Sex of the Angels: As 10 Melhores Baladas do Virgin Steele

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Sobreira, Fonte: Youtube
Enviar correções  |  Ver Acessos

Quem não gosta de uma boa balada expressiva, feita para satisfazer, e não para vender? Ao longo de sua carreira, o Virgin Steele sempre fez questão de incluir ao menos uma balada honesta em seus maravilhosos discos, e como prova, apresento-lhes aqui essas perolas.

Red Hot Chili Peppers: as melhores músicas segundo o LoudwireSteve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey

1 - When Dusk Fell (Visions of Eden - 2006) - Balada intensa e profunda, carregada de sentimentos, no entanto possui momentos pesados e sinfônicos que dão um toque extra especial.

2 - Cry Forever (Age of Consent - 1988 & Life Among The Ruins - 1993) - Presente em dois álbuns, esta faixa é um tipico exemplo da musicalidade forte proposta pela banda. O refrão e os solos de Ed Pursino são demais!

3 - Never Believed in Good-Bye (Life Among The Ruins - 1993) - O álbum onde esta música está presente foi o que mais gerou baladas, e todas elas maravilhosas. Seu começo com uma introdução muito bonita de piano nos leva a um forte Hard para se cantar junto, e mais uma vez, Pursino sola com muito 'feeling'.

4 - God Above God (Visions of Eden - 2006) - Esta faixa trás em sua letra um desabafo e revolta da "personagem" Lilith, já que este disco é conceitual. Os 7 minutos desta trabalhada balada passam voando, além de apresentar uma enorme diversidade musical e muita pompa sombria.

5 - Forever Will I Roam (The Marriage Of Heaven & Hell Part I) - David Defeis é um dos melhores vocalistas e compositores do Metal, e mostra seus dotes em mais uma belíssima balada. Conduzida inicialmente por violão e um vocal bem profundo, logo aparece o peso como um soco, e se mantem num clima agradável, porém, melancólico.

6 - Strawgirl (The Marriage Of Heaven & Hell Part II) - Novamente o piano faz as honras, preparando o caminho para o peso. O forte refrão, junto com o solo de teclado, são os pontos fortes desta grande música.

7 - Wild Fire Woman (Life Among the Ruins - 1993) - Melodiosamente imbatível e sentimental, perfeita para esquecer os problemas e aquecer o coração. Não vou nem falar do mágico e longo solo, muito menos das performances vocais... Aprecie!

8 - Nepenthe (I Live Tomorrow) (The Black Light Bacchanalia - 2010) - Com o curioso nome de um gênero de 'planta carnívora', esta "balada" é a mais sombria, densa e arrastada do grupo, mostrando uma faceta, digamos, mais "obscura". Não fique com medo!

9 - Last Rose of Summer (Life Among the Ruins - 1993) - A última balada deste disco. Diferente das 3 companheiras a cima, esta é inteiramente piano e vocal, além de um solo muito bonito de violão. Uma belíssima faixa para acalmar a mente após um exaustivo dia de trabalho.

!0 - Don't Close Your Eyes (Noble Savage - 1985) - E por último, mas não menos importante, mais uma boa balada empolgante e melódica, direto de um disco bem épico e marcante, com um ótimo trabalho instrumental.

Se estiver a fim de curtir uma boa música neste formato, não se esqueça que o Virgin Steele pode fornecer algumas das melhores já compostas, com muita variedade e qualidade.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Maiores e MelhoresTodas as matérias sobre "Virgin Steele"


David DeFeis: os álbuns que marcaram o vocalistaDavid DeFeis
Os álbuns que marcaram o vocalista

Heavy Metal: as 10 capas mais de macho de todos os temposHeavy Metal
As 10 capas mais "de macho" de todos os tempos


Red Hot Chili Peppers: as melhores músicas segundo o LoudwireRed Hot Chili Peppers
As melhores músicas segundo o Loudwire

Steve Perry: 5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do JourneySteve Perry
5 fatos curiosos sobre o ex-vocalista do Journey


Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.

Mais matérias de Vitor Sobreira no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin