RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemDave Mustaine diz que cada show do Megadeth custa mais de 50 mil dólares para a banda

imagemNey Matogrosso reflete sobre não ter contraído HIV mesmo tendo contato com quem tinha

imagemGuns N' Rose toca música inédita durante teste de som em Tel Aviv

imagemClassic Rock elege a melhor música do Guns N' Roses (e não é "Sweet Child O' Mine")

imagemO incrível álbum do Sepultura que não envelheceu nada, por Regis Tadeu

imagemA canção nacional inspirada por doença e rejeitada que vendeu milhões anos mais tarde

imagemA treta que levou Geezer Butler e Ozzy Osbourne a se afastarem por definitivo

imagemO ritual assustador no show do Queen que apavorou o Kid Abelha no Rock in Rio de 1985

imagemQuem foi a primeira grande paixão de Cássia Eller?

imagemO artista que Sammy Hagar considera "um gênio e um homem renascentista completo"

imagemCinco bandas que lançaram um hit e nunca mais repetiram o sucesso com outras músicas

imagemKlaus Meine, do Scorpions, revela quem ele acha o melhor baterista do mundo

imagemCorey Taylor confirma vinda do Slipknot no Brasil em outubro deste ano

imagemO único hit da Legião Urbana que Russo não fez a letra e marca reencontro com baixista

imagemCinco músicas que mostram como bandas de thrash não são tão malvadas quanto parecem


Stamp

Sex of the Angels: As 10 Melhores Baladas do Virgin Steele

Por Vitor Sobreira
Fonte: Youtube
Postado em 28 de dezembro de 2015

Quem não gosta de uma boa balada expressiva, feita para satisfazer, e não para vender? Ao longo de sua carreira, o Virgin Steele sempre fez questão de incluir ao menos uma balada honesta em seus maravilhosos discos, e como prova, apresento-lhes aqui essas perolas.

1 - When Dusk Fell (Visions of Eden - 2006) - Balada intensa e profunda, carregada de sentimentos, no entanto possui momentos pesados e sinfônicos que dão um toque extra especial.

2 - Cry Forever (Age of Consent - 1988 & Life Among The Ruins - 1993) - Presente em dois álbuns, esta faixa é um tipico exemplo da musicalidade forte proposta pela banda. O refrão e os solos de Ed Pursino são demais!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 1

3 - Never Believed in Good-Bye (Life Among The Ruins - 1993) - O álbum onde esta música está presente foi o que mais gerou baladas, e todas elas maravilhosas. Seu começo com uma introdução muito bonita de piano nos leva a um forte Hard para se cantar junto, e mais uma vez, Pursino sola com muito 'feeling'.

4 - God Above God (Visions of Eden - 2006) - Esta faixa trás em sua letra um desabafo e revolta da "personagem" Lilith, já que este disco é conceitual. Os 7 minutos desta trabalhada balada passam voando, além de apresentar uma enorme diversidade musical e muita pompa sombria.

5 - Forever Will I Roam (The Marriage Of Heaven & Hell Part I) - David Defeis é um dos melhores vocalistas e compositores do Metal, e mostra seus dotes em mais uma belíssima balada. Conduzida inicialmente por violão e um vocal bem profundo, logo aparece o peso como um soco, e se mantem num clima agradável, porém, melancólico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 2

6 - Strawgirl (The Marriage Of Heaven & Hell Part II) - Novamente o piano faz as honras, preparando o caminho para o peso. O forte refrão, junto com o solo de teclado, são os pontos fortes desta grande música.

7 - Wild Fire Woman (Life Among the Ruins - 1993) - Melodiosamente imbatível e sentimental, perfeita para esquecer os problemas e aquecer o coração. Não vou nem falar do mágico e longo solo, muito menos das performances vocais... Aprecie!

8 - Nepenthe (I Live Tomorrow) (The Black Light Bacchanalia - 2010) - Com o curioso nome de um gênero de 'planta carnívora', esta "balada" é a mais sombria, densa e arrastada do grupo, mostrando uma faceta, digamos, mais "obscura". Não fique com medo!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 3

9 - Last Rose of Summer (Life Among the Ruins - 1993) - A última balada deste disco. Diferente das 3 companheiras a cima, esta é inteiramente piano e vocal, além de um solo muito bonito de violão. Uma belíssima faixa para acalmar a mente após um exaustivo dia de trabalho.

!0 - Don't Close Your Eyes (Noble Savage - 1985) - E por último, mas não menos importante, mais uma boa balada empolgante e melódica, direto de um disco bem épico e marcante, com um ótimo trabalho instrumental.

Se estiver a fim de curtir uma boa música neste formato, não se esqueça que o Virgin Steele pode fornecer algumas das melhores já compostas, com muita variedade e qualidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE - TAB 4
Compartilhar no FacebookCompartilhar no WhatsAppCompartilhar no Twitter

Siga e receba novidades do Whiplash.Net:

Novidades por WhatsAppTelegramFacebookInstagramTwitterYouTubeGoogle NewsE-MailApps


Anunciar

Virgin Steele lança "Spiritual Warfare", faixa do próximo disco de estúdio

David DeFeis: os álbuns que marcaram o vocalista

Virgin Steele: bastidores do Exorcist, Piledriver e Original Sin

Sex of the Angels: As 10 Melhores Baladas do Virgin Steele


publicidadeAdemir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Facchini Medeiros | André Silva Eleutério | Bruno Franca Passamani | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Euber Fagherazzi | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Henrique Haag Ribacki | José Patrick de Souza | Julian H. D. Rodrigues | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Sergio Luis Anaga | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva |
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp
Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre Vitor Sobreira

Moro no interior de Minas Gerais e curto de tudo um pouco dentro do maravilhoso mundo da música pesada, além de não dispensar também uma boa leitura, filmes e algumas séries. Mesmo não sendo um profissional da escrita, tenho como objetivos produzir textos simples e honestos, principalmente na forma de resenhas, apresentando e relembrando aos ouvintes, bandas e discos de várias ramificações do Metal/Heavy Rock, muitos dos quais, esquecidos e obscuros.
Mais matérias de Vitor Sobreira.