Kiss: "se não dermos o melhor, saímos e damos chance ao Greta Van Fleet"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Three Sides Of The Coin / BBM
Enviar correções  |  Ver Acessos

O vocalista e baixista do Kiss, Gene Simmons, comparou a banda a um time de futebol ou futebol americano ao falar sobre a relação com os ex-integrantes, o guitarrista Ace Frehley e o baterista Peter Criss. Os músicos, da formação original, estão fora do grupo desde o início da década passada e foram substituídos por Tommy Thayer e Eric Singer, respectivamente - e, segundo Simmons, a encarnação atual precisa ser a melhor, senão, eles deixariam o palco para dar uma chance a nomes mais atuais, como o Greta Van Fleet.

Iron Maiden: "se as bandas de metal mandassem no mundo..."Fotos de Infância: Cradle Of Filth

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Não é diferente de um time de futebol ou futebol americano", disse, em entrevista ao podcast Three Sides Of The Coin, transcrita pelo Blabbermouth. "Quando você tem os mesmos membros e alguns deles bebem muito, ou deixam de fazer o gol quando você dá o passe porque ficaram acordados até tarde e estão de ressaca, você quer se livrar daquele cara, porque ele é um perdedor."

Simmons destacou que "é um direito" dessa pessoa em fazer o que quiser. "É justo, mas o problema é que quando se está no campo, assim que ele perde o gol, todo o time perde. Você precisa trocar o pneu furado. Isso afeta todo o carro e todos que estão dentro. Então, você precisa se livrar dessas pessoas", afirmou.

O músico disse amar Ace e Peter até hoje. "Eles são igualmente importantes no começo da banda, mas eles saíram e voltaram três vezes. A Mãe Natureza vai queimar sua mão da primeira vez que você colocá-la no fogo. Quantas chances as pessoas querem?", pontuou.

Gene disse que Tommy Thayer e Eric Singer "injetaram energia" no Kiss e fez com que ele e Paul Stanley, vocalista e guitarrista, percebessem que são as pessoas mais abençoadas do planeta. "Quando eles entraram... são igualmente talentosos, profissionais e pontuais. Sem drogas. Não digo isso para chocar: nenhum de nós sequer fuma cigarro. Ninguém bebe. Não por causa de alguma regra. Se você quer beber fora, tudo bem, desde que seja profissional no palco. Mas ninguém vai a bares, não temos essa cultura, nem usamos drogas", afirmou.

Por fim, o "Demon" citou o bordão que dá início aos shows do Kiss - "you wanted the best, you've got the best, the hottest band in the world" - para justificar o profissionalismo. "Isso (não usar drogas e não beber) tem muito a ver com ser pontual e fazer valer as palavras: 'você quer o melhor, não a segunda melhor ou a meio-melhor, você vai ter o melhor, a banda mais quente do planeta'. E essas palavras precisam significar isso, ou saia do palco e dê uma chance ao Greta Van Fleet", disse.

Confira a entrevista na íntegra (em inglês, sem legendas) no player de Spotify a seguir.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Kiss"


Kiss: Algumas perguntas de fãs respondidas por Tommy ThayerKiss
Algumas perguntas de fãs respondidas por Tommy Thayer

Tatuagens: homenagens à banda Kiss na pele dos fãsTatuagens
Homenagens à banda Kiss na pele dos fãs


Iron Maiden: se as bandas de metal mandassem no mundo...Iron Maiden
"se as bandas de metal mandassem no mundo..."

Fotos de Infância: Cradle Of FilthFotos de Infância
Cradle Of Filth


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU) e apaixonado por rock há mais de uma década. Começou a escrever sobre música em 2007, com o surgimento do saudoso blog Combe do Iommi. Atualmente, é redator-chefe da área editorial do site Cifras e mantém um site próprio (www.IgorMiranda.com.br). Também co-fundou o site Van do Halen, para o qual trabalhou até 2013.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

adGoo336