Frejat: "Mesmo no meu público há reacionários, e isso é constrangedor"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: O Globo
Enviar Correções  

O músico Frejat, ex-Barão Vermelho, falou sobre seu novo álbum solo, "Ao Redor do Precipício", e outros assuntos em entrevista ao jornal O Globo. Durante o bate-papo, ele deixou um recado aos fãs do rock e até de seus trabalhos que têm posições políticas reacionárias (contrários a mudanças sociais ou políticas), que, embora tenha suas semelhanças, são confundidas frequentemente com os conservadores.

Agressividade: 21 caras que fizeram a história do rock pesado

Planet Rock: As músicas com os melhores solos de guitarra

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Divulgação - Leo Aversa
Divulgação - Leo Aversa

Inicialmente, Frejat condenou o preconceito e o "aumento cada vez maior do ódio entre grupos" ao ser perguntado sobre as manifestações contra o racismo e em defesa da democracia. "Na sociedade brasileira, vemos isso de uma maneira cruel, explícita, quase atropeladora. Às vezes, tenho vergonha de ler notícias no jornal. E você sabe que isso está acontecendo porque tem gente que pensa assim. Gente que você considerava civilizada, culta, e se mostra preconceituosa, eugenista...", disse.

Em seguida, o entrevistador Luccas Oliveira apontou que muitos fãs de rock, especialmente de vertentes mais mainstream, têm defendido pontos de vista conservadores e preconceituosos. O músico, então, repercutiu: "Não tenho dúvida de que mesmo entre o meu público há pessoas extremamente reacionárias, e isso é constrangedor. Mas o gosto musical muitas vezes não condiz com a personalidade. E não tem como você aferir e nem controlar isso. De repente, alguém com princípios de conduta horrorosos é meu fã. O que fazer? Não tenho como mexer nisso. Mas não posso dizer que tenho orgulho de tê-lo como fã".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ainda durante a conversa, Frejat falou sobre a sensação de lançar um novo álbum em pleno 2020. "É o prazer que eu tenho em ver as pessoas ouvindo coisas novas minhas. O dinheiro que um disco dá hoje, de retorno, é mínimo. Não se justifica. Mas eu sou compositor, tenho um lado autoral que precisa andar para a frente. Fora o lado do intérprete, que quer cantar as músicas que fez. E torcer para que as pessoas gostem, esse retorno do público me alimenta", disse.

A entrevista pode ser lida na íntegra no site do jornal "O Globo" (contém paywall). "Ao Redor do Precipício", de Frejat, já está disponível nas plataformas de streaming.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Agressividade: 21 caras que fizeram a história do rock pesadoAgressividade
21 caras que fizeram a história do rock pesado

Planet Rock: As músicas com os melhores solos de guitarraPlanet Rock
As músicas com os melhores solos de guitarra


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline