Bruce Dickinson: o que ele falou ao público durante palestra em SP

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Vírgula e UOL
Enviar correções  |  Ver Acessos

O vocalista Bruce Dickinson realizou uma palestra, na última segunda-feira (14), em São Paulo. No entanto, a conversa não era destinada a fãs de Iron Maiden, mas, sim, empresários

Metallica: Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era ricoFrontman: quando o original não é a melhor opção

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

A palestra foi realizada durante o VTex Day, evento com foco em empreendedorismo no ramo virtual - e-commerce - que acontece até esta terça-feira (15). Jornalistas dos sites Vírgula e UOL acompanharam o que Bruce Dickinson falou aos presentes e, a seguir, estão destacados alguns dos principais momentos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Fãs em vez de clientes: "Dizem que o consumidor tem sempre a razão. Eu odeio o consumidor. O consumidor é aquele que compra e vai embora. Vocês têm que ter fãs. [...] Vou dar um exemplo: vocês já viram um torcedor de um time deixar de apoiá-lo mesmo nas horas difíceis? Pois é, não acontece. Os torcedores, os fãs, estão sempre andando ao seu lado e lhe apoiando. Faça fãs e não clientes."

Pilotar avião para transportar a banda: "O Iron Maiden estava com um grande problema. Tínhamos muitos fãs na Austrália, Nova Zelândia, Malásia, Índia, Coreia do Sul e os nossos contadores nos diziam: 'não vá até lá porque vocês vão perder muito dinheiro'. Realmente as passagens são caríssimas para viajar de avião normal entre esses lugares. Então, tivemos a louca ideia de fazer um acordo com uma companhia aérea e colocar a banda e toda a equipe dentro de um único avião. Desse modo conseguimos viabilizar os shows nesses locais. [...] Foi Jimi Hendrix quem me inspirou. Ele viajava com três integrantes e poucos instrumentos. Então, ele poderia alugar um avião e fazer um show em Nova York e outro em Los Angeles. Nós também poderíamos fazer isso."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Arriscar-se no mercado: "0 + 0 = 1. Essa é a conta. Onde não existe nada, você tem que ir lá e criar algo novo. [...] Antes de entrar no Iron Maiden, eu nunca tinha saído da Inglaterra. De repente, eu estava na maior banda do mundo. Logo depois, eu percebi que se eu não fizesse nada novo, o resto da minha vida seria assim: turnê, compor, lançar disco, turnê, compor... eu não iria suportar. Então, eu resolvi criar coisas novas."

Leia as publicações na íntegra no Vírgula e no UOL.

Vírgula
http://www.virgula.com.br/musica/bruce-dickinson-sobre-suces...

UOL
https://entretenimento.uol.com.br/noticias/redacao/2018/05/1...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Bruce Dickinson"Todas as matérias sobre "Iron Maiden"


Iron Maiden: A banda está mais forte do que nuncaIron Maiden
"A banda está mais forte do que nunca"

Iron Maiden: no começo, Bruce e Steve se estranhavam no palcoIron Maiden
No começo, Bruce e Steve se estranhavam no palco


Metallica: Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era ricoMetallica
Segundo James Hetfield, Lars Ulrich tocava horrivelmente mal, mas era rico

Frontman: quando o original não é a melhor opçãoFrontman
Quando o original não é a melhor opção


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336