Matérias Mais Lidas

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemProdutor de "Temple of Shadows" conta problemas que teve com voz de Edu Falaschi

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagemJohn Bonham, Keith Moon ou Charlie Watts, quem era o melhor segundo Ginger Baker?

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemEdu Falaschi descobriu que seu primo famoso tem mais seguidores que ele no Instagram

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemDavid Bowie recusou (mais de um) convite para produzir o Red Hot Chili Peppers

imagemAndreas Kisser explica por que o Sepultura mistura Metal com música brasileira

imagemRegis Tadeu explica porque Ximbinha é um dos melhores guitarristas do Brasil

imagemGregório Duvivier: "Perto de Chico Buarque, Bob Dylan é uma espécie de Renato Russo!"


Airbourne 2022

Kiss: cabelo de cover de Paul Stanley pega fogo, mas ele não para show

Por Igor Miranda
Fonte: Ultimate Classic Rock
Em 11/02/19

Um vídeo de Bobby Jensen, vocalista e guitarrista do Hairball, parece mostrar a sua verdadeira paixão por estar em cima de um palco. Na filmagem viralizada neste fim de semana, o músico, que estava vestido como Paul Stanley (Kiss), tem o seu cabelo incendiado, mas, mesmo assim, não interrompe sua apresentação.

Na ocasião, o Hairball estava tocando "Detroit Rock City", do Kiss, quando o cabelo de Bobby Jensen - que não é peruca, diferente do que havia sido divulgado nas redes sociais anteriormente - começou a pegar fogo, provavelmente graças aos lança-chamas que ficam posicionados no palco. As chamas se alastraram rapidamente no couro cabeludo do rapaz.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Um dos músicos tenta conter a situação, mas não consegue e chama por ajuda. Em seguida, duas pessoas que trabalhavam no evento resolveram. E tudo isso aconteceu sem que Jensen deixasse de cantar ou tocar.

Em entrevista ao Ultimate Classic Rock, Bobby Jensen explicou que não se importou em continuar cantando e tocando porque "faz parte da diversão". "Eu sabia que estava pegando fogo e não era peruca, é o meu cabelo. Foi algo bem legal e estúpido. Agora, tenho um corte de cabelo ao estilo de Alice Cooper bem mais legal", afirmou.

Embora tenha tocado em uma banda cover de Kiss chamada Strutter anteriormente e faça parte do Hairball há 15 anos, Bobby Jensen disse que nada parecido havia acontecido com ele anteriormente, mas que sempre está preparado para tal - por isso ele não enlouqueceu durante o ocorrido. "Tenho total confiança nos meus caras, que vão apagar o fogo. Apenas pensei: 'vou cantar enquanto estou pegando fogo'", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Os próprios integrantes do Kiss, citados por Bobby Jensen como amigos dele, entraram em contato para saber se ele estava bem. "Eles assistiram ao vídeo e disseram: 'p*rra, você ficou ali e continuou cantando' - como eu disse, nossa equipe é de profissionais, estamos com pirotecnias o tempo todo'", afirmou o músico, que garantiu estar bem.

O Hairball não faz apenas covers de Kiss. A banda toca músicas de Van Halen, Mötley Crüe, Bon Jovi, Alice Cooper, Queen, Journey e Aerosmith, entre outros. O grupo conta com outros vocalistas, que se apresentam com o visual dos homenageados - por exemplo, após as versões de Kiss, Jensen é substituído por um cantor que se veste como David Lee Roth.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.