[an error occurred while processing this directive]

Matérias Mais Lidas


Summer Breeze 2024

Como Dimmu Borgir e Cradle of Filth foram vistos negativamente na Suécia quando surgiram

Por Emanuel Seagal
Postado em 02 de dezembro de 2023

Quem nunca ouviu um fã ditar o que é permitido na música? É aquela pessoa que diz o que é "rock de verdade", o famoso "caga-regra". Toda cena tem um, e o black metal nos anos noventa não foi diferente. O inglês Cradle of Filth, e até mesmo o norueguês Dimmu Borgir, foram alvos de fãs que não aprovavam o black metal sinfônico tocado por eles, e muito menos sua crescente popularidade.

Dimmu Borgir - Mais Novidades

Foto: Napalm Records
Foto: Napalm Records
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

Em 1998, ano em que o Cradle of Filth lançou seu terceiro disco, "Cruelty and the Beast", e um ano após o Dimmu Borgir lançar "Enthrone Darkness Triumphant", o sueco Erik Danielsson formou o Watain, inspirado pelas bandas norueguesas e a aura de mistério e maldade que as acompanhavam. "O final do século XX foi deprimente para o black metal. Sentimos que bandas como Cradle Of Filth e Dimmu Borgir tinham muito pouco a ver com esse frenesi fanático e assassino que nos intrigava", afirmou o músico, em conversa com Jonathan Selzer, da revista Metal Hammer. "Na Suécia havia uma história totalmente diferente acontecendo com bandas como Funeral Mist, Malign e Ofermod. Eles eram super fanáticos e pareciam um clube de motoqueiros. Isso nos atraiu ainda mais. Aos 16, 17 anos, tínhamos vontade e raiva, e sentíamos que, se íamos fazer isso, precisava ser algo que funcionasse nesse cenário."

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

Segundo Erik, há tipos distintos de ódio. "Existe um tipo nobre de ódio, que ocorre por amar muito algo e defendê-lo até a morte. Muitas bandas de black metal têm essa abordagem anti-cristã ou niilista, mas é difícil para mim me identificar com isso, mas as únicas coisas pelas quais sinto desprezo são aquelas que tentam limitar, bloquear ou aprisionar as coisas que amo, então você poderia dizer que meu ódio veio de um amor profundo pelas coisas que o black metal representava", explicou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

Vinte e cinco anos após sua criação, o Watain conta com uma carreira tão consolidada quanto Dimmu Borgir e Cradle of Filth, mesmo percorrendo um caminho distinto. Em outro ponto da conversa, o frontman ponderou sobre o sucesso e contou o que considera ser sua maior realização pessoal. "Acho que é perceber que me mantive firme no que se refere a ideia de que não vejo por que uma banda deveria se tornar cada vez pior no que fazia no início. Olhe para qualquer pintor, qualquer escritor ou artesão — todos eles ficam cada vez melhores no que fazem. Não estou dizendo que ficamos melhores, mas me sinto muito mais capaz e muito mais consciente do que nunca de como viver o Watain. Adoro ver a progressão e adoro perceber que ainda não pisamos na bola", concluiu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4

"Die in Fire Live in Hell - Agony & Ectasy Over Stockholm", o álbum ao vivo de comemoração de vinte e cinco anos do Watain, foi lançado no dia 3 de novembro pela Nuclear Blast.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Stamp

Spotify: a música mais tocada de 20 bandas de metal extremo


publicidadeAdriano Lourenço Barbosa | Airton Lopes | Alexandre Faria Abelleira | Alexandre Sampaio | André Frederico | Ary César Coelho Luz Silva | Assuires Vieira da Silva Junior | Bergrock Ferreira | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Alexandre da Silva Neto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cláudia Falci | Danilo Melo | Dymm Productions and Management | Efrem Maranhao Filho | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Fabio Henrique Lopes Collet e Silva | Filipe Matzembacker | Flávio dos Santos Cardoso | Frederico Holanda | Gabriel Fenili | George Morcerf | Henrique Haag Ribacki | Jesse Alves da Silva | João Alexandre Dantas | João Orlando Arantes Santana | Jorge Alexandre Nogueira Santos | José Patrick de Souza | Juvenal G. Junior | Leonardo Felipe Amorim | Luan Lima | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Marcus Vieira | Maurício Gioachini | Mauricio Nuno Santos | Odair de Abreu Lima | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Ricardo Cunha | Richard Malheiros | Sergio Luis Anaga | Silvia Gomes de Lima | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Victor Adriel | Victor Jose Camara | Vinicius Valter de Lemos | Walter Armellei Junior | Williams Ricardo Almeida de Oliveira | Yria Freitas Tandel |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.
Mais matérias de Emanuel Seagal.

 
 
 
 

RECEBA NOVIDADES SOBRE
ROCK E HEAVY METAL
NO WHATSAPP
ANUNCIAR NESTE SITE COM
MAIS DE 4 MILHÕES DE
VIEWS POR MÊS