RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemO grande amor de Renato Russo que durou pouco mas marcou sua vida para sempre

imagemMax Cavalera escolhe seus álbuns "não metal" preferidos

imagemThiago Bianchi explica sucessão de problemas durante show de Paul Di'Anno

imagemO dia que João Gordo xingou Ayrton Senna por piloto se recusar a dar entrevista a ele

imagemA música de Raul Seixas que salvou a carreira de Chitãozinho e Xororó

imagemMustaine tentou fazer hit radiofônico e acabou escrevendo a "música mais idiota" do Megadeth

imagemOs 4 fatores determinantes que levaram Renato Russo a dependência química

imagemMike Portnoy escolhe os álbuns preferidos de sua adolescência

imagemO clássico da banda Evanescence que a vocalista Amy Lee odiava

imagemSaiba mais sobre o último álbum de estúdio dos Engenheiros do Hawaii

imagemO Raul Seixas não era nada daquilo que ele falava, diz ex-parceiro musical

imagemFalling In Reverse insulta Sebastian Bach em seu novo clipe

imagemA opinião de Paul McCartney sobre a música dos Sex Pistols

imagemComo Tommy Lee e o Mötley Crüe ajudaram Axl Rose a escrever "November Rain"

imagemA opinião de Slash sobre Dave Mustaine e "Rust In Peace", clássico do Megadeth


Exilio Angel

A triste história por trás de "In My Darkest Hour", um dos maiores clássicos do Megadeth

Por Mateus Ribeiro
Postado em 19 de janeiro de 2023

A lendária e influente banda Megadeth é uma verdadeira usina de clássicos. Desde quando foi fundado, o grupo liderado pelo talentoso Dave Mustaine escreveu muitas músicas que se tornaram clássicos do thrash e do heavy metal. Uma dessas músicas é a excelente "In My Darkest Hour", faixa de "So Far, So Good… So What!", terceiro disco de estúdio do Megadeth, lançado em 19 de janeiro de 1988.

Foto: Fernando Yokota
Foto: Fernando Yokota

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"In My Darkest Hour" é uma música pesada e triste, que a partir de sua metade, apresenta uma emoção e um sentimento que fizeram parte da vida de Mustaine por muito tempo: a raiva e o ódio, ambos "providenciados" pelo Metallica.

A morte de Cliff Burton

Tudo começou em 27 de setembro de 1986, quando o baixista Cliff Burton faleceu em um acidente com o ônibus do Metallica, que na época, estava excursionando pela Escandinávia. Mustaine, que fez parte do Metallica no início dos 1980, ficou sabendo da morte de seu ex-companheiro através de uma amiga, o que o deixou extremamente irritado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Em 27/09/1986: Morria de forma trágica o baixista Cliff Burton

"Eu escrevi a música quando soube que Cliff [Burton, baixista do Metallica] havia morrido. Uma amiga minha, a ‘Metal’ Maria Ferrero, me ligou para dizer que ele tinha sofrido um acidente de ônibus Levei para o lado pessoal, porque pensei: ‘Seus filhos da puta, vocês sabem que somos todos irmãos em uma banda, ele morre e você pede para outra pessoa me ligar?", disse Mustaine à Rolling Stone em 2017.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O tempo passou e felizmente, Mustaine conseguiu acalmar os ânimos. "Eu vim a entender agora que, no luto, as pessoas fazem coisas estranhas, então, mudei minha visão sobre aquela ligação, mas na época, eu fiquei muito chateado. Escrevi a música de uma só vez e então comecei a desbastar as letras o mais rápido que pude. Escrever aquela música foi um período muito, muito doloroso".

Foto: Site Oficial - Ross Halfin
Foto: Site Oficial - Ross Halfin

Solidão e paixão mal resolvida

A letra de "In My Darkest Hour" também fala sobre uma antiga paixão de Mustaine, que pelo visto, o tempo não apagou.

"A ‘hora mais escura’ [‘darkest hour’] da música sou eu sabendo que estava sozinho. A letra é sobre Diana, minha musa [risos], a mesma mulher com quem namorei em ‘Loved to Deth’. ‘Tornado Of Souls’, ‘Trust’, ‘This Was My Life’, ‘99 Ways To Die’, essas eram todas sobre ela também. Estou muito, muito apaixonado por minha esposa, mas só houve uma outra pessoa que realmente foi tão fundo dentro do meu coração. E acho que todos nós temos isso quando temos um relacionamento com alguém por quem realmente nos apaixonamos, mas nem sempre dura para sempre".

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Eu o verei no céu"

Por fim, Mustaine voltou a falar sobre seu amigo Cliff Burton, de quem ele não conseguiu se despedir.

"Essa música evoca muitos sentimentos. A primeira vez que toquei, a mãe e o pai de Cliff estavam no nosso show (...). Eu realmente não tive a chance de dizer adeus. Quer dizer, eu nem sabia onde ele estava enterrado. Então, isso meio que mostra como tudo aconteceu. Mas eu o verei no céu. Isso é legal. Pelo menos eu acredito nisso".

Agora que você já sabe um pouco mais sobre "In My Darkest Hour", aumente o volume e curta esse grande hino do Megadeth .

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:
Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Mateus Ribeiro

Fã de Ramones, In Flames e Soilwork. Ouve (quase) tudo, desde rock clássico até black metal.
Mais matérias de Mateus Ribeiro.