Furia Inc.: álbum Raw disponível nas plataformas de streaming

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Batalha, Fonte: ASE Music, Press-Release
Enviar correções  |  Ver Acessos

Press-release - Clique para divulgar gratuitamente sua banda ou projeto.

"Raw", segundo álbum do quarteto paulistano Furia Inc., formado por Victor Cutrale (vocal), Gustavo Romão (guitarra), Fabio Carito (baixo) e Neto Romão (bateria), está disponível nas principais plataformas de streaming. O material foi gravado na Loud Factory (SP) por Wagner Meirinho e Thiago Assolin, com mixagem e masterização na Califórnia/EUA, a cargo de Brendan Duffey (Angra, Andre Matos, Torture Squad e Almah). "Como já conhecíamos o trabalho do Brendan, quisemos manter a mesma qualidade. No entanto, ficamos surpresos com a qualidade e profissionalismo na parte de gravação com a equipe do estúdio Loud Factory. Estávamos alinhados e bem preparados, o que contribuiu no desenvolvimento de todo o processo. Agora é hora de colher e compartilhar os frutos", declarou o guitarrista Gustavo Romão.

Guitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar WorldHard Rock: as 25 melhores músicas acústicas do gênero

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O álbum foi antecipado com o videoclipe para a faixa "Light the Fire", produzido pela empresa Gravando Bandas Produção Audiovisual e por Derick Borba. "A letra, que compus com o letrista Thiago Ribeiro (Hatematter, Neshamot), é uma reflexão e uma homenagem a todos que lutam por direitos iguais, pensando em um mundo melhor. É como se fosse um som do Pantera com uma temática mais positiva e 'pra frente'", explicou o vocalista Victor Cutrale.

Veja o clipe "Light the Fire":

O grupo pretende soltar, em breve, um vídeo para a faixa "The Knight and the Bishop", música é baseada no filme 'O Sétimo Selo', do diretor Ingmar Bergman e que conta com a participação especial do vocalista Igor Godoi (Sioux 66). "Ela retrata o conflito do cavaleiro Antonius Block ao conhecer a morte e desafiá-la a um jogo de xadrez. Daí vem o título, pois se trata de um tipo de jogada utilizada durante uma partida. Ele quer ganhar mais tempo para descobrir o sentido de sua vida", detalha o guitarrista.

Já "The Endless Void", faixa de abertura, fala sobre o momento da supercomunicação que estamos vivendo. "Ela fala das mentiras espalhadas, de você navegar por muitas informações contraditórias, sem ter certeza de nada. Fala, ainda, sobre comprar conflitos e criticar situações que fogem do seu conhecimento", explicou o vocalista. "MAX (The Moon Dagger)", por sua vez, traz uma temática ligada ao terror. "É a primeira de uma linha de músicas (selo MAX), focada em histórias de terror. Esta é sobre o 'Adaga da Lua', uma mistura de Jason Voorhees e Michael Myers, uma besta sedenta por sangue", acrescentou Cutrale.

O baterista Neto Romão explica que, no sucessor de "Murder Nature" (2014), a banda procurou um tipo de composição mais direta. "Mensagens mais diretas, músicas mais agressivas e mais groove. Isto resume o nosso objetivo em 'Raw'."

O repertório de "Raw" é o seguinte:

1 - Raw
2 - The Endless Void
3 - MAX (The Moon Dagger)
4 - D-Generation
5 - Light the Fire
6 - Killing Machine
7 - Slaves to the Blood
8 - Private Fiction
9 - Devouring Darkness
10 - The Knight and the Bishop (feat. Igor Godoi)

Ouça no Spotify

Discografia:
Creatin' a World (EP, 2010)
Before the World Ends (EP, 2011)
Murder Nature (CD, 2014)
Raw (CD, 2019)

Foto: Guilherme Fernandez




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Furia Inc"


Guitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar WorldGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World

Hard Rock: as 25 melhores músicas acústicas do gêneroHard Rock
As 25 melhores músicas acústicas do gênero


Sobre Ricardo Batalha

Ricardo Batalha, formado em Direito pela FMU, é um dos diretores da empresa ASE Press, integra o conselho editorial do Jornal Momento Notícias e vem trabalhando de forma fixa na Revista Roadie Crew desde 1996. Começou editando os fanzines Deathcore e Silent Rage e se tornou uma biblioteca do Metal brasileiro, colaborando para diversos veículos de mídia ligados ao Heavy/Rock desde os anos 1980. Suas bandas preferidas são Black Sabbath, Judas Priest e Accept, mas nunca escondeu a predileção pelo Hard Rock dos anos 80, especialmente o Ratt.

Mais matérias de Ricardo Batalha no Whiplash.Net.

adGoo336