Pixies e Weezer: resenha do show duplo em New Jersey

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Brunelson T., Fonte: Rock in The Head
Enviar correções  |  Ver Acessos

Um fã postou recentemente uma resenha no Reddit da banda WEEZER, sobre um show em parceria que o grupo fez com o PIXIES - em turnê conjunta pelos EUA (foto abaixo).

Deep Purple: Gillan fala sobre Ritchie, Coverdale e HughesMetal: adolescentes que ouvem o gênero fazem mais sexo?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Segue a tradução:

O Pavilhão BB&T em Camden, New Jersey, preparou o palco para 02 lendas do rock alternativo, PIXIES e WEEZER, para entregar algumas surpresas e um dos melhores projetos de rock da história recente.

Em diagonal, o vento forte impulsionou a quase constante chuva, golpeando os ansiosos frequentadores do evento durante a maior parte da noite. O gramado estava misturado em grama e lama, e até mesmo para aquelas almas infelizes que escorregavam num deslizamento improvisado, aposto que elas não teriam trocado de lugar com as pessoas que estavam bem na frente do palco.

Quanto mais forte a chuva chegava, mais escuro o céu ficava e mais frio o ar parecia - com a ansiedade do público só crescendo. Uma energia palpável percorreu por toda essa multidão multi-geracional, parecendo uma redoma onde nada iria entrar no meio da platéia. Realmente não posso enfatizar isto o suficiente, mas foi sem sombra de dúvida, uma das multidões mais enérgicas que já fiz parte - e considerando os elementos daquele dia e com que facilidade a miséria do tempo poderia ter sido o centro das atenções, o momento realmente falou muito da magia absoluta do PIXIES e do WEEZER.

Com a chuva ficando mais pesada, um lamento assombroso irrompeu pelo sistema de som... Era um entusiasmo vibrante e alegre que percorreu através da multidão, com o vocalista/guitarrista do PIXIES, Black Francis, começando a dedilhar, logo depois, os acordes de abertura para canção "Where is My Mind". A nova baixista, Paz Lenchantin, substituindo a baixista original, Kim Deal, teve muitos momentos para brilhar durante a noite, mas foi na música "Gigantic" onde tanto ela quanto o resto da banda realmente pegaram fogo.

PIXIES sempre foi o grande negócio nos seus shows... Não há muita interação com o público, exceto por Lenchantin agradecer à platéia por estarem aguentando debaixo da chuva, mas mesmo assim, com a ideologia anti-rockstar que eles ajudaram a lançar, Black Francis e sua turma não usam esse tipo de ser como um distintivo de honra - onde muitas bandas também resolveram seguir na sua esteira. Existe uma pureza na maneira como a banda existe, sem precisar se edificar em algum posto. A única coisa que importa é a música e com atuações matadoras de canções clássicas como, "Here Comes Your Man", "Isla de Encana" e "Wave of Mutilation", o PIXIES vieram, arrasaram e conquistaram.

A queda contínua da temperatura não diminuiu o zumbido insano que seguiu o PIXIES em antecipação ao WEEZER. Com a chuva diminuindo e o céu agora completamente escuro, o sistema de som começou novamente a se manifestar... WEEZER, a banda de Wisconsin, explode com o som, onde o seu vocalista/guitarrista, Rivers Cuomo, armado com óculos preto de aros grossos, um colete de suéter e sua clássica Fender Stratocaster azul carregada de adesivos, levou a banda e o público através de um maravilhoso dueto, onde às vezes, a banda inteira foi quase afogada pelo louco canto da multidão.

Similarmente ao PIXIES, o WEEZER não gastou muito tempo conversando com a multidão - pelo menos inicialmente. Rivers Cuomo, o baterista Pat Wilson, o baixista Scott Shriner e o guitarrista Brian Bell, tocaram 08 músicas clássicas da banda - "My Name is Jonas", "Beverly Hills" e "Hash Pipe", só para citar algumas - cada uma vindo com mais energia da banda e respostas mais raivosas da multidão. Quando eles finalizaram a canção, "El Scorcho", o clássico do rock alternativo de seu brilhante 2º álbum de 1996, "Pinkerton", Cuomo se dirigiu ao insano público, falando: "Vocês estão prontos para o WEEZER?" Ele perguntou para um mar de palmas, gritos e risos, finalizando: "Vamos levar isso de volta para a garagem", quando a banda iniciou a canção "In The Garage".

Uma pena que para o WEEZER ser tão prolífico, é a dificuldade de encaixar do jeito que você gostaria tantas músicas boas e clássicas em seu setlist. De alguma forma, porém, o WEEZER serve uma quantidade bastante saudável de músicas durante a maioria das eras da banda, enquanto ainda lança uma quantidade insana de surpresas. Seu álbum de estréia de 1994, "Blue Album", tem mais representação com 06 músicas de um disco com 10 faixas - merecidamente apresentadas.

WEEZER também tratou o público com alguns covers, como a canção, "Happy Together", da banda THE TURTLES. O WEEZER é um grupo dos anos 90, mas possui uma sensibilidade melódica que lembra a música dos anos 60. Eles aproveitaram a oportunidade para combinar o seu amor de ambas as eras, quando no meio da música "Happy Together", eles entraram no clássico do GREEN DAY, a canção "Longview", para um verso e refrão, antes de voltarem para o cover do THE TURTLES. Brilhante ideia e a multidão pirou com isso.

O destaque indiscutível da noite foi quando Cuomo, em uma roupa de capitão de marinheiro, chegou ao palco com nada além de um microfone e um violão. Junto com a multidão, Cuomo realizou uma interpretação sincera do grande sucesso da banda, "Island in The Sun". Cuomo encorajou todos a iluminar o pavilhão e o gramado com os seus telefones celulares, enquanto a platéia cantava em uníssono. Então, Cuomo pediu permissão para tocar uma de suas canções favoritas dos anos 80, o cover da banda A-HA, "Take on Me", que a multidão cantou alegremente junto com ele.

O frontman retornou ao palco agora com uma camisa preta e sem mangas do NIRVANA - e uma guitarra Flying V pendurada nele. A banda trouxe o seu set final com mais alguns hits e um cover bombástico da canção "Africa", da banda TOTO. Depois, eles desapareceram do palco, pouco antes de voltar para fechar a noite com 02 socos no estômago, as músicas "Surf Wax America" e "Say it Ain't So", terminando a noite de chuva, vento e rock, na mais alta das notas.

PIXIES e WEEZER entregaram não apenas as suas culturas, mas um bom lembrete para a glória do rock alternativo. E mesmo que todos nessa incrível platéia não possam adivinhar pelos dias que se seguirão, qualquer gripe que se seguir valerá a pena, graças a essas 02 bandas de épocas gloriosas!

Confira 02 vídeos de outros shows com performances de cada banda. PIXIES com a música "Gouge Away" (2014) e WEEZER com "Say it Ain't So" (2016).




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Pixies"Todas as matérias sobre "Weezer"


Weezer: Tudo soava superficial depois que Kurt morreuWeezer
"Tudo soava superficial depois que Kurt morreu"

NME: os clipes mais legais da história, na opinião dos leitoresNME
Os clipes mais legais da história, na opinião dos leitores


Deep Purple: Gillan fala sobre Ritchie, Coverdale e HughesDeep Purple
Gillan fala sobre Ritchie, Coverdale e Hughes

Metal: adolescentes que ouvem o gênero fazem mais sexo?Metal
Adolescentes que ouvem o gênero fazem mais sexo?


Sobre Brunelson T.

Vocalista/guitarrista da banda Terrakiuz.

Mais matérias de Brunelson T. no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336