James Gunn: diretor venceu depressão graças a Queen, Sex Pistols e HQs

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Igor Miranda, Fonte: Ei Nerd
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 09/05/17. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

A depressão ainda não é vista com a sua devida gravidade por boa parte da sociedade. Trata-se de um distúrbio sério, com implicações distintas na rotina de quem sofre deste mal. Ainda que negligenciada por muitos, a doença pode levar à morte.

82 acessosCaio Loesch: Belíssima interpretação de clássico do Queen5000 acessosMamonas Assassinas: músicos já sabiam que iam morrer?

O diretor de cinema James Gunn, que trabalhou nos filmes Guardiões da Galáxia 1 e 2, foi uma das vítimas da depressão. E, em uma recente publicação feita nas redes sociais, Gunn resolveu falar sobre o período em que sofreu com o distúrbio.

Inicialmente, James Gunn disse que passou os últimos dois anos e meio trabalhando em Guardiões da Galáxia Vol. 2 e comemorou o sucesso do filme, que foi lançado no fim do último mês. Embora tenha dito que se distrai com os números que representam esse êxito, Gunn afirmou que não é isso que importa. E relembrou os problemas que teve na juventude, quando sofreu de depressão e foi salvo pelo rock, pelos filmes e pelas histórias em quadrinhos.

"Na juventude, me sentia sozinho, às vezes com pensamentos suicidas. Não me sentia pertencente, tinha dificuldade para me conectar com as pessoas e, apesar de ter amor ao meu lado, tinha uma experiência ruim com ele. Mas encontrei meu refúgio no entretenimento popular - quadrinhos da Marvel, ficção científica e filmes de horror, a música do Sex Pistols, The Replacements e Queen", disse o diretor.

Ele continua: "De repente, pude ver além do subúrbio onde vivia e ir para um mundo mágico, mais alinhado com o que imaginava. Era a minha fantasia que me distraía das dificuldades da vida. Nos momentos mais fortes - talvez pelas palavras de Alice Cooper ou Freddie Mercury, filmes de Cronemberg ou pelo rosnado do Chewbacca, senti algo mais profundo - a realização de que não estava sozinho. Alguém por aí era tão estranho quanto eu".

O diretor diz que, enquanto a internet discute sobre faturamento de bilheteria, ele não trabalha por dinheiro. "Trabalho porque gosto de contar histórias. Porque amo a relação com meus colaboradores. E porque gosto de me conectar com as pessoas e essa é a forma mais fácil para mim. Faço isso para que algum garoto da Tailândia, Inglaterra, Colômbia, Brasil, Japão ou Rússia possa ouvir a frequência de seu próprio coração rebater nos Guardiões", afirmou.

Por fim, Gunn agradece pelo apoio dos fãs desde o início da produção de Guardiões da Galáxia Vol. 2. "Amo vocês e continuarei por aqui durante três anos, enquanto criamos o Vol. 3", concluiu.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 09 de maio de 2017


BaixistasBaixistas
Quais são os dez mais ricos do mundo

82 acessosCaio Loesch: Belíssima interpretação de clássico do Queen1204 acessosQueen: ouça material inédito presente na próxima box-set2608 acessosQueen: Artista recria Mercury e Axl Rose em esculturas incríveis384 acessosQueen: outras versões de "We Will Rock You" e "We Are The Champions"0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Queen"

Brian MayBrian May
"Não descarto a possibilidade que Deus exista"

QueenQueen
Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Cantam muitoCantam muito
Onze dos maiores vocais isolados que você vai ouvir

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Depressão"0 acessosTodas as matérias sobre "Queen"0 acessosTodas as matérias sobre "Sex Pistols"


Mamonas AssassinasMamonas Assassinas
Músicos já sabiam que iam morrer?

Danilo GentiliDanilo Gentili
O sertanejo tem mais atitude roqueira que o próprio roqueiro

Bruce DickinsonBruce Dickinson
Os vocalistas que ele respeita e admira

5000 acessosElvis Presley: De que ele morreu?5000 acessosGóticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 805000 acessosBlind Melon: 'Dream Theater? Desliga essa porra!'5000 acessosAngra: repórter fala sobre possuir mesmo nome que baixista5000 acessosSeparados no nascimento: Paul Stanley e Ronaldo Esper5000 acessosPorta dos Fundos: Andreas Kisser e a cobrança dos metaleiros

Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013 – apesar de ainda manter por lá uma coluna semanal, chamada Cabeçote.

Mais informações sobre Igor Miranda

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online