me lembro que tocava esse tipo de música esse tipo de som. Então a voz do ANDRE, os arranjos do ANDRE, as capacidades de orquestração do ANDRE, a sua composição, era de explodir a cabeça".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Confira a entrevista na íntegra no link abaixo:

Gustavo Queiroz, do Detector de Metal, também teve a oportunidade de conversar com ANDRE MATOS nas primeiras horas deste sábado, após o show do músico e sua banda que fechou a segunda noite da décima edição do Festival Ponto CE. Entre outras perguntas, após menção à entrevista de Tobias, Andre respondeu:

"Eu tive a oportunidade de ler. Essa época era a época que o grunge imperava, então parecia que ia tudo pro outro lado. Nós nos sentíamos até perdidos. E o ANGRA se determinou a fazer um tipo de música que era raro alguém fazer. E não só isso. Eu diria também que a gente conseguiu trazer pra dentro desse estilo musical outros elementos, tanto da música clássica quanto da música regional e que em alguns países isso chama muito a atenção. Eu me lembro de conhecer o Tobias muito jovem ainda. O ANGRA estava no seu auge na Europa e o EDGUY foi uma das bandas de abertura de uma turnê dessas grandes que fizemos por lá. E eu me lembro daquele garoto de uns vinte e poucos anos. Muito jovenzinho. Chegou pra mim com uma ideia mirabolante: "vou fazer uma Opera Rock, vou chamar os maiores vocalistas, quero te convidar". Eu falei: "bem", mas eu não acreditava que isso fosse dar certo e disse isso a ele. No entanto, ele calou minha boca nesse momento. Assim como ele cita que nós tivemos uma ideia num momento que foi única, ele também teve uma ideia que foi genial, que ninguém tinha tido naquele momento. E talvez todos estivessem carentes de boa música. Eu gravei as partes do AVANTASIA, do primeiro e do segundo disco, separadamente dos outros... eu nem sabia qual seria o resultado, eu nem sabia com quem eu estava duelando, digamos assim. Quando ouvi o resultado, eu falei: "isso é uma das melhores coisas que foram lançadas ultimamente". Igualmente eu retribuo. Então, se é que eu o influenciei, eu dou todo o crédito a ele por isso e por ter criado uma linguagem nova dentro do metal também. Algo que não existia. Existiam algumas coisas parecidas naquela época, mas não tão enraizadas. Ele fez uma coisa muito sólida. E aquilo que eu pensava que talvez não passasse de um sonho de um menino se mostrou viável e até eternizado".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ele complementa:

"Eu diria que ele teve um insight genial de criar uma coisa nova naquele momento em que todos precisavam que algo fosse criado e tem um talento nato, não apenas como vocalista, mas como compositor, uma pessoa visionária. Apesar da diferença de gerações, a gente não deixa de aprender com certas atitudes que ele veio a tomar em relação ao mercado. Ele é extremamente profissional".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A entrevista com ANDRE MATOS, além de um bate-papo com músicos da DARK SYDE, OBSKURE e COLDNESS (que também se apresentaram no festival) estará disponível em breve no canal do Detector de Metal.

http://www.youtube.com/user/detectordemetal14

Em breve, também aqui no Whiplash, a resenha das duas noites que fecharam o festival (que terá hoje PATO FU e MAFALDA MORFINA, entre outras).

Agradecimentos especiais a Gustavo Queiroz (Detector de Metal), Yago Albuquerque (pelas imagens) e Maurílio Fernandes (produção do Festival Ponto CE)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Def Leppard Motley Crue 2

Marina La Torraca: "Foi uma experiência incrível substituir Amanda no Avantasia"


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).
Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva.