Mark Lanegan: A culpa por não ter atendido ligação de Kurt Cobain no dia da morte

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: The Guardian
Enviar Correções  

O vocalista Mark Lanegan, conhecido por seus trabalhos com as bandas Screaming Trees, Mad Season e Queens of the Stone Age, fala em seu novo livro, a autobiografia "Sing Backwards and Weep", sobre a culpa que sente por não ter atendido uma ligação do amigo Kurt Cobain, do Nirvana, no dia em que ele cometeu suicídio. Cobain tirou a própria vida em 5 de abril de 1994, aos 27 anos.

Separados no nascimento: Eddie e Seu Madruga

Slipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lanegan se recorda que, na época, ele tinha 29 anos e, após oito álbuns com o Screaming Trees, morava em Seattle e era um fumante compulsivo. No dia, além de seus cigarros, Mark estava de cuecas sujas e um roupão manchado enquanto assistia a novelas.

Kurt Cobain, então, começou a ligar para Mark Lanegan, que decidiu não atender. Lanegan ainda sente culpa e arrependimento por não ter tirado o telefone do gancho para falar com o amigo, que cometeu suicídio mais tarde naquele mesmo dia.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por que Mark Lanegan não atendeu à ligação de Kurt Cobain? Ele conta que não queria comprar drogas para o amigo - algo que, provavelmente, tinha que fazer com certa frequência. Kurt estava tendo muitas brigas com a esposa, Courtney Love, naquela ocasião. Também provavelmente, pelo mesmo motivo.

"Eu o conhecia muito tempo antes de se tornar um superastro. Eu o considerava como um irmãozinho querido. Essa é uma culpa que vou carregar para sempre", disse Lanegan.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Curiosamente, algum tempo depois, Courtney Love foi a responsável por salvar a vida de Mark Lanegan. Ela pagou por uma internação de um ano de Mark em uma clínica de reabilitação, entre 1996 e 1997 - ano em que o livro é concluído. "Ela teve um impacto direto na minha vida. Eu só sinto amor por ela", afirmou, ao The Guardian.

Os dramas de Mark Lanegan

A vida de Mark Lanegan está repleta de dramas pessoais. Filho de uma mãe abusiva e de um pai alcoólatra, ele já estava envolvido com jogatina, bebida, pequenos delitos e pornografia aos 12 anos de idade. Aos 18, seu registro na polícia incluíam crimes como arrombamento de propriedade privada, furto, posse de drogas, vandalismo, fraude em seguros e 26 acusações de bebedeira enquanto menor de idade.

Sua entrada ao Screaming Trees foi definida como um refúgio da cidade "caipira" de Ellensburg, Washington. Porém, não era aquilo que ele queria fazer da vida. Com o tempo, afundou-se nos vícios. Em 1992, durante uma turnê da banda, sofreu uma infecção tão grave em um dos braços que os médicos consideraram amputá-lo. Curiosamente, ele diz que a heroína foi responsável por salvá-la dos horrores do alcoolismo dele.

Homenagem a Anthony Bourdain

Retomar essa e outras histórias em "Sing Backwards and Weep" foi um processo doloroso para o músico. "Muitas vezes, quis parar de escrever o livro, mas tinha uma obrigação", afirmou, em entrevista ao "The Guardian", Mark Lanegan - que havia prometido ao amigo Anthony Bourdain, renomado chef de cozinha, em 2017, que faria o livro. Bourdain também cometeu suicídio, em 2018, aos 61 anos.

Apesar de desejar parar, Mark Lanegan foi até o fim. "Anthony dizia que deveria ter um nível de honestidade com o qual eu deveria estar confortável, para não ser uma autobiografia de rock de m*rda. Era a última coisa que eu queria. Soa ridículo, mas se não era para ser literatura, não queria fazer", disse Mark, que revelou que faltavam quatro capítulos quando Anthony cometeu suicídio. "Tive que concluir por ele", completou.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Separados no nascimento: Eddie e Seu MadrugaSeparados no nascimento
Eddie e Seu Madruga

Slipknot: Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreiraSlipknot
Demissão de Joey Jordison foi a decisão mais difícil da carreira


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280 GooInArt GooLinksQuad