Matérias Mais Lidas

imagemFilho de Trujillo fez guitarra na "Master of Puppets" que toca em Stranger Things

imagemMetallica em "Stranger Things" deixa fãs preocupados com a "popularização" da banda

imagemA bizarra exigência de Ace Frehley para participar da última turnê do Kiss

imagemEngenheiros do Hawaii e as tretas com Titãs, Lulu Santos, Lobão e outros

imagemSummer Breeze Open Air Brasil acontece em abril de 2023 em São Paulo

imagemLady Gaga: "o Iron Maiden mudou a minha vida!"

imagemPink Floyd: Suas 10 músicas mais subvalorizadas, segundo a What Culture

imagemMax Cavalera revela como "selou a paz" com Tom Araya, vocalista do Slayer

imagemLobão explica porquê todo sertanejo gostaria, no fundo, de ser roqueiro

imagemPink Floyd: Gilmour nega alegação de Waters sobre "A Momentary Lapse of Reason"

imagemO álbum do The Who que Roger Daltrey achou "uma m*rda completa

imagem"Stranger Things" traz cena com "Master of Puppets", do Metallica

imagemO grave problema do refrão de "Eagle Fly Free", segundo Fabio Lione

imagemMorre aos 43 anos Andrew LaBarre, ex-guitarrista e vocalista da banda Impaled

imagemVital, o ex-Paralamas que virou nome de música e depois foi pro Heavy Metal


Stamp

Edu Falaschi: em "Vera Cruz", ele resgatou técnicas de canto dos tempos de "Rebirth"

Por Igor Miranda
Em 17/05/21

Edu Falaschi está lançando seu novo álbum solo, "Vera Cruz", em busca de celebrar seus 30 anos de carreira e a sonoridade que o consagrou nos tempos de Angra, banda que integrou de 2000 a 2012. Para isso, o vocalista recorreu a técnicas de canto que não utilizava há um bom tempo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em entrevista ao Whiplash.Net, Falaschi revelou que já estava em forma para gravar os vocais de "Vera Cruz" porque veio de uma turnê em que voltou a cantar músicas do Angra. Os shows com repertório especial de seu período na banda rolaram por 2 anos.

imagemEdu Falaschi: em exclusiva, ele conta tudo sobre "Vera Cruz", seu 1º álbum solo

"Eu já vinha de uma turnê de 2 anos cantando Angra, o que eu cantava uma década atrás. Fizemos muitos shows, então, eu já estava em forma para gravar o álbum", afirmou, inicialmente.

Considerando esse cenário, ele se sentiu confortável para resgatar técnicas de canto que não utilizava no Almah, banda que se tornou o seu projeto principal entre sua saída do Angra, em 2012, e o início de sua carreira solo, em 2017. Como o cantor superou os problemas de saúde que vinham atrapalhando sua voz, era o cenário ideal para retomar essa pegada.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

imagemEdu Falaschi: bronca de Joe Lynn Turner o fez cair na real sobre shows cantando Angra

Edu Falaschi: ''O Angra sempre foi a banda da minha vida''

"No 'Vera Cruz', resgatei algumas técnicas de voz que eu não usava mais no Almah. Além de eu já estar doente naquela época, o estilo da banda não pedia. Como já vinha cantando as músicas do Angra na turnê, quis resgatar o Edu, tecnicamente falando, de 2001. Em anos anteriores, eu não conseguia usar essas técnicas que explorei, então pensei que aquele era o momento de resgatar", explicou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em seguida, ele cita: "Alguns exemplos disso são as formas que uso para subir a voz para o agudo, que lembra Symbols em alguns momentos. O refrão da ‘Land Ahoy’, que é mais épico, tem a pegada da ‘Heroes of Sand’, com aquela impostação. Eu não conseguia mais fazer aquilo na época em que tive o problema. Quando você ouve o ‘Rebirth’ e o ‘Vera Cruz’, há uma similaridade de técnica e de sonoridade da voz. É o mesmo cara, voltando com aquela técnica, com notas agudas com voz de peito, sem falsete, até dos tempos de Symbols".

O caráter nostálgico de "Vera Cruz", inclusive pela interpretação de Edu, traz grande carga emocional ao vocalista. "Os fãs que puderam ouvir o álbum percebem essa imersão. Eu mesmo senti isso. Havia momentos em que eu gravava e, ao terminar, me emocionava. Para mim, foi muito emocionante", declarou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Vera Cruz" será lançado nas plataformas digitais na próxima terça-feira (18). A entrevista completa com Edu Falaschi pode ser conferida no link a seguir.

imagemEdu Falaschi: em exclusiva, ele conta tudo sobre "Vera Cruz", seu 1º álbum solo

* Foto de Liny Oliveira, em cobertura para o Whiplash.Net em 2019.

Resenha - Edu Falaschi (Bar Opinião, Porto Alegre, 16/03/2019)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Airbourne 2022
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp




Sobre Igor Miranda

Jornalista formado pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU), com pós-graduação em Jornalismo Digital pela Universidade Estácio de Sá. Começou a escrever sobre música em 2007 e, algum tempo depois, foi cofundador do site Van do Halen. Colabora com o Whiplash.Net desde 2010. Atualmente, é editor-chefe da Petaxxon Comunicação, que gerencia o portal Cifras, Ei Nerd e outros. Mantém um site próprio 100% dedicado à música. Nas redes: @igormirandasite no Twitter, Instagram e Facebook.

Mais matérias de Igor Miranda.