Matérias Mais Lidas

imagemKiko Loureiro defende surgimento de banda que seria "Greta Van Fleet do Iron Maiden"

imagemA simpatia de James Hetfield ao conversar com pais de bebê que nasceu durante show

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield

imagemJonathan Davis, do Korn, explica qual seu problema com o Cristianismo

imagemMetallica faz doação para complexo de saúde e educação em Curitiba

imagemComo Max Cavalera aprendeu inglês tendo abandonado a escola aos 12 anos de idade

imagemO segredo da longevidade do baixista do Guns N' Roses tem inspiração nos Stones

imagemApós resposta de Malmsteen, Jeff Scott Soto rebate guitarrista e diz que deseja paz

imagemVocalista do Gwar diz que integrantes do Maiden são "um bando de velhas britânicas"

imagemMalmsteen ameaça cancelar show por que vocalista Jeff Scott Soto estava no local

imagemKirk Hammett relembra "Metallica x Napster": "avisamos todo mundo o que aconteceria"

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden está ensaiando para turnê que passa pelo Brasil

imagemOzzy Osbourne é visto caminhando com dificuldade ao sair de estúdio

imagemLuciano Hang processa vocal do Fresno e quer indenização de R$ 100 mil por danos morais

imagemVangelis, compositor de cinema e lenda do prog rock grego, morre aos 79 anos


Stamp

Lars Ulrich: o grande talento dele que Alex Skolnick sempre quis no Testament

Por Igor Miranda
Em 04/01/21

As habilidades de Lars Ulrich como baterista sempre foram questionadas, até mesmo por alguns fãs de sua própria banda, o Metallica. Porém, o guitarrista Alex Skolnick, do Testament, destacou um talento de Ulrich que poucos músicos têm.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em entrevista ao canal de YouTube "Poisoned Rock", transcrita pelo Ultimate Guitar, Skolnick revelou que sempre quis ter um baterista com talentos de produção no Testament. A banda tem hoje Gene Hoglan na bateria e já contou com Louie Clemente, Paul Bostaph, John Tempesta, Dave Lombardo, Chris Kontos, Jon Dette e Nicholas Barker no instrumento anteriormente, mas nenhum deles, segundo o guitarrista, tem a mesma aptidão de Lars ao direcionar gravações em estúdio.

O assunto foi abordado por Skolnick após o entrevistador citar que o segundo álbum do Testament, "The New Order" (1988), trazia um som diferente do primeiro, "The Legacy" (1987), provavelmente por conta das críticas de jornalistas da época. "Acho que, às vezes, concordo com a imprensa (risos). Não queria, mas houve momentos em que concordei", respondeu.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O guitarrista, então, refletiu: "No começo, tive que forçar para termos mais harmonias e melodias nas músicas. E não era para tentar ser comercial, apenas achei que seria diferente. Por vezes, a imprensa apontava que uma música soava parecida com alguma de outra banda, e eu dizia a mesma coisa".

Apesar disso, de acordo com Alex Skolnick, "The New Order" foi o álbum responsável por refinar a "química de composição" dos músicos do Testament. O único pesar envolvendo esse disco, na visão dele, é que "não foi muito bem gravado".

Foi aí que o guitarrista citou Lars Ulrich, além de Vinnie Paul, saudoso baterista do Pantera. "Há alguns músicos que têm bom ouvido para produção. Como Vinnie Paul no Pantera, que tinha uma boa visão e sabia quem trazer para produzir. Lars Ulrich também", disse, inicialmente.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por fim, ele apontou que "é interessante que muitas vezes são os bateristas que têm visões" de produção. "Mesmo que sejam tipos diferentes de bateristas. Desde o início, Lars demitia engenheiros de som e produtores, dizendo que algo não funcionava. Achavam que ele era louco. Não tínhamos ninguém assim na banda. Não sabíamos o que estávamos procurando e aquele tipo de música era tão novo na época", concluiu.

A entrevista pode ser ouvida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player a seguir.

imagemDave Lombardo: o que ele realmente acha de Lars Ulrich?

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

imagemMetallica: Lars queria ser Dave Lombardo, mas se contentou em ser Phil Rudd

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

PRB
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Metallica: o dia que Cronos, do Venom, teve que acalmar chilique no backstage



Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.