John Petrucci: como surgiu a ideia de ter Mike Portnoy em seu novo álbum solo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Igor Miranda, Fonte: Blabbermouth
Enviar Correções  

O guitarrista John Petrucci falou sobre o fato de ter em seu novo álbum solo, "Terminal Velocity", o ex-colega de Dream Theater, Mike Portnoy, na bateria. O disco será lançado ainda neste ano, durante a primavera no Hemisfério Sul, e também terá Dave LaRue (Dixie Dregs) no baixo.

MMA: os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

James Hetfield: "Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em bate-papo em vídeo com o fã-clube oficial do Dream Theater, com transcrição do Blabbermouth, Petrucci disse que é "incrível" ter Portnoy no álbum. "Dave LaRue tocou em meu primeiro disco solo, 'Suspended Animation' (2005), e excursionei com ele muitas vezes no G3, assim como Mike Portnoy no passado: trabalhamos juntos no G3, desde o meu primeiro, por volta de 2001. Ter Mike na bateria foi legal, uma grande experiência", afirmou.

O músico revelou, ainda, como nasceu a ideia de ter o ex-colega de Dream Theater, que não faz mais parte da banda desde 2010, na bateria do novo álbum solo. "Estávamos conversando muito e ele plantou a semente no meu ouvido. Eu contei para ele sobre os planos do novo álbum e ele falou que se eu precisasse de alguém, estaria disponível. Na minha cabeça, eu pensava: 'vou te levar nessa'", disse.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O material de "Terminal Velocity" já estava todo composto, inclusive com bateria eletrônica programada. "Também toquei baixo junto do engenheiro de som e tínhamos algumas músicas completas. Mike veio, aprendeu tudo, colocou o toque dele e fez um trabalho espetacular. Foi muito divertido me reunir musicalmente com ele e fazer isso juntos. Fizemos tudo em 6 dias. Novamente, ele fez um grande trabalho e a bateria soa incrível", contou John Petrucci.

A participação de Dave LaRue foi realizada de forma remota. A mixagem ficou a cargo de Andy Sneap, produtor bastante renomado no heavy metal que também excursionou como guitarrista do Judas Priest, substituindo Glenn Tipton, diagnosticado com Parkinson. "Andy é um produtor incrível, com um grande currículo. Ele mixou 'Firepower' (2018), o álbum mais recente do Judas Priest, e muitas outras coisas, como do Killswitch Engage, Arch Enemy e Machine Head. Ele é incrível. O álbum soa ótimo", disse o guitarrista.

E por que o álbum, apesar de ter demorado 15 anos para sair, está sendo lançado em meio à pandemia? "Originalmente, antes da pandemia, eu já planejava o álbum. O Dream Theater teria turnês adiante, mas teríamos momentos de meses livres no ano. E eu pensei: se não começar agora, não farei nunca. Daí, tudo fechou e os shows foram adiados. Acabei ficando com tempo. Logo depois que terminei a turnê mais recente do Dream Theater, comecei a trabalhar no álbum - dois meses direto, cinco dias por semana. Concluí em três meses", respondeu.

Assista ao vídeo da entrevista (em inglês, sem legendas):

A capa e a tracklist de "Terminal Velocity" já foram divulgadas. A arte é assinada por Sean Mosher-Smith, do Echo Designlab.

Veja:

01. Terminal Velocity
02. The Oddfather
03. Happy Song
04. Gemini
05. Out Of The Blue
06. Glassy-Eyed Zombies
07. The Way Things Fall
08. Snake In My Boot
09. Temple Of Circadia

Mike Portnoy deixou o Dream Theater em 2010 após desentendimentos com os demais colegas. Com sua vaga ocupada por Mike Mangini, ele passou a integrar diversos projetos, como The Winery Dogs, Avenged Sevenfold (temporariamente), Twisted Sister (em breve tributo a AJ Pero), Sons of Apollo, Flying Colors, Transatlantic, entre outros.

Em entrevista concedida no fim de 2019 ao My Global Mind, Portnoy chegou a dizer que gostaria muito de fazer música, novamente, com John Petrucci. Portnoy elogiou o colega e ainda disse que a relação com ele é a mesma que duplas como Lars Ulrich e James Hetfield, do Metallica, têm.

"Nós dois adoraríamos trabalhar juntos novamente. Formamos um grande time por 25 anos, enquanto co-capitães do Dream Theater e Liquid Tension Experiment. Eu também excursionava com ele nas turnês do G3. Nossa relação era muito especial entre baterista e guitarrista. Era como Lars Ulrich e James Hetfield (Metallica), Dimebag Darrell e Vinnie Paul (Pantera) e Eddie e Alex Van Halen (Van Halen). Ficamos mais fortes quando trabalhamos juntos e sinto falta disso", afirmou ele, na ocasião.




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


MMA: os lutadores que curtem Rock e Heavy MetalMMA
Os lutadores que curtem Rock e Heavy Metal

James Hetfield: Você não iria gostar de mim se soubesse minha históriaJames Hetfield
"Você não iria gostar de mim se soubesse minha história"


Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL Cli336x280 CliInline WhipDin